Jacó luta contra o anjo (Bíblia comentada - Gênesis 32)

Introdução a Genesis 32 comentado


Uma batalha contra homens e contra Deus, Genesis 32 comentado, mostra a coragem de Jacó, ele buscaria sua benção pessoal, que não seria algo furtado ou conseguido de forma criminosa, ele conseguiu a benção de Isaque, enganando seu próprio pai, e agora em busca de sua benção legitima, ele confrontaria o anjo de Deus, em busca da presença de Deus em sua vida, agora Jacó torna-se Israel.

Representação artística de Jacó vs Anjo
Representação artística de Jacó vs Anjo


Genesis 32 comentado


GEN 32:1 E Jacó se foi seu caminho, e saíram-lhe ao encontro anjos de Deus.
GEN 32:2 E disse Jacó quando os viu: Este é o acampamento de Deus; e chamou o nome daquele lugar Maanaim. Maanaim (em hebraico: מחנים, "dois campos") é um lugar próximo a Jaboque, mencionado diversas vezes na bíblia. Sua localização exata é muito incerta, sendo que os dados bíblicos são inconclusivos. Apesar de dois possíveis locais terem sido identificados, o mais amplamente aceito estima-o a aproximadamente dez milhas a leste do rio Jordão. O outro está localizado nove milhas a mais do montante no rio Jaboque em si. Maanaim foi na mesma área geral de Jabes-Gileade.
O local é mencionado pela primeira vez a bíblia como o lugar onde Jacó, retornando de Padã-Arã para o sul de Canaã, teve uma visão de anjos (Gênesis 32:2). A concepção de Jacó de que aquele lugar fosse "o campo de Deus", o levou a chamá-lo de Maanaim - Dois Campos ou Duas Companhias, para lembrar a ocasião do compartilhamento de sua própria compania com o lugar de Deus. Mais tarde na história, Jacó é movido pelo medo com a aproximação de seu irmão (o qual tinha razões para temer) e como resultado, sua comitiva foi dividida em duas tropas (duas companhias), daí a cidade construída no local levou como nome duas tropas. Isto é considerado como um caso claro de etimologia popular para o nome do local, pela maioria dos acadêmicos críticos, e, embora a forma do nome parecer ser dupla (duas, dois ...), desta forma muitos estudiosos nos dias de hoje preferem considerar a terminação neste caso como uma adulteração de um encerramento mais breve. Do ponto de vista dos acadêmicos críticos, o nome do lugar era originalmente tropa e isto e a presença dos anjos na história é pensado, em vez de derivar de Maanaim ter sido um santuário de tempos muito antigos. Segundo a narrativa bíblica, tornou-se uma cidade levítica (Josué 13:26, Josué 13:30, Josué 21:38; 1 Crônicas 6:80), embora de acordo com estudiosos críticos tinha sido sempre uma cidade associada com a santidade.
GEN 32:3 E enviou Jacó mensageiros diante de si a Esaú seu irmão, à terra de Seir, campo de Edom.
GEN 32:4 E mandou-lhes dizendo: Assim direis a mim senhor Esaú: Assim diz teu servo Jacó: Com Labão morei, e detive-me até agora;  Monte Seir (hebraico:הַר-שֵׂעִיר‎; Har Se'ir) formava a fronteira sul-leste de Edom e Judá, e também pode repercutir a antiga e histórica fronteira do Egito e Canaã[1]. Ele foi a região montanhosa repartida aos descendentes de Esaú, os Edomitas. O Monte Seir é especificamente observado como o lugar em que Esaú construiu sua casa (Gênesis 36:8; Josué 24:4), e onde os israelitas teriam rodeado antes de entrarem na Terra Prometida (Deuteronômio 2:1). Ele foi nomeado para Seir, o horeu, cujos filhos habitavam a terra (Gênesis 36:20). Os filhos de Esaú lutaram contra os horeus e os destruíram (Deuteronômio 2:12).
GEN 32:5 E tenho vacas, e asnos, e ovelhas, e servos, e servas; e envio a dizê-lo a meu senhor, para achar favor em teus olhos. O Asno (nome científico: Equus africanus asinus) é uma subespécie doméstica do Asno-selvagem-africano. É um mamífero perissodáctilo da família Equidae, cujo nome popular é jumento, jegue, jerico, burro ou ainda asno-doméstico. De tamanho médio(conforme a raça), focinho e orelhas compridas, é utilizado desde a Pré-história como animal de carga. Os ancestrais selvagens dos asnos foram domesticados por volta de 5 000 a.C., praticamente ao mesmo tempo que os cavalos, e, desde então, têm sido utilizados pelos homens como animais de carga e montaria.
GEN 32:6 E os mensageiros voltaram a Jacó, dizendo: Viemos a teu irmão Esaú, e ele também veio a receber-te, e quatrocentos homens com ele. Antes de mais nada, temos que entender, que 400 homens para recebe-lo, é uma ação que parece uma recepção para guerra, naturalmente Jacó temeria, no passado Esaú tinha interesse na morte de seu irmão, por conta do "roubo da benção", o tempo entretanto costuma mudar formas de pensamento, ele é um aliado a criar cicatrizes e refrescar os desejos de nossas mentes. Esaú pode ter seu coração amolecido pelo tempo distante de seu irmão, e velo com seus filhos, Jacó estava decidido e arriscaria tudo pela reconciliação.
GEN 32:7 Então Jacó teve grande temor, e angustiou-se; e partiu o povo que tinha consigo, e as ovelhas e as vacas e os camelos, em dois grupos;
GEN 32:8 E disse: Se vier Esaú a um grupo e o ferir, o outro grupo escapará.
GEN 32:9 E disse Jacó: Deus de meu pai Abraão, e Deus de meu pai Isaque, o SENHOR, que me disseste: Volta-te à tua terra e à tua parentela, e eu te farei bem. 
GEN 32:10 Menor sou que todas as misericórdias, e que toda a verdade que usaste para com teu servo; que com meu bordão passei este Jordão, e agora estou sobre dois grupos.
GEN 32:11 Livra-me agora da mão de meu irmão, da mão de Esaú, porque o temo; não venha talvez, e me fira a mãe com os filhos. 
GEN 32:12 E tu disseste: Eu te farei bem, e tornarei tua descendência como a areia do mar, que não se pode contar de tão numerosa. Deus chamou Jacó para retornar a sua parentela, é a ele que o patriarca recorria suas orações, ele sabia dos perigos que encontraria, ele saiu das mãos de Labão, e agora quer se salvar das mãos de Esaú, apenas Deus poderia transformar o coração de seu irmão. Em diversas passagens Deus promete multiplicar os descendentes de Abraão e agorá fazia uma aliança com Jacó, era missão dele continuar o plano de nação de Deus na terra.
GEN 32:13 E dormiu ali aquela noite, e tomou do que lhe veio à mão um presente para seu irmão Esaú.
GEN 32:14 Duzentas cabras e vinte machos de bode, duzentas ovelhas e vinte carneiros,
GEN 32:15 Trinta camelas de cria, com seus filhotes, quarenta vacas e dez novilhos, vinte asnas e dez jumentos.
GEN 32:16 E entregou-o em mão de seus servos, cada manada à parte; e disse a seus servos: Passai diante de mim, e ponde espaço entre manada e manada.
GEN 32:17 E mandou ao primeiro, dizendo: Se meu irmão Esaú te encontrar, e te perguntar, dizendo De quem és? E: Para onde vais? E: para quem é isto que levas diante de ti?
GEN 32:18 Então dirás: Presente é de teu servo Jacó, que envia a meu senhor Esaú; e eis que também ele vem atrás de nós.
GEN 32:19 E mandou também ao segundo, e ao terceiro, e a todos os que iam atrás aquelas manadas, dizendo: Conforme isto falareis a Esaú, quando o achardes.
GEN 32:20 E direis também: Eis que teu servo Jacó vem atrás de nós. Porque disse: Apaziguarei sua ira com o presente que vai adiante de mim, e depois verei seu rosto; talvez lhe serei aceito. Jacó em busca da paz, tentava amolecer o coração de Esaú, de certa forma, ele agora tentaria "comprar a paz", mas isso vai além disso, ele mostrava-se submissão a seu irmão,  e aceitação de seu domínio, nesse momento Esaú era mais forte que Jacó, e ele perderia se ambos lutassem entre si, então Jacó tentaria a instauração da paz, daria presentes a seu irmão, e aproximaria-se com um discurso pacifista.
GEN 32:21 E passou o presente adiante dele; e ele dormiu aquela noite no acampamento.
GEN 32:22 E levantou-se aquela noite, e tomou suas duas mulheres, e suas duas servas, e seus onze filhos, e passou o vau de Jaboque. Vau de Jaboque significa um local raso do Rio Jaboque, onde era possível atravessar sem maiores dificuldades. Jaboque é um afluente do Rio Jordão com aproximadamente 100 quilômetros de extensão. O vau de Jaboque ficou conhecido na Bíblia principalmente por ter sido o local onde Jacó lutou e foi abençoado por Deus.
Na atualidade o Rio Jaboque é chamado de Nahr Ez-Zarpa, que significa “rio azul”. Esse significado indica a tonalidade azulada de suas águas. Jaboque flui através de desfiladeiros profundos e acidentados. Por isto também é comum a expressão “vale de Jaboque”.
Por causa da geografia da área em que se localiza o Rio Jaboque, sua correnteza em alguns pontos é consideravelmente forte, principalmente na estação das chuvas. Para se ter uma ideia, as águas do Jaboque descem de mais de 500 metros de altitude até cerca de 30 metros abaixo do nível do mar.
A região por onde se estende parte do Rio Jaboque formava um tipo de fronteira natural no território dos amorreus dividido pelos reinos de Seom, de Hesbom, e Ogue, de Basã. Naquela área também ficava a fronteira oeste dos amonitas (cf. Deuteronômio 3:16).
Do tempo dos patriarcas, Esaú e Jacó tiveram livre acesso para passar pelo Jaboque. Mais tarde, sob a liderança de Moisés, o povo de Israel conquistou aquelas terras, e o Jaboque constituiu um dos limites do território desapossado pelos israelitas (Números 21:24; Deuteronômio 2:37; 3:16; Josué 12:2; Juízes 11:13,22).
GEN 32:23 Tomou-os, pois, e passou-os o ribeiro, e fez passar o que tinha. 
GEN 32:24 E ficou Jacó sozinho, e lutou com ele um homem até que raiava a alva.
GEN 32:25 E quando viu que não podia com ele, tocou no lugar da juntura de sua coxa, e desconjuntou-se a coxa de Jacó enquanto com ele lutava. A citação "...e lutou com ele um homem...", ao analisar o texto de Genesis 32, chegamos a conclusão que Jacó lutava contra um anjo, a bíblia cita que esses seres espirituais, são homens, embora não possuam sexualidade como a nossa, vemos em Genesis 6 que eles podem ser sexuados, embora não tenham sido feitos para esses propósitos.
GEN 32:26 E disse: Deixa-me, que raia a alva. E ele disse: Não te deixarei, se não me abençoares.
GEN 32:27 E ele lhe disse: Qual é teu nome? E ele respondeu: Jacó.
GEN 32:28 E ele disse: Não se dirá mais teu nome Jacó, mas sim Israel: porque lutaste com Deus e com os homens, e venceste. Deus muda o nome de Jacó para Israel, o homem é na verdade um anjo de Deus, e também uma teofania do Eterno, o conceito de teofania é muito amplo, Teofania substantivo feminino rel aparição ou revelação da divindade; manifestação de Deus. Teofania é um conceito de cunho teológico que significa a manifestação de Deus em algum lugar, coisa ou pessoa. Tem sua etimologia enraizada na língua grega: "theopháneia" ou "theophanía"
GEN 32:29 Então Jacó lhe perguntou, e disse: Declara-me agora teu nome. E ele respondeu: Por que perguntas por meu nome? E abençoou-o ali.
GEN 32:30 E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel: porque vi a Deus face a face, e foi livrada minha alma. Tinha-se o conceito que o homem que ver Deus face a face, morreria, era um conceito comum, na antiguidade, de certa forma, vemos manifestações relativas a essa na bíblia, temos exemplos de pessoas que olharam para dentro da arca da aliança e morreram, em Samuel 2 por exemplo, o simples fato de tocar na arca, resultou na morte de Uza, Deus é santo, e nem todos os seres humanos resistem a essa presença.
GEN 32:31 E saiu-lhe o sol quando passou a Peniel; e andava mancando de sua coxa.
GEN 32:32 Por isto até o dia de hoje os filhos de Israel não comem do tendão que se contrai, o qual está na juntura da coxa; porque o homem tocou a Jacó este lugar de sua coxa no tendão que se contrai.

Notas de referencias de pesquisa


- Segue os créditos a Blive, responsável pelo comitê de tradução da Bíblia livre. 
- Os comentários são sempre escritos em negrito.   
- Todas as referencias externas, serão demonstradas aqui, se houver.   
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, teólogo e arqueólogo bíblico pela Faculdade de teologia nacional de São Lourenço MG.
- Referencia interna, Jesus, a teofania de Deus.

Compartilhe essa postagem com seus amigos e familiares, receba reflexões cristãs por whatsapp (19) 993702148.