Publicações

A divisão entre Rebeca e Isaque (Bíblia comentada - Gênesis 27)

Introdução a Gênesis 27 comentado


A preferencia dos pais por um dos filhos, trás danos horríveis para a família, Esaú escolhia que matava era a resposta, Gênesis 27 comentado evidencia que Esaú não tinha o temor aos planos de Deus, ele tomava a pouco tempo mulheres pagãs como esposas, e vendia sua primogenitura, seus caminhos não tinham o mesmo valor e moral de Isaque e Abraão.

Isaque e Esaú, Rebeca e Jacó
Isaque e Esaú, Rebeca e Jacó - Gênesis 27 comentado

Gênesis 27 comentado


GEN 27:1 E aconteceu que quando havia Isaque envelhecido, e seus olhos se ofuscaram ficando sem vista, chamou a Esaú, seu filho o maior, e disse-lhe: Meu filho. E ele respondeu: Eis-me aqui.
GEN 27:2 E ele disse: Eis que já sou velho, não sei o dia de minha morte: Isaque estava próximo de sua morte, de certa forma, quando analisamos a historia de Isaque com a de seu pai Abraão, e seu filho Jacó, vemos que dos três principais patriarcas, ele tem sua narrativa muito encurtada na bíblia, Isaque morreria e daria espaço a nações, como Edom e Israel.
GEN 27:3 Toma, pois, agora tuas armas, tua aljava e teu arco, e sai ao campo, e pega-me caça;
GEN 27:4 E faze-me um guisado, como eu gosto, e traze-o a mim, e comerei: para que te abençoe minha alma antes que morra. O patriarca demonstra seu favoritismo ao filho mais velho, por ter tido mais contato com ele, Isaque se afeiçoou mais a Esaú, pois era um caçador habilidoso, em um mundo primitivo, onde a força e as habilidades de sobrevivência era relevantes, é natural o favoritismo do pai, entretanto o patriarca não consulta Deus, cada plano que determinamos, caem se não estiver com a vontade de Deus, e Isaque tinha seu favoritismo acima de uma analise imparcial sobre os filhos, isto por que Esaú não tinha temor pelas coisas do eterno, desde o começo, quando vendeu sua primogenitura, e em seguida quando casou-se com estrangeiras, Esaú demonstrou que diferente do que Abraão pensava, ele não se importava com o monoteísmo, ou mesmo assegurar suas crenças.
GEN 27:5 E Rebeca estava ouvindo, quando falava Isaque a Esaú seu filho: e foi-se Esaú ao campo para pegar a caça que havia de trazer.
GEN 27:6 Então Rebeca falou a Jacó seu filho, dizendo: Eis que eu ouvi a teu pai que falava com Esaú teu irmão, dizendo: Rebeca assim como Isaque, também demonstrava um favoritismo, por um de seus filhos, Jacó não tinha a mesma força de Esaú e não era um caçador, cresceu próximo de sua mãe, mas exatamente isso o assegurou como um homem separado para Deus, os filhos que nascem próximos de suas mães, tendem a ser mais obedientes, ao evitar os excessos dos pais, Rebeca foi uma boa educadora, a ponto que Jacó não tinha tomado uma esposa do meio dos pagãos, e seguia a voz de sua mãe, vejo a ação de Rebeca como legitima, para instaurar os planos de Deus, entre os descendentes de Abraão, o momento decisivo, Deus pudesse fazer sua escolha, e ela não viria do amor carnal de Isaque.
GEN 27:7 Traze-me caça, e faze-me um guisado, para que coma, e te abençoe diante do SENHOR antes que eu morra.
GEN 27:8 Agora, pois, filho meu, obedece à minha voz no que te mando;
GEN 27:9 Vai agora ao gado, e traze-me dali dois bons cabritos das cabras, e farei deles iguarias para teu pai, como ele gosta;
GEN 27:10 E tu as levarás a teu pai, e comerá, para que te abençoe antes de sua morte. Agora Rebeca trabalha para enganar seu marido, o casal estava dividido por conta de seus dois filhos, o favoritismo sobre determinados filhos, podem prejudicar o crescimento saudável de crianças e causam intensas crises familiares, segundo a psicologa Marisa de Abreu, a primeiro momento, o filho favorito pode se beneficiar com o favoritismo, mas em um futuro pode ser motivo de descontrole emocional, e ao mesmo tempo o filho preterido, pode sofrer crises de carências, dessa forma o filho favorito não ganha nada a longo prazo, isso porque cresce como uma pessoa dependente, e a crise entre irmãos podem tornar-se irreconciliáveis. 
GEN 27:11 E Jacó disse a Rebeca sua mãe: Eis que Esaú meu irmão é homem peludo, e eu liso:
GEN 27:12 Talvez meu pai me apalpe, e me terá por enganador, e trarei sobre mim maldição e não bênção.
GEN 27:13 E sua mãe respondeu: Filho meu, sobre mim tua maldição: somente obedece à minha voz, e vai e traze-os a mim. Não acredito que o favoritismo foi a unica razão que fez Rebeca conspirar contra seu filho e seu marido, entendo que ela tenha sido contrariada, e sentiu profundo desgosto pelas atitudes de Esaú, casar-se com uma mulher estrangeira, e ainda por cima praticar a poligamia, vejo em Rebeca uma figura mais rígida do que Sara, pois a primeira queria impor seus pensamentos e opiniões, em igual forma a Isaque, a segunda era comparsa de seu marido.
GEN 27:14 Então ele foi, e tomou, e trouxe-os à sua mãe: e sua mãe fez guisados, como seu pai gostava.
GEN 27:15 E tomou Rebeca as roupas de Esaú seu filho maior, as melhores, que ela tinha em casa, e vestiu a Jacó seu filho menor:
GEN 27:16 E fez-lhe vestir sobre suas mãos e sobre o pescoço onde não tinha pelo, as peles dos cabritos das cabras;
GEN 27:17 E entregou os guisados e o pão que havia preparado, em mão de Jacó seu filho.
GEN 27:18 E ele foi a seu pai, e disse: Meu pai: e ele respondeu: Eis-me aqui, quem és, filho meu?
GEN 27:19 E Jacó disse a seu pai: Eu sou Esaú teu primogênito; fiz como me disseste: levanta-te agora, e senta, e come de minha caça, para que me abençoe tua alma. O fato de Esaú no passado ter vendido sua primogenitura, torna-o Jacó no direito de tomar sua posição, o erro de Esaú começava a ter consequência, a benção de seu pai, era visto como algo mais importante do que a relação entre pai e filho, ou mesmo com a de seu irmão, Isaque era reconhecido como um homem de Deus, filho de Abraão, dos hebreus, e era importante ganhar sua benção, aquele que ficasse com a benção de um profeta, Deus o acompanharia pelo restante dos seus dias, e Jacó sabia disso, Jacó presenciou a multiplicação que Isaque fizera na terras dos filisteus, Isaque era um vitorioso, assim como Abraão, e por isso ambos seus filhos desejavam seu posto.
GEN 27:20 Então Isaque disse a seu filho: Como é que a achaste tão depressa, filho meu? E ele respondeu: Porque o SENHOR teu Deus fez que se encontrasse diante de mim. Jacó não tem Deus como o seu Deus em particular, a expressão "...o SENHOR teu Deus..." mostra que Jacó reconhecia Deus, mas não lhe praticava adoração. É possível que Jacó não tinha uma posição de fé definida, embora sabemos que era filho de Isaque, temos que lembrar que ele vivia na terra de pagãos.
GEN 27:21 E Isaque disse a Jacó: Aproxima-te agora, e te apalparei, filho meu, para [que eu saiba] se és meu filho Esaú ou não.
GEN 27:22 E chegou-se Jacó a seu pai Isaque; e ele lhe apalpou, e disse: A voz é a voz de Jacó, mas as mãos, as mãos de Esaú.
GEN 27:23 E não lhe reconheceu, porque suas mãos eram peludas como as mãos de Esaú: e lhe abençoou. Isaque dava sua benção a Jacó, a disputa familiar apenas começaria neste ponto, agora grande intriga entre irmãos estava próximo a começar, o favoritismo gera grandes inimizades na família, e esse era um caso, quase irreversível, Jacó queria sua benção e tomava a força de Esaú, enganando seu próprio pai.
GEN 27:24 E disse: És tu meu filho Esaú? E ele respondeu: Eu sou.
GEN 27:25 E disse: Aproxima-a a mim, e comerei da caça de meu filho, para que te abençoe minha alma; e ele a aproximou, e comeu: trouxe-lhe também vinho, e bebeu.
GEN 27:26 E disse-lhe Isaque seu pai: Aproxima-te agora, e beija-me, filho meu.
GEN 27:27 E ele se chegou, e lhe beijou; e cheirou Isaque o cheiro de suas roupas, e lhe abençoou, e disse: Eis que o cheiro de meu filho é como o cheiro do campo que o SENHOR abençoou;
GEN 27:28 Deus, pois, te dê do orvalho do céu, e das gorduras da terra, e abundância de trigo e de mosto.
GEN 27:29 Sirvam-te povos, E nações se inclinem a ti: Sê senhor de teus irmãos, e inclinem-se a ti os filhos de tua mãe; malditos os que te amaldiçoarem, e benditos os que te abençoarem. Malditos os que te amaldiçoam, e benditos o que te abençoam, isso deve servir de exemplo para todos, por vezes na nossa vida somos contra uma determinada pessoa, e por raiva pensamos em jogar maldições sobre ela,  e maldições são simplesmente desejar o mal ao próximo, como leitores e crentes da bíblia, temos que lembrar que não é de nosso dever rogar maldição sobre ninguém, mesmo que façam o mal para nós, se servimos um Deus vivo, certamente as maldições e planos do mal contra nós, cairão por terra, maldito é aquele que vai contra o justo.
GEN 27:30 E aconteceu, logo que havia Isaque de abençoar a Jacó, e apenas havia saído Jacó de diante de Isaque seu pai, que Esaú seu irmão veio de sua caça.
GEN 27:31 E também ele fez guisado, e trouxe a seu pai, e disse-lhe: Levante-se meu pai, e coma da caça de seu filho, para que me abençoe tua alma.
GEN 27:32 Então Isaque seu pai lhe disse: Quem és tu? E ele disse: Eu sou teu filho, teu primogênito, Esaú. Isaque nesse momento entendia que era enganado, ele escolheu não consultar Deus, quando Abraão o abençoou, ele o preferiu ao invés de Ismael, embora tenha outras razões inseridas, segundo a tradição, Ismael era filho creditado a Sara, pois através da serva de Sara, ela o geraria, ao menos esse era o pensamento da época. Mas Abraão escolheu aquele no qual Deus decidiu, e não a vontade do homem.
GEN 27:33 E Estremeceu-se Isaque com grande estremecimento, e disse: Quem é o que veio aqui, que agarrou caça, e me trouxe, e comi de tudo antes que viesses? Eu o abençoei, e será bendito.
GEN 27:34 Quando Esaú ouviu as palavras de seu pai clamou com uma muito grande e muito amarga exclamação, e lhe disse: Abençoa também a mim, meu pai.
GEN 27:35 E ele disse: Veio teu irmão com engano, e tomou tua bênção.
GEN 27:36 E ele respondeu: Bem chamaram seu nome Jacó, que já me enganou duas vezes; tirou minha primogenitura, e eis que agora tomou minha bênção. E disse: Não guardaste bênção para mim?
GEN 27:37 Isaque respondeu e disse a Esaú: Eis que eu o pus por senhor teu, e lhe dei por servos a todos os seus irmãos: de trigo e de vinho lhe provi: que, pois, farei a ti agora, filho meu?
GEN 27:38 E Esaú respondeu a seu pai: Não tens mais que uma só bênção, meu pai? Abençoa também a mim, meu pai. E levantou Esaú sua voz, e chorou. Esaú agora teria grande dor, seu irmão o derrotaria duas vezes, e tomaria duas coisas importantes que deveria ser dele por direito, mas temos que entender que Esaú não era o escolhido de Deus, sua insistência e questionamento sobre Isaque não ter uma benção para ele, fazia visível que ele não tinha a intenção de respeitar as crenças de seus pais.
GEN 27:39 Então Isaque seu pai falou e disse-lhe: Eis que será tua habitação sem gorduras da terra, E sem orvalho dos céus de acima;
GEN 27:40 E por tua espada viverás, e a teu irmão servirás: E sucederá quando te dominares, Que descarregarás seu jugo de teu pescoço. Isaque lança a verdade sobre Esaú, e este não o aceitaria, tomaria o caminho mais difícil, a guerra não é a saída, e agora preferia uma briga entre irmãos, a escolha de Esaú era que matar é resposta, vemos portanto sua verdadeira natureza, e a maldade em seu coração, Jacó poderia pensar em matar seu irmão, mas essa não foi uma escolha para ele, Jacó assim como Isaque e Abraão, era um pacifista, ele escolhia alternativas para a paz.
GEN 27:41 E odiou Esaú a Jacó pela bênção com que lhe havia abençoado, e disse em seu coração: Chegarão os dias do luto de meu pai, e eu matarei a Jacó meu irmão. Gênesis 27 agora exibia a triste rivalidade entre irmãos, que desenvolvia para tornar-se uma batalha homicida, pelo poder, a historia nos mostra triste resultados da briga entre irmãos, um exemplo é na própria nação de Israel onde Salomão e Adonias, disputaram o trono de Israel, trazendo mortes ao povo.
GEN 27:42 E foram ditas a Rebeca as palavras de Esaú seu filho mais velho: e ela enviou e chamou a Jacó seu filho mais novo, e disse-lhe: Eis que, Esaú teu irmão se consola acerca de ti com a ideia de matar-te.
GEN 27:43 Agora, pois, filho meu, obedece à minha voz; levanta-te, e foge-te a Labão meu irmão, a Harã.
GEN 27:44 E mora com ele alguns dias, até que a ira de teu irmão se diminua;
GEN 27:45 Até que se aplaque a ira de teu irmão contra ti, e se esqueça do que lhe fizeste: eu enviarei então, e te trarei dali: por que serei privada de vós ambos em um dia?
GEN 27:46 E disse Rebeca a Isaque: Desgosto tenho de minha vida, por causa das filhas de Hete. Se Jacó toma mulher das filhas de Hete, como estas, das filhas desta terra, para que quero a vida? Rebeca revela seu nojo contra as mulheres estrangeiras que habitavam naquelas terras, e trabalhava contra o plano de Esaú matar Jacó, ela tinha plano de envia-lo para longe de seu irmão e ao mesmo tempo, fazer com que Jacó casa-se com uma mulher cujo a cultura Rebeca se identificasse.

Notas e referencias de pesquisas


- Segue os créditos a Blive, responsável pelo comitê de tradução da Bíblia livre. 
- Os comentários são sempre escritos em negrito.   
- Todas as referencias externas, serão demonstradas aqui, se houver.   
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, teólogo e arqueólogo bíblico pela Faculdade de teologia nacional de São Lourenço MG. 
- Referencia externa, Preferencias de filhos, Psicólogos em São Paulo.
- Conheça o blog parceiro, Reflexões da vida.

 Ajude a divulgar o Reflexões Cristãs, compartilhe nossas postagens nas redes sociais, duvidas e sugestões, deixe nos comentários, receba mensagens pelo whatsapp (19) 993702148.

Lucas Ajudarte
Importância do batismo em nome de Jesus

Batismo em nome de Jesus


O batismo na água é uma parte essencial da salvação do Novo Testamento e não meramente um ritual simbólico. Faz parte da entrada no reino de Deus (a igreja de Deus, a noiva de Cristo) e, portanto, não é apenas uma parte da membresia da igreja local. (Veja João 3: 5 e Galatas 3:27).

Batismo em Nome de Jesus
Batismo em Nome de Jesus




Introdução ao batismo em nome de Jesus


O tema do batismo nas águas tem sido chamado de um grande problema e sem dúvida tem sido feito por muitos líderes da igreja do passado e do presente. Em nosso estudo, consideremos primeiro sua importância ou a necessidade de ser batizado.

A importância do batismo nas águas


O batismo cristão na água é uma ordenança instituída por Jesus Cristo. Se isso não é importante no plano de Deus, por que Jesus ordenou isso em Mateus 28:19 ? E por que Pedro prosseguiu dizendo: "Seja batizado cada um de vocês", e ordenando aos gentios que sejam batizados ( At 2:38 ; 10:48) Devemos lembrar dois pontos sobre a importância do batismo na água. Primeiro, tudo o que Cristo estabeleceu e ordenou definitivamente não pode ser sem importância, quer entendamos seu significado ou não. Em segundo lugar, Cristo e os apóstolos mostraram a importância dessa ordenança observando-a. Jesus andou muitos quilômetros para ser batizado, embora estivesse sem pecado, dizendo: "Porque assim nos convém cumprir toda a justiça" (ver Mateus 3: 13-16 ).

É verdade que a água em si não contém nenhuma virtude salvadora, mas Deus escolheu incluí-la em Seu plano de salvação. Pedro explicou: "O batismo também nos salva (não a destruição da imundícia da carne, mas a resposta de uma boa consciência para com Deus) pela ressurreição de Jesus Cristo" ( I Pedro 3:21 ). De acordo com Lucas 7:30 , "os fariseus e os advogados rejeitaram o conselho de Deus contra si mesmos, não sendo batizados".

O modo de batismo


De acordo com as Escrituras, o modo apropriado de batismo é a imersão. "E Jesus, quando foi batizado, saiu logo da água" ( Mateus 3:16 ). "E desceram ambos para a água, tanto Filipe como o eunuco; e ele o batizou" ( Atos 8:38 ). "Portanto, somos sepultados com ele pelo batismo na morte" ( Romanos 6: 4 ). Um cadáver não é enterrado, colocando-o em cima do solo e polvilhando um pouco de terra sobre ele, mas cobrindo-o completamente.

De acordo com a World Book Encyclopedia, "No início, todo o batismo era por imersão completa" (vol. 1, p.651). E a Enciclopédia Católica declara: "Nos primeiros séculos, todos eram batizados por imersão em rios, lagos e batistérios" (vol. 2, p. 263). A imersão não era conveniente depois que a igreja católica instituiu o batismo infantil; Assim, o modo foi alterado para aspersão. (Veja Encyclopedia Britannica, 11ª ed., Vol. 3, pp.365-66.)

O arrependimento nos identifica com a morte de Cristo e o batismo nos identifica com Seu sepultamento. Surgir da sepultura aquosa do batismo e receber nova vida no Espírito Santo nos identifica com Sua ressurreição.

A fórmula do batismo


Jesus ordenou a Seus discípulos que "ensinassem todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo" ( Mateus 28:19 ). Ele não ordenou que usassem essas palavras como fórmula, mas Ele ordenou que batizassem "o nome". O nome da palavra é usado aqui no singular e é o ponto focal do comando batismal. Os títulos Pai, Filho e Espírito Santo descrevem as relações de Deus com a humanidade e não são o nome supremo e salvador descrito aqui, que é Jesus. "Não há salvação em nenhum outro, porque não há outro nome debaixo do céu dado entre os homens, pelo qual devemos ser salvos" ( Atos 4:12 ).

Jesus é o nome no qual os papéis do Pai, do Filho e do Espírito Santo são revelados. O anjo do Senhor instruiu José: "Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de JESUS; porque ele salvará o seu povo dos pecados deles" ( Mateus 1:21 ). Jesus disse: "Eu vim em nome de meu Pai" e "O Consolador, que é o Espírito Santo, ... o Pai enviará em meu nome" ( João 5:43 ; 14:26 ). Assim, batizando em nome de Jesus, honramos a divindade. "Pois nele habita toda a plenitude da Deidade corporalmente" ( Colossenses 2: 9 ).

Lucas 24: 45-47 registra que, pouco antes de Sua ascensão, Jesus abriu o entendimento dos discípulos. Era necessário que o entendimento deles fosse aberto, e muitos hoje precisam dessa mesma operação para entender as Escrituras. Então Jesus disse-lhes: "Assim está escrito, e assim convinha que Cristo sofresse e ressuscitasse dos mortos no terceiro dia". Os discípulos tiveram seu entendimento aberto para que pudessem compreender a vasta importância da morte, sepultamento e ressurreição de Cristo. O versículo 47 descreve a comissão que Jesus então deu: "E que o arrependimento e a remissão de pecados sejam pregados em seu nome entre todas as nações [judeus e gentios], começando em Jerusalém".

Pedro era um daquele número de quem Jesus falara e cuja compreensão havia sido aberta. Depois de ouvir essas instruções, alguns dias depois ele foi inspirado pelo Espírito Santo a pregar no dia de Pentecostes. Os corações dos ouvintes foram perfurados e, sentindo-se condenados, clamaram a Pedro e aos outros apóstolos: "Homens e irmãos, que faremos?" ( Atos 2:37 ) Pedro não hesitou, mas ousadamente respondeu: "Arrependam-se, e sejam batizados cada um de vocês em nome de Jesus Cristo para a remissão dos pecados, e receberão o dom do Espírito Santo" ( Atos 2:38 ). "Então os que de bom grado receberam a sua palavra foram batizados, e no mesmo dia foram acrescentados cerca de três mil almas" ( Atos 2:41 ).

Alguns dizem que Pedro lhes disse para serem batizados em nome de Jesus porque eram judeus e este batismo era para fazê-los reconhecer Jesus Cristo. Mas vamos com Pedro à casa de Cornélio vários anos depois. Cornélio e sua família eram gentios, mas novamente Pedro "ordenou que fossem batizados em nome do Senhor" ( Atos 10:48 ). (A maioria das traduções realmente diz: "Em nome de Jesus Cristo".) Se Pedro estava errado no Dia de Pentecostes, ele certamente teve tempo suficiente para ser corrigido antes de ir à casa de Cornélio.

Pedro estava errado no dia de Pentecostes? Quando os ouvintes se arrepiaram em seus corações, eles falaram a Pedro e ao restante dos apóstolos ( Atos 2:37 ). Isso incluiu Mateus, que escreveu Mateus 28:19 . Além disso, quando Pedro pregou, ele se levantou com os onze (Atos 2:14 ). Mateus estava lá, mas não encontramos palavras de correção dele. Ele certamente teria falado se Pedro tivesse desobedecido ao Senhor. Mas todos os apóstolos entenderam e cumpriram a comissão do Senhor. Como Jesus disse em oração: "Eu manifestei o teu nome aos homens [os apóstolos] que tu me deste do mundo ... e eles guardaram a tua palavra" ( João 17: 6 ).

Os samaritanos, que não eram judeus, também foram batizados em nome de Jesus. Então Filipe desceu à cidade de Samaria e pregou-lhes Cristo ... "Mas, quando creram em Filipe, pregando as coisas concernentes ao reino de Deus e ao nome de Jesus Cristo, foram batizados, tanto homens como mulheres. ... foram batizados em nome do Senhor Jesus "( Atos 8: 5 , 12 , 16 ).

Vejamos como Paulo, o apóstolo dos gentios, foi batizado. Ele foi para Éfeso muitos anos após o Dia de Pentecostes e encontrou alguns discípulos de João Batista lá. "Disse-lhes: Recebestes o Espírito Santo já que crestes? E disseram-lhe: Não sabemos até onde há Espírito Santo. E ele lhes disse: Em que fostes batizados então? E Eles disseram: “No batismo de João. Então Paulo disse: João batizou com o batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. foram batizados em nome do Senhor Jesus "( Atos 19: 2-5 ). Embora esses discípulos já tivessem sido batizados,

Nós não cremos que Paulo mudou a fórmula ou modo de batismo quando ele batizou Lídia e sua casa ( Atos 16: 14-15 ) ou o carcereiro filipense. Este veio tremendo e caiu diante de Paulo e Silas, dizendo: "Senhores, o que devo fazer para ser salvo? E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, e tua casa. E ele os levou a mesma hora da noite [pouco depois da meia-noite], e lavou as suas listras, e foi batizado, ele e todos os seus, imediatamente "( Atos 16: 30-33 ). Como podemos duvidar que Paulo batizou essas pessoas usando o mesmo modo e fórmula que ele usou em outro lugar, isto é, imersão no nome do Senhor Jesus Cristo?

Paulo não estava com os apóstolos quando Jesus deu suas instruções finiais para eles em Mateus 28:19 e Lucas 24:47 , mas Paulo batizou em nome do Senhor Jesus. Como ele sabia o que fazer? Ele disse que seu evangelho não era uma tradição dos homens, mas uma revelação de Deus. "Certifico-vos, irmão, que o evangelho que foi pregado a mim não é segundo o homem. Pois eu não o recebi nem o ensinei, mas pela revelação de Jesus Cristo" ( Gálatas 1: 11-12).). Paulo foi escolhido para levar o nome de Jesus aos gentios, e ele escreveu muitas epístolas divinamente inspiradas à igreja. Para este apóstolo, Deus revelou o mistério da igreja, "que em outras épocas não foi dado a conhecer aos filhos dos homens, como agora revelou aos seus santos apóstolos e profetas pelo Espírito" ( Efésios 3: 5 ). Paulo alegou ter autoridade divina: "Se alguém se considera profeta ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são os mandamentos do Senhor" ( I Coríntios 14:37 ). E Paulo escreveu: Tudo o que fazeis em palavras ou atos, faz tudo em nome do Senhor Jesus, dando graças a Deus e ao Pai por ele "( Colossenses 3:17). O batismo na água é feito em palavras e ações. Não podemos nos dar ao luxo de ignorar este mandamento para a igreja.

A igreja é "edificada sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo o próprio Jesus Cristo a principal pedra da esquina" ( Efésios 2:20 ). Os apóstolos não somente pregaram o batismo em nome de Jesus, mas eles o praticaram. Em nenhum lugar podemos descobrir que eles foram batizados usando as palavras "em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo". Em vez disso, nós os encontramos batizando em nome do Senhor Jesus Cristo. Batizando em nome de Jesus, eles cumpriram o mandamento do Senhor em Mateus 28:19 .
Paulo disse: "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema" ( Gálatas 1: 8 ). Que isto seja uma advertência solene para nós.

Alguns dizem que aceitarão as palavras de Jesus em Mateus 28:19, mas não as de Pedro em Atos 2:38 . Mas Pedro falou no dia de Pentecostes sob a unção do Espírito Santo. Pedro era um dos apóstolos, e a ele foram dadas as chaves do reino, por isso não temos o direito de desacreditar suas palavras.

Em Marcos 7: 8, Jesus disse: “Deixando de lado o mandamento de Deus, guardareis a tradição dos homens”. A história nos diz que não foi até muitos anos depois dos apóstolos que o modo e a fórmula do batismo em nome de Jesus Cristo foram mudados. (Veja o Dicionário da Bíblia de Hastings, vol. 1, p.241.) O que significa mais para você, o comando do Senhor ou a tradição dos homens?

Obrigado por ler esse estudo bíblico, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba motivacionais pelo whatsapp (19)993702148.

Adquira a Bíblia dos Unicistas em formato digital por um preço super acessível: Bíblia Monoteísta.

Lucas Ajudarte
Deus da multiplicação (Bíblia comentada - Gênesis 26)

Introdução a Gênesis 26 comentado


Isaque na terra dos Filisteus, o patriarca seguiria o mesmo caminho que seu pai fez no passado, Gênesis 25 comentado, nos faz entender que quando o justo trabalha, Deus multiplica, e nas horas de contenda, o melhor é buscar alternativas visando a paz.

Deus da multiplicação
Deus da multiplicação - Gênesis 26

Gênesis 26 comentado


GEN 26:1 E houve fome na terra, além da primeira fome que foi nos dias de Abraão: e foi-se Isaque a Abimeleque rei dos filisteus, em Gerar.
GEN 26:2 E apareceu-lhe o SENHOR, e disse-lhe: Não desças ao Egito: habita na terra que eu te disser; É curioso que Abraão no passado passou pelo mesmo período e dificuldades, e agora seu filho Isaque, por vezes a historia, nos ensina que a vida é rotativa, por tempos estamos bem, outros momentos estamos mal, a verdade é que a vida é difícil, mas ao mesmo tempo pode ser bela, agora para sobreviver, Isaque migraria em procura de dias melhores, o Egito era uma alternativa, mas Deus impede Isaque, Gênesis 26 mostra que existe algo no Egito, e era necessário distancia daquele lugar, buscando informações sobre o Egito naqueles dias, sabemos que o Egito era um pais pagão, e o Faraó era autoritário e sanguinário, pode-se dizer que é o maior império de seu tempo.
GEN 26:3 Habita nesta terra, e serei contigo, e te abençoarei; porque a ti e à tua descendência darei todas estas terras, e confirmarei o juramento que jurei a Abraão teu pai:
GEN 26:4 E multiplicarei tua descendência como as estrelas do céu, e darei à tua descendência todas estas terras; e todas as nações da terra serão abençoadas em tua descendência.
GEN 26:5 Porquanto ouviu Abraão minha voz, e guardou meu preceito, meus mandamentos, meus estatutos e minhas leis.
GEN 26:6 Habitou, pois, Isaque em Gerar. Deus confirma com Isaque, o que antes foi dito a Abraão, o fato de Isaque e Rebeca estavam conhecendo cada vez mais os planos de Deus em suas vidas, agora Isaque, assim como seu pai, tinha um momento com Deus.
GEN 26:7 E os homens daquele lugar lhe perguntaram acerca de sua mulher; e ele respondeu: É minha irmã; porque teve medo de dizer: É minha mulher; que talvez, disse, os homens do lugar me matem por causa de Rebeca; porque era de belo aspecto.
GEN 26:8 E sucedeu que, depois que ele esteve ali muitos dias, Abimeleque, rei dos filisteus, olhando por uma janela, viu a Isaque que acariciava Rebeca sua mulher. O rei Abimeleque, é citado na historia de Abraão, embora não seja verdade afirmar que trata-se da mesma pessoa, entendo que o termo "Abimeleque" possivelmente trata-se de um termo assim como "Cesar" para os romanos, ou mesmo "Papa" para os católicos, ou "Faraó" dos egípcios, justamente assim como no passado, agora seu filho cometeria o mesmo erro, assim como no caso de Abraão, entendo que Isaque não confiava na cultura e no povo daquele local, existia a possibilidade de matarem Isaque para tomar sua esposa.
GEN 26:9 E chamou Abimeleque a Isaque, e disse: Eis que ela é certamente tua mulher: como, pois, disseste: É minha irmã? E Isaque lhe respondeu: Porque disse: Talvez eu morra por causa dela.
GEN 26:10 E Abimeleque disse: Por que nos fizeste isto? Por pouco haveria dormido alguém do povo com tua mulher, e haverias trazido sobre nós o pecado.
GEN 26:11 Então Abimeleque mandou a todo o povo, dizendo: O que tocar a este homem ou a sua mulher certamente morrerá. O rei dos filisteus de certa forma seguiam valores parecidos com os dos hebreus, temos que entender que todos os homens pós-diluvianos foram educados segundo o entendimento de Noé e sua família, com o passar do tempo a humanidade foi corrompida pelos ensinamentos de Ninrode, e instaurou o sistema "feudal", passaram a ter reis e lideres dos povos, e os homens passavam a dominar os outros homens, Abimeleque via Isaque como um igual a ele, e assegurou a manutenção da liberdade e soberania dos hebreus.
GEN 26:12 E semeou Isaque naquela terra, e achou aquele ano cem por um: e o SENHOR o abençoou.
GEN 26:13 E o homem se engrandeceu, e foi engrandecendo-se cada vez mais, até fazer-se muito poderoso: Quando o justo lavra a terra, Deus o abençoa, o Senhor multiplica todas as coisas, em tempos de crises, busque sua fé, a sua armadura é a palavra de Deus, trabalhe e busque, e certamente haverá multiplicação, não importa onde, ou o lugar, a mão de Deus é nossa maior alternativa. 
GEN 26:14 E teve rebanho de ovelhas, e rebanho de vacas, e grande número de servos; e os filisteus tiveram inveja dele.
GEN 26:15 E todos os poços que os criados de Abraão seu pai haviam aberto em seus dias, os filisteus os haviam fechado e enchido da terra.
GEN 26:16 E disse Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós, porque muito mais poderoso que nós te fizeste. Os filisteus nunca foram amigos do povo hebreu, mas Abraão e Isaque precisavam viver naquela terra, para fugir da fome que atingia Canaã, mas Isaque agora era visto como uma ameaça perigosa ao rei Abimeleque, para assegurar seu poder, ele precisava expulsar Isaque.
GEN 26:17 E Isaque se foi dali; e assentou suas tendas no vale de Gerar, e habitou ali.
GEN 26:18 E voltou a abrir Isaque os poços de água que haviam aberto nos dias de Abraão seu pai, e que os filisteus haviam fechado, depois de Abraão ter morrido; e chamou-os pelos nomes que seu pai os havia chamado. Gerar, em hebraico, significa "região" ou "lugar do pernoite". Era a principal cidade dos filisteus, na época de Abraão e de Isaque, e estava localizada na fronteira sul da Filístia, não muito distante da cidade de Gaza. Abraão a visitou após a destruição de Sodoma (Gên. 20:1), assim como fez também Isaque, quando houve uma seca no restante de Canaã (Gên. 26:1). Era uma região fértil e bem regada. Foi nessa região que ocorreu a sede do primeiro reino filisteu que se conhece na história. Ficava entre os desertos de Cade e de Sur. No que diz respeito à sua localização perto de Gaza e Bersebá, ver Gên. 10:19 ,20:1 e 26:1,26. Nos dias de Abraão, seus habitantes eram aguerridos e dedicados ao pastoreio.
GEN 26:19 E os servos de Isaque cavaram no vale, e acharam ali um poço de águas vivas.
GEN 26:20 E os pastores de Gerar brigaram com os pastores de Isaque, dizendo: A água é nossa: por isso chamou o nome do poço Eseque, porque haviam brigado com ele. Os reis dessa cidade desejaram as esposas de Abraão e Isaque sem ter conhecimento disto, pois eles as apresentarem como suas irmãs.(apesar que abraão era meio irmão de sara) Tal fato ocorreu devido ao receio de morrerem, pois os reis locais tinham poderes absolutos sobre todas as mulheres, tanto do local quanto das que entrassem em seus domínios. Caso o marido dessas mulher não concordasse, poderia facilmente morrer e sua mulher ser incorporada no harém real sem contestação. Neste caso, foram mentiras arriscadas, mas salvaram-lhes a vida.
GEN 26:21 E abriram outro poço, e também brigaram sobre ele: e chamou seu nome Sitna.
GEN 26:22 E apartou-se dali, e abriu outro poço, e não brigaram sobre ele: e chamou seu nome Reobote, e disse: Porque agora nos fez alargar o SENHOR e frutificaremos na terra.
GEN 26:23 E dali subiu a Berseba.
GEN 26:24 E apareceu-lhe o SENHOR aquela noite, e disse: Eu sou o Deus de Abraão teu pai: não temas, que eu sou contigo, e eu te abençoarei, e multiplicarei tua descendência por causa do meu servo Abraão.
GEN 26:25 E edificou ali um altar, e invocou o nome do SENHOR, e estendeu ali sua tenda: e abriram ali os servos de Isaque um poço.
GEN 26:26 E Abimeleque veio a ele desde Gerar, e Auzate, amigo seu, e Ficol, capitão de seu exército. Gerar tem sido identificada com o Tell Abu Hureirah, cerca de quinze quilômetros a sudeste de Gaza e a pouco mais de vinte e quatro quilômetros a noroeste de Bersebá. Tell Jemmeh tem sido também identificado como o local da antiga Gerar. Essa fica um pouco mais perto da orla marítima. Vários objetos ali encontrados indicam que era um lugar rico, provavelmente localizado em uma lucrativa rota de caravanas.
O bíblico vale de Gerar(Gênesis 26:17) provavelmente é o moderno Uádi el-Jerdr.
GEN 26:27 E disse-lhes Isaque: Por que vindes a mim, pois que haveis me odiado, e me expulsastes dentre vós?
GEN 26:28 E eles responderam: Vimos que o SENHOR é contigo; e dissemos: Haja agora juramento entre nós, entre nós e ti, e faremos aliança contigo:
GEN 26:29 Que não nos faças mal, como nós não te tocamos,  como somente te fizemos bem, e te enviamos em paz: tu agora, bendito do SENHOR.
GEN 26:30 Então ele lhes fez banquete, e comeram e beberam.
GEN 26:31 E se levantaram de madrugada, e juraram um ao outro; e Isaque os despediu, e eles se partiram dele em paz. Isaque assim como Abraão, entendiam que matar não é a resposta, os filisteus estavam em guerra contra os hebreus, existia duras disputas entre eles, e Abimeleque entendia que se lutasse contra Isaque, estariam lutando também contra Deus.
GEN 26:32 E naquele dia sucedeu que vieram os criados de Isaque, e deram-lhe notícias acerca do poço que haviam aberto, e lhe disseram: Achamos água.
GEN 26:33 E chamou-o Seba: por cuja causa o nome daquela cidade é Berseba até hoje.
GEN 26:34 E quando Esaú foi de quarenta anos, tomou por mulher a Judite filha de Beeri heteu, e a Basemate filha de Elom heteu: Esaú desobedecia as leis de Deus, ele não planejava continuar a fé que Abraão tinha desenvolvido, o fato é que ele casou-se com duas mulheres, praticando a poligamia, e ainda por cima, sua esposa era uma estrangeira, portanto uma pagã, os descendentes de Esaú cresceriam ouvindo e crendo em divindades estrangeiras, e isso era motivo de preocupação para Rebeca e Isaque, antes, ele havia envergonhado e menosprezado a tradição de sua família, ao vender sua primogenitura, e depois faria coisa pior, e traindo seu povo, entendemos que por mais que Isaque desse sua benção, Deus não estaria com ele.
GEN 26:35 E foram amargura de espírito a Isaque e a Rebeca. 

Notas e referencias de pesquisas


- Segue os créditos a Blive, responsável pelo comitê de tradução da Bíblia livre.
- Os comentários são sempre escritos em negrito.  
- Todas as referencias externas, serão demonstradas aqui, se houver.  
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, teólogo e arqueólogo bíblico pela Faculdade de teologia nacional de São Lourenço MG. 
- Referencia externa, Gerar, Enciclopédia livre.

 Ajude a divulgar o Reflexões Cristãs, compartilhe nossas postagens nas redes sociais, duvidas e sugestões, deixe nos comentários.

Lucas Ajudarte
De Abraão a Jacó (Bíblia comentada - Gênesis 25)

Introdução a Gênesis 25 comentado


A vida do patriarca Abraão chega a seu fim, agora Gênesis 25 comentado, expõe a historia de Isaque, Jacó e Rebeca e o inicio de uma grande rivalidade, os edomitas e os israelitas, de certa forma, o favoritismo que os pais depositam em alguns filhos, é prejudicial na criação de uma família, e Gênesis 25 exibe esse contexto.

Jacó vende sua primogenitura
Jacó e Esaú - Gênesis 25


Gênesis 25 comentado

GEN 25:1 E Abraão tomou outra mulher, cujo nome foi Quetura;
GEN 25:2 A qual lhe deu à luz a Zinrã, e a Jocsã, e a Medã, e a Midiã, e a Jisbaque, e a Suá.
GEN 25:3 E Jocsã gerou a Seba, e a Dedã: e filhos de Dedã foram Assurim, e Letusim, e Leummim.
GEN 25:4 E filhos de Midiã: Efá, e Efer, e Enoque, e Abida, e Elda. Todos estes foram filhos de Quetura. Abraão teve apenas um filho com Sara sua esposa, é de certa forma estranho, o fato de mesmo velho, ele ter tido diversos filhos, sobre a questão da sexualidade, após a morte da esposa, a bíblia não impede que as pessoas casem-se novamente, mas ela aconselha a não fazer, pelo simples fato que a unica esposa verdadeira, é sua primeira esposa, as demais, são todas concubinas, e exiladas de ter o direito a um marido, a unica esposa de Abraão é Sará.
GEN 25:5 Mas Abraão deu tudo quanto tinha a Isaque.
GEN 25:6 E aos filhos de suas concubinas deu Abraão presentes, e enviou-os para longe de Isaque seu filho, enquanto ele vivia, até o oriente, à terra oriental. Abraão era submisso a Sara, mesmo após a sua morte, ele respeitava a soberania de Isaque, e também sabia que era velho, e seus filhos poderiam iniciar disputas ferozes por poder, e pelos bens de Abraão, sabendo da possibilidade, ele envia seus filhos para bem longe, afim de garantir a paz.
GEN 25:7 E estes foram os dias de vida que viveu Abraão: cento e setenta e cinco anos.
GEN 25:8 E expirou, e morreu Abraão em boa velhice, ancião e cheio de dias e foi unido a seu povo.
GEN 25:9 E sepultaram-no Isaque e Ismael seus filhos na caverna de Macpela, na propriedade de Efrom, filho de Zoar Heteu, que está em frente de Manre;
GEN 25:10 Herança que comprou Abraão dos filhos de Hete; ali foi Abraão sepultado, e Sara sua mulher. Abraão morreu e foi sepultado junto a Sara, viveram juntos sua vida, e combateram um bom combate, agora se uniria a ela, na eternidade, a historia de um homem de fé, de certa forma, Abraão não foi nenhum Jesus Cristo, ele não era incaível e limpo de pecado, mas nunca deixou de ser sincero com Deus, e o seguiu para onde Deus o enviou, após o diluvio Abraão seria o primeiro a conquistar grandemente o coração de Deus, ele foi o profeta por traz do monoteísmo, Gênesis 25 agora, tem como ponto de partida, a morte de Abraão e a transição das promessas de Deus a Isaque. 
GEN 25:11 E sucedeu, depois de morto Abraão, que Deus abençoou a Isaque seu filho: e habitou Isaque junto a Beer-Laai-Roi. A região fica de Beer-Laai-Roi fica entre Cades e Berede, ao oriente de Israel, em direção ao Sinai.
GEN 25:12 E estas são as gerações de Ismael, filho de Abraão, que lhe deu à luz Agar egípcia, serva de Sara:
GEN 25:13 Estes, pois, são os nomes dos filhos de Ismael, por seus nomes, por suas linhagens: O primogênito de Ismael, Nebaiote; logo Quedar, e Adbeel, e Mibsão,
GEN 25:14 E Misma, e Dumá, e Massá,
GEN 25:15 Hadade, e Tema, e Jetur, e Nafis, e Quedemá.
GEN 25:16 Estes são os filhos de Ismael, e estes seus nomes por suas vilas e por seus acampamentos; doze príncipes por suas famílias.
GEN 25:17 E estes foram os anos da vida de Ismael, cento e trinta e sete anos: e expirou Ismael, e morreu; e foi unido a seu povo. Acho importante citar que Ismael e Isaque, viveram em paz, cito como exemplo o fato que em Gênesis 25 citar que Isaque e Ismael o enterraram, e não é citado os demais filhos que teve com Quetura, a rivalidade não seguiu os irmãos durante suas vidas, o que não ocorre nos dias de hoje, pois os filhos de Ismael e Isaque, guerreiam um com o outro duramente. 
GEN 25:18 E habitaram desde Havilá até Sur, que está em frente do Egito vindo a Assíria; e morreu em presença de todos os seus irmãos.
GEN 25:19 E estas são as gerações de Isaque, filho de Abraão. Abraão gerou a Isaque:
GEN 25:20 E era Isaque de quarenta anos quando tomou por mulher a Rebeca, filha de Betuel arameu de Padã-Arã, irmã de Labão arameu.
GEN 25:21 E orou Isaque ao SENHOR por sua mulher, que era estéril; e aceitou-o o SENHOR, e concebeu Rebeca sua mulher.
GEN 25:22 E os filhos se combatiam dentro dela; e disse: Se é assim para que vivo eu? E foi consultar ao SENHOR. É curioso que todas as três mulheres dos patriarcas, isto é, Sara, Rebeca e Raquel, eram inférteis , não sabe-se o proposito desses eventos, pode ser associado ao poder sobrenatural de Deus, onde não nasceria nada na visão carnal, é de mãos sobrenatural.
GEN 25:23 E respondeu-lhe o SENHOR: Duas nações há em teu ventre, E dois povos serão divididos desde tuas entranhas: E um povo será mais forte que o outro povo, e o maior servirá ao menor.
GEN 25:24 E quando se cumpriram seus dias para dar à luz, eis que havia gêmeos em seu ventre.
GEN 25:25 E saiu o primeiro ruivo, e todo ele peludo como uma veste; e chamaram seu nome Esaú. 
GEN 25:26 E depois saiu seu irmão, pegando com sua mão o calcanhar de Esaú: e foi chamado seu nome Jacó. E era Isaque de idade de sessenta anos quando ela os deu à luz. De certa forma o Esaú e Jacó, profetizam as lutas entre Edomitas e Israelenses, um são descendentes de Esaú e outro de Jacó, esses que viveriam futuramente, lutas ferozes e cruéis,  em Números 20, narra o povo de Israel solicitando passagem pelas terras de Edom, o que foi rejeitado pelo rei de Edom, culminando numa feroz guerra entre Israel e Edom.
GEN 25:27 E cresceram os meninos, e Esaú foi hábil na caça, homem do campo: Jacó porém era homem quieto, que habitava em tendas. 
GEN 25:28 E amou Isaque a Esaú, porque comia de sua caça; mas Rebeca amava a Jacó. O fato de Jacó ficar mais nas tendas e ser mais quieto do que Esaú, faz naturalmente que Rebeca o amasse mais, pois dessa forma, existe mais contato entre os dois, e Jacó portanto seria mais influenciado por sua mãe, ao contrario de Esaú e Isaque, que por ser um caçador, teria mais contato com seu pai, e seria seu pai, quem mais o influenciasse, ao analisar o contexto, vemos que Rebeca zelava por bons valores, e era uma mulher de Deus, e isso de certa forma, interferiria na escolha de Jacó por Deus, a mulher é quem influencia seu filho, seja para o bem, ou para o mal.
GEN 25:29 E cozinhou Jacó um guisado; e voltando Esaú do campo cansado,
GEN 25:30 Disse a Jacó: Rogo-te que me dês a comer disso vermelho, pois estou muito cansado. Portanto foi chamado seu nome Edom.
GEN 25:31 E Jacó respondeu: Vende-me neste dia tua primogenitura.
GEN 25:32 Então disse Esaú: Eis que vou morrer; para que, pois, me servirá a primogenitura?
GEN 25:33 E disse Jacó: Jura-me hoje. E ele lhe jurou, e vendeu a Jacó sua primogenitura.
GEN 25:34 Então Jacó deu a Esaú pão e do guisado das lentilhas; e ele comeu e bebeu, e levantou-se, e foi-se. Assim menosprezou Esaú a primogenitura. A primogenitura é algo muito importante, na época, definia quem ficaria com os bens dos pais, ou mesmo quem seria o líder de seus demais familiares, e Esaú a desprezaria, vemos nas duas figuras, um aventureiro e guerreiro, o outro uma pessoa mais estabelecida e que vivia sua vida com mais cuidado, a pessoa que escolhe a vida como um aventureiro acaba cometendo mais erros, em nossas aventuras, corremos riscos de errarmos, perdermos e viver de acordo com os riscos e assumimos essas fatalidades, por outro lado, as pessoas que vivem como Jacó, na defensiva, estão sempre a porta, para assumir o poder.

Notas e referencias de pesquisas

- Segue os créditos a Blive, responsável pelo comitê de tradução da Bíblia livre. 
- Os comentários são sempre escritos em negrito. 
- Todas as referencias externas, serão demonstradas aqui, se houver. 
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, teólogo e arqueólogo bíblico pela Faculdade de teologia nacional de São Lourenço MG.

 Ajude a divulgar o Reflexões Cristãs, compartilhe nossas postagens nas redes sociais, duvidas e sugestões, deixe nos comentários.

Lucas Ajudarte
Isaque e Sara (Bíblia comentada - Gênesis 24)

Introdução a Gênesis 24 comentado


Uma esposa para Isaque, com essa missão o servo de Abraão parti a Caldeia, Gênesis 24 comentado é o inicio da jornada de Isaque e Rebeca juntos, ele agora continuaria os passos de seu pai, ao mesmo tempo Rebeca supre a falta que Sara faz ao patriarca Isaque.

Isaque e Sara, um casamento de Deus
Gênesis 24 e o casamento de Sara e Isaque

Gênesis 24 comentado


GEN 24:1 E Abraão era velho, e cheio de dias; e o SENHOR havia abençoado a Abraão em tudo.
GEN 24:2 E disse Abraão a um criado seu, o mais velho de sua casa, que era o que governava em tudo o que tinha: Põe agora tua mão debaixo de minha coxa,
GEN 24:3 E te juramentarei pelo SENHOR, Deus dos céus e Deus da terra, que não tomarás mulher para meu filho das filhas dos cananeus, entre os quais eu habito; Abraão foi abençoado por Deus, mas agora já estava velho, e por revelação sabia que é preciso preparar o caminho para a sua partida, então precisou chamar seu servo mais amado, para que o fizesse uma missão, que seria procurar uma esposa para Isaque, isto é, alguém que não estava em seu meio, pois Abraão reprovava os costumes pecaminosos das pessoas da Canaã, temos que entender que estava sendo desenvolvida o plano para criar Israel, ou seja uma nação de Deus.
GEN 24:4 Em vez disso irás à minha terra e à minha parentela, e tomarás mulher para meu filho Isaque.
GEN 24:5 E o criado lhe respondeu: Talvez a mulher não queira vir atrás de mim a esta terra; farei voltar, pois, teu filho à terra de onde saíste?
GEN 24:6 E Abraão lhe disse: Guarda-te que não faças voltar a meu filho ali. Uma possível razão para que Abraão casa-se com Sara, a sua irmã, pode ser que o costume dos outros povos eram muito pecaminosos e por conta disso, houve a decisão de casar-se com alguém de sua própria casa, como sua meio irma Sara, temos que entender que mesmo em nossas vidas, se eu como cristão, tomo como mulher uma esposa uma mulher incrédula, e que tem costumes consumir drogas, ou gosta de ir a baladas e outros costumes que não é igual ao meu estilo de vida.
GEN 24:7 O SENHOR, Deus dos céus, que me tomou da casa de meu pai e da terra de minha parentela, e me falou e me jurou, dizendo: À tua descendência darei esta terra; ele enviará seu anjo diante de ti, e tu tomarás dali mulher para meu filho.
GEN 24:8 E se a mulher não quiser vir atrás de ti, serás livre deste meu juramento; somente que não faças voltar ali a meu filho. Abraão tinha de certa forma medo que seu filho fosse até sua antiga terra, creio que por varias razões, ele era seu único herdeiro, e uma viagem dessas poderia tornar-se perigosa, ou mesmo, Abraão não confiava em seus antigos parentes, e por isso quis precaver, para que nada de ruim possa acontecer a seu herdeiro, outra razão, é que Abraão estava velho, e tinha medo de morrer longe de seu filho.
GEN 24:9 Então o criado pôs sua mão debaixo da coxa de Abraão seu senhor, e jurou-lhe sobre este negócio.
GEN 24:10 E o criado tomou dez camelos dos camelos de seu senhor, e foi-se, pois tinha à sua disposição todos os bens de seu senhor: e posto em caminho, chegou à Mesopotâmia, à cidade de Naor. O tamanho da autoridade que o criado de Abraão tinha, era grande, basicamente, ele tomava conta das coisas de seu mestre, até que Isaque, estivesse pronto para uma decisão grande como essa, o servo de Abraão, também adorava ao Deus verdadeiro, veremos isso nos versos seguintes.
GEN 24:11 E fez ajoelhar os camelos fora da cidade, junto a um poço de água, à hora da tarde, à hora em que saem as moças por água.
GEN 24:12 E disse: SENHOR, Deus de meu senhor Abraão, dá-me, te rogo, o ter hoje bom encontro, e faze misericórdia com meu senhor Abraão.
GEN 24:13 Eis que eu estou junto à fonte de água, e as filhas dos homens desta cidade saem por água: O servo, usou algo conhecido como "voz profética", de certa forma Deus o respondia, o próprio fato de Abraão ter confiança nele, mostra que ele com certeza tinha bons costumes, o que faz sentido que Abraão não tinha uma fé restrita a si mesmo, e sim pregava e demonstrava o Deus verdadeiro, fazendo portanto discípulos, e difundindo suas crenças, a outros povos e ao seu próprio interesse.
GEN 24:14 Seja, pois, que a moça a quem eu disser: Baixa teu cântaro, te rogo, para que eu beba; e ela responder: Bebe, e também darei de beber a teus camelos: que seja esta a que tu destinaste para teu servo Isaque; e nisto conhecerei que haverás feito misericórdia com meu senhor. Rebeca mostra um valor que, nos permite pensar um motivo para Abraão não querer uma mulher de Canaã, sempre que Abraão e mais tarde Isaque, foram para regiões desconhecidas, eles geralmente diziam sobre suas mulheres: é minha irmã!, isso deve-se pelo fato de ambos saberem que nas regiões onde iam, as pessoas não tinha praticas básicas de homens de Deus, como tratar bem o estrangeiro, ou seja a hospitalidade, eles temiam ser mortos, vejo portanto, que Rebeca tinha valores de uma mulher com Deus no coração, ao servir pessoas desconhecidas, temos que ter em mentes, que temos que tratar as pessoas como gostaríamos de ser tratados, independente da cor, raça, religião ou nação, temos que ser justos com todos, e prezar pela paz.
GEN 24:15 E aconteceu que antes que ele acabasse de falar, eis que Rebeca, que havia nascido a Betuel, filho de Milca, mulher de Naor irmão de Abraão, a qual saía com seu cântaro sobre seu ombro.
GEN 24:16 E a moça era de muito belo aspecto, virgem, à que homem não havia conhecido; a qual desceu à fonte, e encheu seu cântaro, e se voltava. A virgindade é algo que no meio hebreu era visto como importante para uma mulher solteira, o que aparentemente, não tinha grande valor no meio cananeu, um exemplo é o fato de mais tarde um cananeu estuprar uma das filhas de Jacó (veremos nos próximos capítulos), não houve nenhum remorso no meio cananeu pelo ato, eles levaram na naturalidade, ao contrario dos filhos de Israel, que mataram toda a cidade, por conta da desonra de sua irmã.
GEN 24:17 Então o criado correu até ela, e disse: Rogo-te que me dês a beber um pouco de água de teu cântaro.
GEN 24:18 E ela respondeu: Bebe, meu senhor; e apressou-se a baixar seu cântaro sobre sua mão, e lhe deu a beber.
GEN 24:19 E quando acabou de dar-lhe de beber, disse: Também para teus camelos tirarei água, até que acabem de beber.
GEN 24:20 E apressou-se, e esvaziou seu cântaro no bebedouro, e correu outra vez ao poço para tirar água, e tirou para todos os seus camelos.
GEN 24:21 E o homem estava maravilhado dela, permanecendo calado, para saber se o SENHOR havia prosperado ou não sua viagem. O servo de Abraão tinha uma experiencia com Deus, de certa forma, a bíblia não menciona seu nome, muito menos sua historia, mas ele tinha um conhecimento e uma historia de fé, embora não seja narrada.
GEN 24:22 E foi que quando os camelos acabaram de beber, presenteou-lhe o homem um pendente de ouro que pesava meio siclo, e dois braceletes que pesavam dez;
GEN 24:23 E disse: De quem és filha? Rogo-te me digas, há lugar em casa de teu pai onde possamos passar a noite?
GEN 24:24 E ela respondeu: Sou filha de Betuel, filho de Milca, o qual deu à luz ela a Naor.
GEN 24:25 E acrescentou: Também há em nossa casa palha e muita forragem, e lugar para passar a noite.
GEN 24:26 O homem então se inclinou, e adorou ao SENHOR. Deus fez o servo de Abraão prosperar, em sua procura, de certa forma ele teve fé, e a fé de Abraão o acompanhava, quando temos uma vida em santidade e adoramos a Deus, de certa forma contagia o ambiente, ou seja, as pessoas em sua volta, dessa forma, seus empregados, patrões, colegas de escolas, até mesmo seus inimigos, podem tornar-se pessoas melhores, por conta de seu exemplo.
GEN 24:27 E disse: Bendito seja o SENHOR, Deus de meu senhor Abraão, que não afastou sua misericórdia e sua verdade de meu senhor, guiando-me o SENHOR no caminho à casa dos irmãos de meu senhor.
GEN 24:28 E a moça correu, e fez saber na casa de sua mãe estas coisas.
GEN 24:29 E Rebeca tinha um irmão que se chamava Labão, o qual correu fora ao homem, à fonte;
GEN 24:30 E foi que quando viu o pendente e os braceletes nas mãos de sua irmã, que dizia, Assim me falou aquele homem; veio a ele: e eis que estava junto aos camelos à fonte.
GEN 24:31 E disse-lhe: Vem, bendito do SENHOR; por que estás fora? eu limpei a casa, e o lugar para os camelos.
GEN 24:32 Então o homem veio à casa, e Labão desatou os camelos; e deu-lhes palha e forragem, e água para lavar os pés dele, e os pés dos homens que com ele vinham.
GEN 24:33 E puseram diante dele comida; mas ele disse: Não comerei até que tenha dito minha mensagem. E ele lhe disse: Fala. A movimentação do servo de Abraão é defensiva, ele sabe que independente do povo, ele é um estrangeiro, e deve tomar cuidado, o fato de falar antes de comer, mostra, que tem uma reivindicação, e quer ser ouvido, pois deixar com que Labão tome as rédias, das coisas, pode ser perigoso para a sua missão, embora Labão faz algo comum no meio hebreu, assim como Rebeca, os familiares de Abraão, defendiam bons costumes, sabemos que eles não eram monoteístas, e não adoravam Jeová como único Deus, e sim, acreditavam que existia um Deus, mas acreditavam em outras divindades também , pode-se dizer que eram deístas.
GEN 24:34 Então disse: Eu sou criado de Abraão;
GEN 24:35 E o SENHOR abençoou muito a meu senhor, e ele se engrandeceu: e lhe deu ovelhas e vacas, prata e ouro, servos e servas, camelos e asnos.
GEN 24:36 E Sara, mulher de meu senhor, deu à luz em sua velhice um filho a meu senhor, quem lhe deu tudo quanto tem.
GEN 24:37 E meu senhor me fez jurar, dizendo: Não tomarás mulher para meu filho das filhas dos cananeus, em cuja terra habito;
GEN 24:38 Em vez disso irás à casa de meu pai, e à minha parentela, e tomarás mulher para meu filho. Ur Kaśdim ( אוּר כַּשְׂדִּים ʾūr kaśdīm ), comumente traduzido como Ur dos Caldeus , é uma cidade mencionada na Bíblia Hebraica como o local de nascimento do patriarca israelita e ismaelita Abraão . Em 1862, Henry Rawlinson identificou Ur Kaśdim com Tell el-Muqayyar , perto de Nasiriyah, no sul do Iraque .  Em 1927, Leonard Woolley escavou o local e identificou-o como um sítio arqueológico sumério onde os caldeus se estabeleceriam em torno do século IX aC. Trabalhos recentes de arqueologia continuaram a enfocar a localização em Nasiriyah, onde está localizado o antigo Zigurate de Ur .
GEN 24:39 E eu disse: Talvez a mulher não queira me seguir.
GEN 24:40 Então ele me respondeu: O SENHOR, em cuja presença tenho andado, enviará seu anjo contigo, e fará teu caminho ser bem-sucedido; e tomarás mulher para meu filho de minha linhagem e da casa de meu pai; Um anjo que abre caminho, o curioso é que já houveram algumas passagens de anjos, até esse contexto, Gênesis 6, e teve o caso de Sodoma em Gênesis 19, mas agora é dito num sentido diferente, o anjo não apresentou-se visivelmente, ele ficou no imaterial, no sobrenatural, uma frase que todos já houviam alguma vez, é: "Deus criou todas as coisas visíveis e invisíveis" essa frase está escrita em Colossenses 1:16,  e nos permite entender que existe uma guerra espiritual, o contexto do livro de Jó, nos permite entender também essa luta invisível, que não sabemos como proceder em lutas espirituais, é nesse momento que temos que buscar a Deus. Pois se nossos inimigos são espíritos invisíveis, nossa saída é invisível também.
GEN 24:41 Então serás livre de meu juramento, quando houveres chegado à minha linhagem; e se não a derem a ti, serás livre de meu juramento.
GEN 24:42 Cheguei, pois, hoje à fonte, e disse: SENHOR, Deus de meu senhor Abraão, se tu fazes bem-sucedido agora meu caminho pelo qual ando; 
GEN 24:43 Eis que eu estou junto à fonte de água; seja, pois, que a virgem que sair por água, à qual disser: Dá-me de beber, te rogo, um pouco de água de teu cântaro;
GEN 24:44 E ela me responder, Bebe tu, e também para teus camelos tirarei água: esta seja a mulher que destinou o SENHOR para o filho de meu senhor.
GEN 24:45 E antes que acabasse de falar em meu coração, eis que Rebeca saía com seu cântaro sobre seu ombro; e desceu à fonte, e tirou água; e lhe disse: Rogo-te que me dês de beber.
GEN 24:46 E prontamente baixou seu cântaro de cima de si, e disse: Bebe, e também a teus camelos darei a beber. E bebi, e deu também de beber a meus camelos.
GEN 24:47 Então lhe perguntei, e disse: De quem és filha? E ela respondeu: Filha de Betuel, filho de Naor, que Milca lhe deu. Então pus nela um pendente sobre seu nariz, e braceletes sobre suas mãos;
GEN 24:48 E inclinei-me, e adorei ao SENHOR, e bendisse ao SENHOR, Deus de meu senhor Abraão, que me havia guiado pelo caminho de verdade para tomar a filha do irmão de meu senhor para seu filho. 
GEN 24:49 Agora, pois, se vós fazeis misericórdia e verdade com meu senhor, declarai-o a mim; e se não, declarai-o a mim; e irei embora à direita ou à esquerda.
GEN 24:50 Então Labão e Betuel responderam e disseram: Do SENHOR saiu isto; não podemos falar-te mal nem bem. Betuel também era parente de Abraão assim como Labão, e o Deus de Abraão era contigo, Labão e Betuel não poderiam impedir a vontade de Deus, e a Betuel era revelado, o fato de Abraão e Isaque não ter se apresentado a seus familiares, e apenas enviado um servo, é naturalmente visto como desconfiança, é dever de Labão proteger os seus.
GEN 24:51 Eis aí Rebeca diante de ti; toma-a e vai-te, e seja mulher do filho de teu senhor, como o disse o SENHOR.
GEN 24:52 E foi, que quando o criado de Abraão ouviu suas palavras, inclinou-se à terra ao SENHOR.
GEN 24:53 E o criado tirou objetos de prata, objetos de ouro e roupas, e deu a Rebeca: também deu coisas preciosas a seu irmão e a sua mãe.
GEN 24:54 E comeram e beberam ele e os homens que vinham com ele, e dormiram; e levantando-se de manhã, disse: Autorizai-me voltar a meu senhor.
GEN 24:55 Então respondeu seu irmão e sua mãe: Espere a moça conosco ao menos dez dias, e depois irá.
GEN 24:56 E ele lhes disse: Não me detenhais, pois que o SENHOR fez prosperar meu caminho; despede-me para que me vá a meu senhor.
GEN 24:57 Eles responderam então: Chamemos a moça e perguntemos a ela.
GEN 24:58 E chamaram a Rebeca, e disseram-lhe: Irás tu com este homem? E ela respondeu: Sim, irei. Um fato importante, é que antigamente, é normal  que os casamentos fossem arranjados, e a vontade dos casados não era seguida, Rebeca foi consultada e escolheu casar-se com Isaque, sua vontade foi seguida, e isso é importante, para compreendermos a autonomia da mulher na escolha das coisas relevantes em sua vida.
GEN 24:59 Então deixaram ir a Rebeca sua irmã, e à sua criada, e ao criado de Abraão e a seus homens.
GEN 24:60 E abençoaram a Rebeca, e disseram-lhe: És nossa irmã; sejas em milhares de milhares, e tua geração possua a porta de seus inimigos.
GEN 24:61 Levantou-se então Rebeca e suas moças, e subiram sobre os camelos, e seguiram ao homem; e o criado tomou a Rebeca, e foi embora.
GEN 24:62 E vinha Isaque do poço do Vivente que me vê; porque ele habitava na terra do Sul;
GEN 24:63 E havia saído Isaque a orar ao campo, à hora da tarde; e levantando seus olhos, olhou, e eis os camelos que vinham.
GEN 24:64 Rebeca também levantou seus olhos, e viu a Isaque, e desceu do camelo;
GEN 24:65 Porque havia perguntado ao criado: Quem é este homem que vem pelo campo até nós? E o servo havia respondido: Este é meu senhor. Ela então tomou o véu, e cobriu-se.
GEN 24:66 Então o criado contou a Isaque tudo o que havia feito. 
GEN 24:67 E trouxe-a Isaque à tenda de sua mãe Sara, e tomou a Rebeca por mulher; e amou-a: e consolou-se Isaque depois da morte de sua mãe. Foi após a morte de Sara, e Rebeca casou-se com Isaque, e ele a amou desde o primeiro momento, e foi consolado após a morte de sua mãe, a vida do ser humano é um ciclo, filhos com o tempo tornam-se pais, pais tornam-se avós, e depois vemos o que o futuro tem para nós, um ciclo natural e vicioso, que apenas caminhando para uma eternidade.

Notas e referencias de pesquisas


- Segue os créditos a Blive, responsável pelo comitê de tradução da Bíblia livre.
- Os comentários são sempre escritos em negrito.
- Todas as referencias externas, serão demonstradas aqui, se houver.
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, teólogo e arqueólogo bíblico pela Faculdade de teologia nacional de São Lourenço MG.
- Referencia externa, Ur of the Chaldees, Enciclopédia livre.
- Referencia interna, Gênesis 22 comentado.

 Ajude a divulgar o Reflexões Cristãs, compartilhe nossas postagens nas redes sociais, duvidas e sugestões, deixe nos comentários.

Lucas Ajudarte
Sexto mandamento - Não tire uma vida!
Introdução ao sexto mandamento 
A ideia bíblica para o sexto mandamento, isto é, "...não matarás...", é simples e direta, um cristão, lavado e remido pelo sangue de Jesus, não compactua com a ideia de que, matar é a resposta, ou seja, a bíblia nos ensina, a sermos próvida, ou seja, nossa posição sempre deve, ser contraria a questões como aborto, pena de morte, ou simplesmente caminhos, que nos levam a guerras, o cristão deve acima de tudo pregar Jesus, e zelar pela paz. 
Matar não é a resposta - Sexto mandamento
Matar não é a resposta - Sexto mandamento
O sexto mandamento é curto. "Não matarás." Ratsach , a palavra hebraica usada aqui para "matar", é mais apropriadamente traduzida como "assassinato". Nas 46 vezes que a palavra é usada no Antigo Testamento, quase todo uso carrega um senso de maldade intencional, vingança de sangue e assassinato, uma sensação de desordem para aqueles que nos rodeiam. O sexto mandamento nos ordena a não cruzar o direito de outra pessoa à vida. Nós não estamos a intencionalmente prejudicar. Devemos pesar outra pessoa pesada; nós não devemos pesar-lhes a luz.
Este comando não é interpretado como uma proibição contra o abate de animais ou peixe para alimentação, mas proíbe danos aos animais por causa do mal. Esta lei proíbe toda tortura, desordem ou dano que atravesse o direito à existência.
Esta é uma lei complicada porque o sexto mandamento tem tantas ramificações. Eu leio Levítico 19 hoje, e você pode ver que Levítico expande a lei em termos verbais: "Não subirás e descerás a calúnia da terra". O comando é expandido.

A interpretação de Jesus ao sexto mandamento

Se isso é verdade na expansão da lei no Antigo Testamento, ela se torna ainda mais intensificada no cumprimento da lei no Novo Testamento. A grande expansão desta lei é "amarás o teu próximo como a ti mesmo". Esse é o grande ponto positivo do comando, e isso levanta muitos problemas diferentes.
No Sermão da Montanha, em Mateus 5 , Jesus decidiu se apossar dessa lei e fazer sua própria expansão de Levítico 19. Ele detalha ainda mais sobre o que significaria subir e descer as calúnias da terra. Ouvimos a expansão de nosso Senhor em um texto famoso, Mateus 5:21 , ligeiramente parafraseado (como todas as citações bíblicas citadas): "Vocês ouviram o que dissemos antigamente: 'Vocês não devem matar. Quem mata será sujeito a julgamento, 'mas eu digo a você, todo aquele que está zangado com o irmão dele será sujeito a julgamento.' "
Jesus agora intensificou isso muito além de qualquer coisa que tenhamos imaginado. Podemos ter pensado: "Essa é uma lei que eu não violei. Eu não matei ninguém", mas você pesou a pessoa pesada? Você cruzou de outras maneiras? O Sermão da Montanha intensificou grandemente o sexto mandamento: "Mas eu lhe digo que qualquer um que esteja zangado com seu irmão (irmã) estará sujeito a julgamento. Novamente, qualquer um que diga a seu irmão (irmã) 'Raca' é responsável para o sinédrio, mas qualquer um que diga: "Seu tolo!" estará em perigo do fogo do inferno. "Portanto, se você está oferecendo seu presente no altar e lembre-se de que seu irmão tem algo contra você, deixe seu presente lá na frente do altar. Primeiro vá e reconcilie-se com seu irmão; então venha e ofereça seu presente ".
Observe nosso Senhor levantando a parte lembrando da Lei: "Lembre-se do modo como Deus fez a terra. Lembre-se da criação, e agora lembre-se da distorção quando virmos uma distorção da lei. Seja reconciliado com seu irmão ou irmã e faça sua oferta, venha e dê seu presente ". Esse é o Sermão da Montanha do nosso Senhor.

 A interpretação de Paulo ao sexto mandamento

O apóstolo Paulo faz a mesma coisa. Em Romanos 12 , ele pega o Sermão do Nosso Senhor no Monte para nos ajudar a entender o que Jesus quis dizer. Jesus disse que se alguém lhe bater em uma das bochechas, mantenha sua posição e faça isso com estilo - vire a outra face. Em Romanos 12:14, Paulo diz: "Abençoe aqueles que te perseguem; abençoe e não amaldiçoe". Paul está reconhecendo um tipo de ciclo vicioso que acontece com maldição e raiva, e ele diz que devemos entrar nesse ciclo vicioso abençoando-os, não amaldiçoando.
No versículo 15, ele diz: "Alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram". Parece que Paulo está dizendo que deveríamos tentar entender de onde a outra pessoa está vindo - onde eles estão feridos, onde está sua dor, onde está o júbilo. "Vivam em harmonia uns com os outros. Não sejam orgulhosos, mas estejam dispostos a se associar com pessoas de baixa posição. Não sejam vaidosos. Não retribuam a ninguém o mal pelo mal. Tenha cuidado para fazer o que é certo aos olhos de todos. Se É possível, na medida em que depender de você, viver em paz com todos.Não se vingue, meus amigos, mas deixe espaço para a ira de Deus, pois está escrito: "É meu a vingança; eu vou pagar". diz o Senhor ". Ouça este incrível final: "Se o seu inimigo estiver com fome, alimente-o. Se ele estiver com sede, dê-lhe algo para beber."
Paulo esforça-se para trabalhar na fonte da ira, a fonte da ira - às vezes evitando a ira porque uma pessoa está faminta, talvez faminta emocionalmente, mas faminta por alguma coisa - algum novo alimento. "Então", ele diz, "dê a eles". Então ele cita o Livro dos Provérbios: "Ao fazer isso, você acumulará brasas na cabeça dele". Ele não significa fogo para prejudicar, mas fogo para romper as conchas, aquecer e dar esperança. "Não seja vencido pelo mal, mas supere o mal com o bem." No capítulo 13, Paulo continua: "Que nenhuma dívida continue pendente, exceto a contínua dívida de amar uns aos outros, pois quem ama o próximo cumpriu a lei".

O sexto mandamento é cumprido pelo amor

Todos os mandamentos sobre não matar ou cometer adultério ou roubar ou cobiçar são preenchidos pelo amor. Observe a grande simplificação do apóstolo Paulo. Nosso Senhor faz a grande simplificação no Sermão da Montanha, e Paulo também faz isso. Todos os mandamentos e qualquer outro mandamento são resumidos nesta frase: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo". O amor não faz mal ao próximo; portanto, o amor está cumprindo a lei. Fazer mal ao próximo é o que o sexto mandamento realmente significa. Não é só assassinato. É maldade intencional, atravessando o vizinho e os direitos do vizinho, a vida do próximo. Este não é um comando simples. Este mandamento toca muitos problemas hoje em dia.
"Não deverás ratsach " - não vingarás, passarás sobre o direito do próximo à existência - é agora um enorme comando. Traz todos os tipos de questões sociais, como as gradações e as definições do próprio assassinato. Na lei ocidental, o assassinato é definido em um amplo espectro: primeiro grau, premeditação, homicídio culposo e assassinato em segundo grau. "Tu não ratsach " é uma questão complexa. Em outras palavras, todos os graus de maldade que prejudicam nossos vizinhos estão sob este sexto comando.
Suicídio, no qual nos prejudicamos, em que nos consideramos leves demais e decidimos que não merecemos viver - esse comando também é contra isso. Suicídio é assassinato do eu. Não temos o direito de fazer isso. Nós não podemos tirar a nossa própria vida. Nós não podemos tirar a vida de outra pessoa. Não podemos julgar o direito de outra pessoa à existência ou nosso próprio direito à existência. Isso traz à tona as enormes questões da eutanásia, o término das gravidezes problemáticas, da guerra e da pena capital quando a comunidade ganha vida. Essas são questões complicadas, todas trazidas pelo sexto mandamento.
Nosso Senhor entendeu como esse comando se espalhou em muitas direções. Ele nos mostra como uma estratégia de esperança e reconciliação pode acontecer no meio da tragédia neste comando. E há tragédia no sexto mandamento; admite que nos prejudicamos mutuamente. Jesus não está satisfeito em simplesmente mostrar os limites desse mal e nos avisar. Ele nos mostra uma estratégia. Ele diz que se você está no caminho com uma oferta, e descobre que seu vizinho, irmão ou irmã, tem algo contra você, então faça as pazes com aquele vizinho. Conciliar.
A propósito, a palavra conciliar em grego é katallasso , que significa "trazer um novo elemento para uma antiga crise". Um novo elemento causa uma mudança nessa crise. É um catalisador. Esse novo elemento é o amor que Jesus nos dá. Jesus nos dá uma estratégia do bem, uma estratégia de amor diante da tragédia que está por trás do sexto mandamento.

 Considerações finais sobre o sexto mandamento

 Entendo que o sexto mandamento é algo que deve ser observado, e seguido o primeiro homicídio da historia ocorreu ainda cedo, no Gênesis, onde Caim matou Abel, e escolheu desta forma, que matar é a resposta para os problemas, mas também pode ser associado a Judas que suicidou-se e portanto cometeu suicídio, o que é o mesmo de um assassinato, de certa forma, o soldado Doss que virou personagem do cinema, em "Até o ultimo homem", mostrou um exemplo de seguimento das leis de Deus, o homem escolhe matar, seja por dinheiro, território, mulheres, entre outras coisas, mas essa jamais deve ser a opinião de um cristão.

Obrigado por ler esse estudo bíblico, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba motivacionais pelo whatsapp (19)993702148.

Lucas Ajudarte