Uma esposa para Jacó (Bíblia comentada - Gênesis 29)

Introdução a Gênesis 29 comentado


Jacó vai em busca de uma esposa conforme Rebeca tinha designado, ele encontrava algo mais do que esperava, Raquel seria seu amor, sua companheira, Gênesis 29 comentado fala desse contexto, o inicio dos doze patriarcas das tribos de Israel.

Um amor de Deus - Gênesis 29

Gênesis 29 comentado


GEN 29:1 E seguiu Jacó seu caminho, e foi à terra dos orientais. A terra onde Jacó seguia, é o que hoje se conhece como Turquia, o pais tem uma importância extremamente forte na arqueologia bíblica, foi lá onde a bíblia descreve que Noé e sua família desceram da arca, num monte conhecido como Ararate, e existem evidencias arqueológicas da arca, como narrado em Gênesis 7 e também em Gênesis 8, a Turquia também é onde foi encontrado aldeias com gravações de familiares de Abraão, onde arqueólogos bíblicos sugerem o fato como reforço a existência dos patriarcas.
GEN 29:2 E olhou, e viu um poço no campo: e eis três rebanhos de ovelhas que estavam deitados próximo dele; porque daquele poço davam de beber aos gados: e havia uma grande pedra sobre a boca do poço. Embora não esteja bem especificado, é possível que o mesmo lugar onde Jacó estava, é onde o servo de Abraão conheceu Rebeca, e conseguiu encontrar os familiares de seu mestre, onde ela deu o que beber ao servo e seus animais. Conforme narrado em Gênesis 24.
GEN 29:3 E juntavam-se ali todos os rebanhos; e revolviam a pedra de sobre a boca do poço, e davam de beber às ovelhas; e voltavam a pedra sobre a boca do poço a seu lugar.
GEN 29:4 E disse-lhes Jacó: Irmãos meus, de onde sois? E eles responderam: De Harã somos.
GEN 29:5 E ele lhes disse: Conheceis a Labão, filho de Naor? E eles disseram: Sim, nós o conhecemos. Em uma geração onde não tinha-se muitos meios de informação, e as tradições, noticias, rituais e formas de inteligencias adquiridas pelos primitivos, eram preservadas basicamente pela tradição oral, ou seja, pela conversação, o que podemos entender que possuir um bom dialogo e uma fácil adaptação para com outras pessoas, eram questões de sobrevivência, até certa forma, nos dias de hoje, ainda existe uma grande importancia em saber se expressar, o cristão precisa ter em mente, que ao estar em terras desconhecidas, ninguem é seu inimigo, e todos podem ser amigos e próximos, desde que apresentamos a verdade, isso é algo que precisa ser preservado.
GEN 29:6 E ele lhes disse: Ele está bem? E eles disseram: Está bem; e eis que Raquel sua filha vem com o gado.
GEN 29:7 E ele disse: Eis que ainda é cedo do dia; não é hora de recolher o gado; dai de beber às ovelhas, e ide apascentá-las.
GEN 29:8 E eles responderam: Não podemos, até que se juntem todos os gados, e removam a pedra de sobre a boca do poço, para que demos de beber às ovelhas.
GEN 29:9 Estando ainda ele falando com eles Raquel veio com o gado de seu pai, porque ela era a pastora. Alguns capítulos atrás, observamos que Rebeca assim como Raquel eram pastoras, elas cuidavam de rebanhos, acredito que isso é relevante para entender o porque os descendentes de Abraão casaram e tiveram suas promessas confirmadas, apenas com a união de um dos filhos com uma das descendentes de Labão e os seus demais familiares.
GEN 29:10 E sucedeu que, quando Jacó viu Raquel, filha de Labão irmão de sua mãe, e as ovelhas de Labão, o irmão de sua mãe, chegou-se Jacó, e removeu a pedra de sobre a boca do poço, e deu de beber ao gado de Labão irmão de sua mãe. 
GEN 29:11 E Jacó beijou a Raquel, e levantou sua voz, e chorou. Jacó apaixonou-se por Raquel, ele já sabia qual seria seu movimento e sua escolha, chorava agora, porque sua missão estava próxima de ser cumprida, ele saia da presença de seus familiares, e iria a terra distantes, em busca de uma esposa, o movimento de Jacó também tinha relação com a disputa com seu irmão Esaú, para confirmar o proposito de continuar o plano de nação para Deus, Jacó seguia as opiniões de Rebeca, para consolidar seus projetos pessoais.
GEN 29:12 E Jacó disse a Raquel como ele era irmão de seu pai, e como era filho de Rebeca: e ela correu, e deu as novas a seu pai.
GEN 29:13 E assim que ouviu Labão as novas de Jacó, filho de sua irmã, correu a recebê-lo, e abraçou-o, e beijou-o, e trouxe-lhe à sua casa: e ele contou a Labão todas estas coisas.
GEN 29:14 E Labão lhe disse: Certamente és osso meu e carne minha. E esteve com ele durante um mês. Labão reconhecia a Jacó, como um dos seus, os hebreus são uma raça que na antiguidade ao serem vista por um outro povo, era facilmente identificados, um exemplo é que os filisteus identificavam os hebreus facilmente durante as guerras relatadas nos livros de Samuel.
GEN 29:15 Então disse Labão a Jacó: Por ser tu meu irmão, me hás de servir de graça? Declara-me o que será teu salário.
GEN 29:16 E Labão tinha duas filhas: o nome da mais velha era Lia, e o nome da mais nova, Raquel.
GEN 29:17 E os olhos de Lia eram tenros, mas Raquel era de lindo semblante e de bela aparência. 
GEN 29:18 E Jacó amou a Raquel, e disse: Eu te servirei sete anos por Raquel tua filha mais nova. Jacó embora tenha alguma familiaridade com Raquel, logo a vê-lá sentiu algo "familiar", afinal ninguém chora na frente de alguém do nada, e Ela por sua vez, mostrou-se uma mulher com grande educação ao dar água a alguém até então desconhecido, de certa forma a própria reação de Jacó, mostra-se voluntario a casar-se com Raquel, o mesmo demonstra uma emoção completamente oposta a suas iniciativas passadas, onde a pouco tempo, tinha enganado seu pai, e traído seu irmão (vide capítulos anteriores), esse mesmo Jacó, agora emocionado e chorando em frente uma mulher, que pode ter representado a ele um abrigo seguro, ele encontrava novamente uma família, na qual ele acreditava ter perdida por conta de suas mentiras e armações.
GEN 29:19 E Labão respondeu: Melhor é que a dê a ti, que não que a dê a outro homem: fica-te comigo. O fato de entregar suas filhas a um homem cujo costumes, e crenças fossem mais similares que as suas, era uma boa opção que Labão tinha, ele também gostava do trabalho de Jacó, ele era um recém convertido ao Deus verdadeiro, e seu trabalho sempre daria frutos.
GEN 29:20 Assim serviu Jacó por Raquel sete anos: e pareceram-lhe como poucos dias, porque a amava.
GEN 29:21 E disse Jacó a Labão: Dá-me minha mulher, porque meu tempo é cumprido para que me deite com ela.
GEN 29:22 Então Labão juntou a todos os homens daquele lugar, e fez banquete.
GEN 29:23 E sucedeu que à noite tomou sua filha Lia, e a trouxe; e ele se deitou com ela.
GEN 29:24 E deu Labão sua serva Zilpa à sua filha Lia por criada. Jacó era enganado por seu tio, Labão sabia que seu sobrinho poderia ir embora depois que tivesse o que queria, e com isso, Labão perderia uma mão de obra importante, agora ele planejava continuar com seu sobrinho, e ao mesmo tempo entregar sua outra filha.
GEN 29:25 E vinda a manhã, eis que era Lia: e ele disse a Labão: Que é isto que me fizeste? Não te servi por Raquel? Por que, pois, me enganaste?
GEN 29:26 E Labão respondeu: Não se faz assim em nosso lugar, que se dê a mais nova antes da mais velha.
GEN 29:27 Cumpre a semana desta, e se te dará também a outra, pelo serviço que fizeres comigo por outros sete anos. Agora Jacó cumpriria mais sete anos por sua esposa, embora pela tradição Lia era associada como sua esposa e sua irmã como concubina, Jacó tinha Raquel como esposa verdadeira, seu compromisso e acordo era com ela desde o começo, devido as adversidades da vida, seus planos não seriam como queriam, mas para tudo tem um proposito.
GEN 29:28 E fez Jacó assim, e cumpriu a semana daquela; e ele lhe deu a sua filha Raquel por mulher.
GEN 29:29 E deu Labão a Raquel sua filha por criada a sua serva Bila.
GEN 29:30 E deitou-se também com Raquel: e amou-a também mais que a Lia: e serviu a ele ainda outros sete anos. Jacó amava Raquel, e demonstrava compromisso com ela, trabalharia por ela o tempo que fosse necessário. Labão usaria isso por seus próprios benefícios pelo tempo que conseguisse.
GEN 29:31 E viu o SENHOR que Lia era mal-amada, e abriu sua madre; mas Raquel era estéril. Deus também tinha seus interesses, a multiplicação dos descendentes de Abraão e Isaque, viriam por meio de Jacó, que agora tinha duas esposas no qual seus filhos seriam ungidos por Deus, todas as duas hebreias, e com os mesmos costumes, no qual Rebeca e Isaque aprovavam, era o momento propicio para o surgimento de Israel.
GEN 29:32 E concebeu Lia, e deu à luz um filho, e chamou seu nome Rúben, porque disse: Já que olhou o SENHOR minha aflição; agora, portanto, meu marido me amará. Surge um dos doze patriarcas originais, Algumas das boas qualidades de Rubem revelaram-se quando persuadiu seus nove irmãos a lançar José num poço seco, em vez de matá-lo, sendo o objetivo de Rubem retornar em secreto e tirá-lo do poço. (Gên 37:18-30) Mais de 20 anos depois, quando estes mesmos irmãos arrazoaram que as acusações de espionagem levantadas contra eles, no Egito, se deviam a terem maltratado José, Ruben lembrou aos demais que ele não tinha participado no complô contra a vida de José. (Gên 42:9-14, 21, 22) Também, quando Jacó se recusou a permitir que Benjamim acompanhasse seus irmãos na segunda viagem ao Egito, foi Ruben quem ofereceu os seus próprios dois filhos como garantia, dizendo: “Podes tirar a vida de meus dois filhos se eu não o trouxer de volta. Deixa-o aos meus cuidados e eu o trarei de volta para o senhor!” — Gên 42:37.
GEN 29:33 E concebeu outra vez, e deu à luz um filho, e disse: Porquanto ouviu o SENHOR que eu era mal-amada, me deu também este. E chamou seu nome Simeão.
Simeão (em hebraico שִׁמְעוֹן, transl. Shim'on, nascido em c. 1772 a.C. [1]), era o segundo filho de Jacob e Lia (Gen. 29;33), sua significação é citada em (Gen. 29;33). Simeão tomou parte, juntamente com Levi, do massacre dos homens de Siquém, depois da desonra sofrida por sua irmã, Diná (Gen. 34)
GEN 29:34 E concebeu outra vez, e deu à luz um filho, e disse: Agora esta vez meu marido se apegará a mim, porque lhe dei três filhos; portanto, chamou seu nome Levi. Levi era o terceiro filho de Jacó e Lia, e tornou-se uma peça importante no plano de nação que Deus estabeleceria para Israel, os descendentes de Levi serviriam diretamente a Deus, seriam sacerdotes na casa do altíssimo.
GEN 29:35 E concebeu outra vez, e deu à luz um filho, e disse: Esta vez louvarei ao SENHOR; por isto chamou seu nome Judá; e deixou de dar à luz. Judá (em hebraico: יְהוּדָה, hebraico moderno: Yəhuda, hebraico tiberiano Yəhûḏāh) era o quarto filho de Jacó e de Léa, e a raiz hebraica de seu nome, Yah hu Dah, é uma expressão de agradecimento a Deus. A história do homem chamado Judá restringe-se ao relato bíblico e às fontes tradicionais do judaísmo.

Outros capítulos de Gênesis comentado:

1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11 - 12 - 13 - 14 - 15 - 16 - 17 - 18 - 19 - 20 - 21 - 22 - 23 - 24 - 25 - 26 - 27 - 28 - 29 - 30 - 31 - 32 - 33 - 34 - 35 - 36 - 37 - 38 - 39 - 40 - 41 - 42 43 - 44 - 45 46 47 - 48 - 49 - 50.


Notas e referencias de pesquisas


- Segue os créditos a Blive que é a responsável pelo comitê de tradução da bíblia livre.
- Os trechos comentados estão negrito.
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, Teólogo e Arqueólogo bíblico pela FTN (Faculdade de teologia nacional), a revisão é de Vanderleia Custodio. 
- Caso possua alguma referencia externa, será mencionadas nesse rodapé.
- Referencia interna, Jacó e Raquel.
- Visite também o blog Reflexões da vida.

compartilhe essa postagem com seus amigos e familiares, receba reflexões cristãs por whatsapp (19)993702148.

Patrocinado

Conteúdos correspondentes

Recomendações para você