José, um profeta de Deus (Bíblia comentada - Gênesis 40)

Introdução a Genesis 40 comentado


Um "profeta" ou mesmo um "vidente", José leva consigo o Espirito Santo até as terras do Egito, Genesis 40 comentado, é onde José revela os sonhos dos egípcios, quando estamos na pior, nem sempre temos amigos ou aliados fortes ao nosso lado, mas isso é apenas no plano carnal, no plano espiritual, temos um Deus que pode todas as coisas.

José, um profeta de Deus (Bíblia comentada - Gênesis 40)
José, o revelador de sonhos - Genesis 40


Genesis 40 comentado


GEN 40:1 E aconteceu depois destas coisas, que o copeiro do rei do Egito e o padeiro transgrediram contra seu senhor o rei do Egito.
GEN 40:2 E irou-se Faraó contra seus dois eunucos, contra o principal dos copeiros, e contra o principal dos padeiros:  Eunuco é um homem castrado, que teve os testículos e/ou o pênis removidos. No sentido figurado o termo é usado com o significado de “estéril”, “impotente”, “fraco” ou “inútil”. No Oriente Médio e na China, o eunuco era o guarda encarregado de cuidar dos haréns, local da casa reservado às esposas e odaliscas. Para se tornar eunuco, o homem guardião era escolhido pela sua incapacidade sexual, que poderia ser causada por um problema congênito ou por ter sido sujeito à castração.
Houve um período na História em que se fazia a castração nos meninos entre 8 e 10 anos de idade para impedir a mudança de voz e que se tornassem cantores com voz feminina. “Castrato” era como se designava esse tipo de cantor ("castrati", no plural). Fo só em 1902 que o Papa Leão XIII proibiu essa prática.
Na seguinte passagem da Bíblia, Jesus faz referência a três tipos de eunucos:
“Porque há eunucos que nasceram assim; e há eunucos que pelos homens foram feitos tais; e outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus. Quem pode aceitar isso, aceite-o.” (Mateus, 19:12)
Além dos eunucos que já nasceram com esse tipo de problema e os que foram castrados por outros homens, Jesus fala sobre um outro tipo de eunuco: aquele que praticava o celibato para se dedicar exclusivamente à vida religiosa, ao reino dos céus.
GEN 40:3 E os pôs em prisão na casa do capitão dos da guarda, na casa do cárcere onde José estava preso.
GEN 40:4 E o capitão dos da guarda deu responsabilidade deles a José, e ele lhes servia: e estiveram dias na prisão.
GEN 40:5 E ambos, o copeiro e o padeiro do rei do Egito, que estavam detidos na prisão, viram um sonho, cada um seu sonho em uma mesma noite, cada um conforme a declaração de seu sonho.
GEN 40:6 E veio a eles José pela manhã, e olhou-os, e eis que estavam tristes.
GEN 40:7 E ele perguntou àqueles oficiais de Faraó, que estavam com ele na prisão da casa de seu senhor, dizendo: Por que parecem hoje mal vossos semblantes?
GEN 40:8 E eles lhe disseram: Tivemos um sonho, e não há quem o declare. Então lhes disse José: Não são de Deus as interpretações? Contai-o a mim agora. Entre os egípcios eram normal o costume de interpretar sonhos, eles tinham videntes e pessoas que eram designadas para esse proposito, José não era um pagão, e sim um adorador do Deus vivo, das mãos do Senhor viria qualquer resposta, lembrando que toda pratica de ocultismo é proibida na bíblia, mas existe uma diferença entre "adivinhos", "cartomantes" e "profetas" e "videntes", são praticas diferentes, os profetas, também conhecidos como videntes, são figuras que por estarem em comunhão de Deus, são usadas por Deus, sendo revestidas do Espirito Santo para fazer determinadas ações, essas ações por vezes não são méritos da pessoa e sim de Deus.
GEN 40:9 Então o chefe dos copeiros contou seu sonho a José, e disse-lhe: Eu sonhava que via uma vide diante de mim,
GEN 40:10 E na vide três sarmentos; e ela como que brotava, e surgia sua flor, vindo a amadurecer seus cachos de uvas:
GEN 40:11 E que o copo de Faraó estava em minha mão, e tomava eu as uvas, e as espremia no copo de Faraó, e dava eu o copo em mão de Faraó.
GEN 40:12 E disse-lhe José: Esta é sua declaração: Os três sarmentos são três dias:
GEN 40:13 Ao fim de três dias Faraó te fará levantar a cabeça, e te restituirá a teu posto: e darás o copo a Faraó em sua mão, como costumavas quando eras seu copeiro.
GEN 40:14 Lembra-te, pois, de mim para contigo quando tiveres esse bem, e rogo-te que uses comigo de misericórdia, e faças menção de mim a Faraó, e me tires desta prisão: José revela os sonhos ao servo de Faraó, e dessa forma trabalharia agora, para um plano maior, ele seria revelado como um verdadeiro profeta, e seria conhecido entre os egípcios, como um homem que carrega em si o Espirito Santo de Deus, e seria feito justiça.
GEN 40:15 Porque furtado fui da terra dos hebreus; e tampouco fiz aqui para que me houvessem de pôr no cárcere.
GEN 40:16 E vendo o chefe dos padeiros que havia interpretado para o bem, disse a José: Também eu sonhava que via três cestos brancos sobre minha cabeça;
GEN 40:17 E no cesto mais alto havia de todos os alimentos de Faraó, obra de padeiro; e que as aves as comiam do cesto de sobre minha cabeça.
GEN 40:18 Então respondeu José, e disse: Esta é sua declaração: Os três cestos três dias são;
GEN 40:19 Ao fim de três dias tirará Faraó tua cabeça de sobre ti, e te fará enforcar na forca, e as aves comerão tua carne de sobre ti.
GEN 40:20 E foi o terceiro dia o dia do aniversário de Faraó, e fez banquete a todos os seus servos: e levantou a cabeça do chefe dos copeiros, e a cabeça do chefe dos padeiros, entre seus servos.
GEN 40:21 E fez voltar a seu ofício ao chefe dos copeiros; e deu ele o copo em mão de Faraó. Antes de mais nada, para prosseguirmos ao próximo capitulo comentado, onde abordaremos muito a figura de Faraó, e o que ele representara daqui para frente, temos que entender que, Faraó era a designação (título) atribuído aos reis (com estatuto de deuses) no Antigo Egito. Tem sua origem imediata do latim tardio Pharăo -onis, por sua vez do grego Φαραώ e este do hebraico Par῾ōh, termo de origem egípcia que significava propriamente "casa elevada", indicando inicialmente o palácio real. O termo, na realidade, não era muito utilizado pelos próprios egípcios. No entanto, devido à inclusão deste título na Bíblia, mais especificamente no livro do "Êxodo", os historiadores modernos adotaram o vocábulo e generalizaram-no, um equívoco. Seu adjetivo é o faraônico. Seu trono se chama trono faraônico (não real) (anti-nobiliarquia), um faraó é diferente por exemplo do rei da Espanha, haja vista isso até mesmo pelo seu adjetivo não ser o real e sim o faraônico. E pode ser súdito de um imperador por exemplo (apenas só por anexação - devido a sua natureza política); Devido ao que foi exposto acima se deduz que a posição de faraó, ainda que ele possa ser súdito ou soberano, não faz parte da nobiliarquia.
A imagem que o grande público tem, vem, em grande parte, daquela que nos é dada pelas grandes produções cinematográficas (pepluns) de Hollywood - os chamados filmes bíblicos dos anos 1950, nos quais o faraó aparece como um monarca todo poderoso que governa de modo absoluto, rodeado de uma corte de servos e obrigando uma multidão de escravos a construir monumentos em sua honra - como nos filmes Land of the Pharaohs (A Terra dos Faraós de Howard Hawks, 1955) ou em The Ten Commandments ("Os Dez Mandamentos" de Cecil B. DeMille, 1956).
Mas, ainda que muitos dos faraós tenham sido, sem dúvida, déspotas - a ideia da monarquia absoluta tem aqui os seus primórdios - a verdade é que este termo abrange uma grande variedade de governantes, de índoles e interesses diversos. Em cerca de três mil anos de tradição faraônica, passaram pelo trono do Egito homens (e algumas mulheres) com aspirações bem diferentes. Desde os misteriosos construtores das pirâmides de Gizé, ao poeta místico Aquenáton, passando pelo lendário Ramsés II, encontramos toda uma diversidade de indivíduos que, no seu conjunto, governaram uma das mais influentes civilizações da história por um longo tempo. Após essas informações sobre Faraó, entenderemos melhor o significado dele, nas passagens posteriores que ele estará em evidencia.
GEN 40:22 Mas fez enforcar ao principal dos padeiros, como lhe havia declarado José.
GEN 40:23 E o chefe dos copeiros não se lembrou de José, ao invés disso lhe esqueceu.

Notas e referencias de pesquisas


- Segue os créditos a Blive, responsável pelo comitê de tradução da Bíblia livre.     
- Os comentários são sempre escritos em negrito.         
- Todas as referencias externas, serão demonstradas aqui, se houver. - Referencia externa, Potifar, Enciclopédia livre.       
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, teólogo e arqueólogo bíblico pela Faculdade de teologia nacional de São Lourenço MG.

Compartilhe essa postagem com seus amigos e familiares, receba Reflexões Cristãs por whatsapp (19) 993702148.