O estupro de Diná (Bíblia comentada - Gênesis 34)

Introdução a Genesis 34 comentado


O estupro é algo terrível, e apenas alguém que sofreu com isso sabe o que significa na vida de uma pessoa, Gênesis 34 comentado narra o estupro de Diná, agora os moradores de Siquém verão a consequência do pecado.

O estupro de Diná - Genesis 34
O estupro de Diná - Gênesis 34


Genesis 34 comentado


GEN 34:1 E saiu Diná a filha de Lia, a qual esta havia dado a Jacó, para ver as mulheres nativas.
GEN 34:2 E viu-a Siquém, filho de Hamor heveu, príncipe daquela terra, e tomou-a, e deitou-se com ela, e a desonrou. Diná foi visitar as mulheres nativas, e logo viu a cultura na qual eles estavam sujeitas, a cultura do estupro, a virgindade da mulher era algo pouco valorizado naquelas terras, os homens não esforçavam-se para preservar a ordem e a decência de suas famílias.
GEN 34:3 Mas sua alma se apegou a Diná a filha de Lia, e apaixonou-se pela moça, e falou ao coração da jovem.
GEN 34:4 E falou Siquém a Hamor seu pai, dizendo: Toma-me por mulher esta moça.
GEN 34:5 E ouviu Jacó que havia Siquém violado a Diná sua filha: e estando seus filhos com seu gado no campo, Jacó ficou em silêncio até que eles viessem. Jacó era um pacifista, mas não poderia deixar com que a situação ficasse sem punição, por outro lado ele era recém chegado na terra, e não era momento para disputa com habitantes locais, isso instigaria as nações e povos vizinhos a levantar-se contra os hebreus, e poderia resultar no fim da nação de Israel.
GEN 34:6 E dirigiu-se Hamor pai de Siquém a Jacó, para falar com ele.
GEN 34:7 E os filhos de Jacó vieram do campo quando o souberam; e se entristeceram os homens, e se irritaram muito, porque fez depravação em Israel por ter se deitado com a filha de Jacó, o que não se devia haver feito. Siquém é o nome de uma cidade bíblica do Antigo Testamento.
Foi em Siquém onde o patriarca Abraão ergueu o primeiro altar quando chegou na Terra Prometida de Canaã, junto ao carvalho de Moré. 
Séculos depois, o rei Jeroboão construiu a cidade de Siquém, que se encontrava numa região montanhosa, nas colinas de Efraim, onde ficou sendo, por pouco tempo, a sua capital e moradia. Mais tarde construiu Penuel. Jeroboão pensou da seguinte forma: Se eu não tiver cuidado, o povo pode requerer um descendente de Davi como seu rei. Quando forem a Jerusalém oferecer sacrifícios no templo, deixar-se-ão aliciar pelo rei de Judá, Roboão.
Segundo a arqueologia moderna, mas precisamente, o prof. Ernst Sellin, arqueólogo alemão, a localização de Siquém se dá num planalto entre os montes Garizim e Ebal (Samaria); próximo à aldeia de Askar, na Jordânia, estão localizadas as ruínas da antiga cidade de Siquém. Sellin encontrou os muros da cidade, denominados mais tarde pelos arqueólogos de "muros ciclópicos", uma alusão ao seu formato circundante.
GEN 34:8 E Hamor falou com eles, dizendo: A alma de meu filho Siquém se apegou à vossa filha; rogo-vos que a deis por mulher. Existe uma determinada crença pouco comum presente no meio pentecostal, que diz que um homem ao ter relação com uma determinada mulher (vive e versa) ele assume parte da personalidade da pessoa, por essa razão um homem e uma mulher devem ter apenas um único parceiro na vida, se a mulher ou homem estiver possuído por um espirito imundo, a outra pessoa da relação também fica sujeito a ter o mesmo espirito, o caso de Diná, nos permite entender que a alma de Siquém chamava por Diná, talvez tenha referencia com a crença, e de fato isso pode ser verdade.
GEN 34:9 E aparentai-vos conosco; dai-nos vossas filhas, e tomai vós as nossas.
GEN 34:10 E habitai conosco; porque a terra estará diante de vós; morai e negociai nela, e tomai nela possessão.
GEN 34:11 Siquém também disse a seu pai e a seus irmãos: Ache eu favor em vossos olhos, e darei o que me disserdes. Essa era uma situação arriscada no qual Jacó se envolvia, dizer não a um rei, era no minimo perigoso, Siquém estava convencido de tomar Diná se necessário, e nesse contexto começava a desenhar-se um conflito entre Siquém e Israel, é claro que o nome do personagem "Siquém" é apenas representativo para o filho de Hamor, da cidade de Siquém, como a maior parte do livro de Gênesis era preservado pela tradição oral, é natural que alguns nomes de pessoas e até mesmo cidade, fossem usado nomes simbólicos para facilitar a preservação da historia, como em Adão e Eva (Gênesis 2)
GEN 34:12 Aumentai muito a exigência de meu dote e presentes, que eu darei quanto me disserdes, e dá-me a moça por mulher.
GEN 34:13 E responderam os filhos de Jacó a Siquém e a Hamor seu pai com engano; e falaram, porquanto havia violado a sua irmã Diná.
GEN 34:14 E disseram-lhes: Não podemos fazer isto de dar nossa irmã a homem que tem prepúcio; porque entre nós é abominação. Os filhos de Jacó inventaram uma historia que curiosamente tornaria-se verdadeira mais tarde, na lei de Moisés realmente os hebreus eram proibidos de entregar suas filhas a homens que não possuíssem a circundação, o plano deles no entanto era conspiratório, eles planejavam algo contra Siquém e Hamor, ou mesmo o único plano era que Hamor desistisse da ideia, e não tomasse Diná por mulher, 
GEN 34:15 Mas com esta condição vos consentiremos: se haveis de ser como nós, que se circuncide entre vós todo homem;
GEN 34:16 Então vos daremos nossas filhas, e tomaremos nós as vossas; e habitaremos convosco, e seremos um povo.
GEN 34:17 Mas se não nos prestardes ouvido para vos circuncidar, tomaremos nossa filha, e nos iremos. Os filhos de Jacó falaram de união, e a instauração da paz, eles propunham que Israel e Siquém torna-se um só povo, é claro que isso era um plano maquiavélico contra Siquém, uma vez que Deus jamais atestaria uma união dessas, não era hora de unir-se com o povo de Canaã, e misturar-se os costumes dos hebreus e dos cananeus, isso resultaria em algo reprovável por Deus.
GEN 34:18 E pareceram bem seus palavras a Hamor e a Siquém, filho de Hamor.
GEN 34:19 E não tardou o jovem fazer aquilo, porque a filha de Jacó lhe havia agradado: e ele era o mais honrado de toda a casa de seu pai. Siquém era o mais honrado da casa de seu pai, e justamente ele era um estuprador! logo vemos a altura que estavam naquele povo cananeu, uma cultura de pecado, partindo próximo a de Sodoma e de Gomorra, que conforme Deus já havia decretado, seriam aniquilados quando o pecado total fosse consumado.
GEN 34:20 Então Hamor e Siquém seu filho vieram à porta de sua cidade, e falaram aos homens de sua cidade, dizendo:
GEN 34:21 Estes homens são pacíficos conosco, e habitarão no país, e comercializarão nele; pois eis que a terra é bastante ampla para eles; nós tomaremos suas filhas por mulheres, e lhes daremos as nossas. De 1975 o Od Yosef Chai (Hebraico: עוד יוסף חי José está vivo) Yeshiva trabalhou no sítio do túmulo de José em Siquém. O Rabi Yitzchak Ginsburg de Kfar Chabad serviu como seu Rosh Yeshiva (deão). Em outubro de 2000, manifestantes árabes tomaram o sítio e depredraram e vandalizaram a santidade do antigo túmulo. Conforme o Acordo de Oslo, os judeus deveriam ter livre acesso aos lugares sagrados em Áreas Palestinas e o Túmulo de José deveria permanecer sob o controle de Israel. O sítio ficou fora do alcance dos judeus ortodoxos desde os eventos de outubro de 2000. Desde novembro de 2007 a FDI tem proporcionado a entrada de judeus ao local para a participação de um evento mensal que ocorre à meia-noite.
GEN 34:22 Mas com esta condição nos estes homens consentirão em habitar conosco, para que sejamos um povo: se se circuncidar em nós todo homem, assim como eles são circuncidados.
GEN 34:23 Seus gados, e sua riqueza e todos seus animais, serão nossas; somente concordemos com eles, e habitarão conosco. A circunsidão era uma pequena cirurgia feita em todos os meninos judeus, que representava sua pertença ao povo judeu e à aliança de Deus. Quem não fosse circuncidado não era considerado judeu. A circuncisão foi um sinal estabelecido por Deus para o povo judeu. Quando o menino judeu tinha oito dias de vida, era realizada uma cerimônia onde se retirava um pequeno pedaço de pele, chamado prepúcio, do órgão genital masculino. Esse procedimento não causava danos físicos (em alguns casos até é bom para a saúde) mas servia como sinal que a criança pertencia ao povo de Deus. Ficaria sempre uma marca no seu corpo para lhe lembrar (Gênesis 17:12-13).
Deus estabeleceu a circuncisão quando fez Sua aliança com Abraão. Deus prometeu abençoar Abraão e ser seu Deus, se ele obedecesse aos Seus mandamentos. A circuncisão era um sinal que a pessoa era descendente de Abraão e também fazia parte da aliança (Gênesis 17:9-11).
GEN 34:24 E obedeceram a Hamor e a Siquém seu filho todos os que saíam pela porta da cidade, e circuncidaram a todo homem, dentre os que saíam pela porta de sua cidade.
GEN 34:25 E sucedeu que ao terceiro dia, quando sentiam eles a maior dor, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um sua espada, e vieram contra a cidade animosamente, e mataram a todo homem. Simeão e Levi puniram os cananeus, e destruirão todos os homens, isso refletiria com os povos vizinhos, agora Jacó teria muito com o que se preocupar, ele ganharia muitos inimigos, embora ele fosse pacifista, seus filhos demonstravam algo um pouco diferente, mas foi vontade de Deus, misturar os povos não era a sua vontade, os péssimos costumes do povo de Canaã, os filhos de Hamor por exemplo, o mais honroso era um estuprador, imagine o resto, a aniquilação de Siquém, foi algo que não era aprovado por Jacó, mas entendível pelo contexto atual.
GEN 34:26 E a Hamor e a seu filho Siquém mataram a fio de espada; e tomaram a Diná de casa de Siquém, e saíram.
GEN 34:27 E os filhos de Jacó vieram aos mortos e saquearam a cidade; porquanto haviam violado à sua irmã.
GEN 34:28 Tomaram suas ovelhas e vacas e seus asnos, e o que havia na cidade e no campo,
GEN 34:29 E todos os seus pertences; se levaram cativos a todos as suas crianças e suas mulheres, e roubaram tudo o que havia nas casas.
GEN 34:30 Então disse Jacó a Simeão e a Levi: Vós me perturbastes em fazer-me detestável aos moradores desta terra, os cananeus e os ferezeus; e tendo eu poucos homens, se juntarão contra mim, e me ferirão, e serei destruído eu e minha casa. Até essa altura os cananeus já eram bem conhecidos, agora os ferezeus, Os Ferezeus ou Perizeus (em hebraico: והפרזי) são um grupo de pessoas mencionado diversas vezes na bíblia como tendo habitado em Canaã antes da chegada dos Judeus. A bíblia menciona um grupo específico de pessoas que viveram na terra prometida por várias gerações, do tempo de Abraão (Gênesis 13:7) até o tempo de Esdras e Neemias (Esdras 9:1-2). Entretanto, o tempo durante o qual eles estavam principalmente em desacordo com o Reino de Israel parece ser o tempo de Josué no início do período de Juízes. Parecia que uma paz entre os Israelitas e os Ferezeus eventualmente seria possível, através do casamento misto e da conversão religiosa para a idolatria como sendo parte desta paz (Juízes 3:5-6, Esdras 9:1-2). De acordo com o Livro de Josué, os perizeus estavam localizados na região montanhosa de Judá e Efraim Eles foram escravizados por Salomão.
Suas origens, bem como origens raciais são desconhecidas. Há apenas uma menção extra-bíblica possível do perizeus que é o Pirati não identificado, que são encontrados em uma lista de vocabulário egípcio e existe uma possibilidade remota de que os perizeus podem ser encontrados em um fragmento de as cartas de Amarna.
É possível que seu nome tivesse uma aplicação generalizada: ou seja, ele se referia àqueles que viviam em aldeias (ao contrário de serem nômades), ou se referia àqueles cujas origens eram desconhecidas. Ou perizeus pode se referir a uma amálgama de vários povos.
GEN 34:31 E eles responderam Havia ele de tratar à nossa irmã como à uma prostituta?

Notas e referencias de leitura


- Segue os créditos a Blive, responsável pelo comitê de tradução da Bíblia livre.  
 - Os comentários são sempre escritos em negrito.    
 - Todas as referencias externas, serão demonstradas aqui, se houver.    
 - Os comentários são de Lucas Ajudarte, teólogo e arqueólogo bíblico pela Faculdade de teologia nacional de São Lourenço MG. 

Compartilhe essa postagem com seus amigos e familiares, receba Reflexões Cristãs por WhatsApp  (19) 993702148.