Orar pelos mortos, existem algum valor nesse ato?

As Escrituras nos ensinam que devemos orar pelos mortos? 


Uma das primeiras coisas que notei que a Bíblia ensina sobre oração é orar sempre que possível. O apóstolo Paulo diz: “Orem sem cessar” (1 Ts 5:17), mas isso não significa que oremos 24 horas por dia, 7 dias por semana, e evitamos dormir, comer ou trabalhar. Nós não viveríamos muito tempo fazendo isso, e não poderíamos nos sustentar sem trabalhar, então por que Paulo diz: “Ore sem cessar?” Uma melhor compreensão desse versículo é orar sempre que possível, sempre que puder e onde você puder; esperando no trânsito, na fila da loja e fazendo qualquer outra coisa durante o dia. Quando tiver oportunidade, use o tempo para orar. Esse é o contexto em que Paulo escreve isso.

As Escrituras nos ensinam que devemos orar pelos mortos?


O contexto disso é,“Seja sempre alegre. Orem sem cessar, dêem graças em todas as circunstâncias; pois esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para você ” (1 Ts 5: 16-18). É a vontade de Deus que oremos o mais rápido possível, e essas orações devem ser de agradecimento a Deus "em todas as circunstâncias" (as boas, as ruins e as feias), e orar sempre que possível, pois esse "é o vontade de Deus ” para nós. Jesus nos ordenou que orássemos de uma certa maneira, mas sempre para que a vontade de Deus fosse feita (Mt 6: 9-13). Devemos orar? Sim, e sempre que possível, mas e quanto a orar por aqueles que já morreram? Isso é bíblico?

Após a morte


O autor de Hebreus nos diz que "assim como é designado que o homem morra uma vez, e depois disso vem o julgamento" (Hb 9:27). Há um dia marcado para a morte de todos (Jó 8: 7; Salmo 39: 4; Ecl 3: 2), e é um julgamento único. Não diz que, após a morte, oramos por aqueles que estão mortos ... para "orá-los fora do inferno ou do purgatório", mas antes, após a morte, seu julgamento chega. Para aqueles que rejeitaram a Cristo por toda a vida, há apenas "uma terrível expectativa de julgamento e uma fúria de fogo que consumirá os adversários" (Hb 10:27). Isso significa que não há segunda chance de confiar no Senhor após a morte. A Escritura nunca ensina isso. Os que morrem na fé "podem ter confiança no dia do juízo" (1 João 4:17).

O Justo e o Injusto


O Profeta Daniel, ao escrever sobre a ressurreição dos justos e injustos, diz que “muitos dos que dormem no pó da terra acordarão, alguns para a vida eterna, e outros para a vergonha e o desprezo eterno” (Dan 12: 2 ), mas “os sábios brilharão como o brilho do céu acima; e aqueles que convertem muitos em justiça, como as estrelas para todo o sempre ” (Dn 12: 3). Nenhuma dessas pessoas que estavam em seus túmulos poderia ter alterado esse resultado. Eles foram salvos antes da morte ou não salvos antes da morte, e eles se elevarão à vergonha e desprezo eternos, sendo separados de Deus para sempre, ou eles se levantarão e se alegrarão, e estarão na presença do Senhor. O apóstolo Paulo estava muito certo sobre o que acontece com os crentes depois que eles morrem. Ele disse que“Somos de boa coragem e preferimos ficar longe do corpo e em casa com o Senhor ” (2 Cor 5: 8), mas também de “boa coragem [porque] sabemos que enquanto estamos em casa no corpo estamos longe do Senhor ” (2 Cor 5: 6).

O dia da salvação


Existem muitos ensinamentos diferentes sobre a vida após a morte, e a maior parte está errada. Somente a Bíblia nos mostra o que acontece com uma pessoa após a morte. Como ninguém sabe se a morte deles acontecerá hoje ou amanhã, a Bíblia enfatiza que “agora é o tempo favorável; eis que agora é o dia da salvação ” (2 Cor 6: 2b). Não diz, depois de hoje ou depois da morte, mas agora ... hoje é o dia da salvação. O autor de Hebreus nos adverte que "hoje, se você ouvir a voz dele, não endureça seu coração como na rebelião" (Hb 3:15). Como nosso coração se endurece? É suprimindo continuamente a voz ou convicção do Espírito Santo. Quanto mais vezes você rejeita a verdade, mais difícil fica ouvir "Sua voz" e acreditar na verdade. O apóstolo Paulo diz que"O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus" (Rm 8:16). Ele nos assegura que somos filhos de Deus, removendo a dúvida, mas para aqueles que estão continuamente reprimindo, rejeitando e depois desprezando o Espírito Santo e a Palavra de Deus revelada, mais difícil será para o Espírito “testemunhar ”Ao seu “ espírito ”de que você é um filho de Deus.

Ore pelos Trabalhadores


Jesus nunca nos ensina a orar por aqueles que estão mortos, mas por aqueles que vivem e ainda têm chance de confiar em Cristo. Jesus lidou com os mortos ... mas os estava levantando disso. Ele não os rezou de volta. Eles foram ressuscitados para a vida a fim de glorificar o Pai e o Filho de Deus (João 11). Jesus nos diz pelo que orar e isso tem a ver com os vivos. Ele diz: “A colheita é abundante, mas os trabalhadores são poucos. Portanto, ore fervorosamente ao Senhor da colheita para enviar trabalhadores para a sua colheita ” (Lucas 10: 2). Esses trabalhadores sairão e compartilharão de Cristo, não irão para as sepulturas e orarão pelos mortos. Aqueles que estão mortos não podem nem se arrepender e vir a Cristo. É tarde demais, pois hoje é o melhor dos dias para confiar no Salvador (2 Cor 6: 2).

Conclusão


Podemos orar por aqueles que perderam entes queridos que estão sofrendo por seus mortos. O luto pelos mortos é saudável e produtivo. Orar pelos mortos não é. Se você ora, ore por aqueles que você quer conhecer a Cristo e ser plenamente conhecido por Ele (João 10). Orem pelos vivos e não pelos mortos. De fato, os vivos são tão mortos quanto os enterrados no solo (Leia Efésios 1: 1-7), mas ainda há esperança para os vivos de que possam ser levados ao arrependimento e fé ... e a Ele, o Único e única maneira de ser salvo (Atos 4:12).

Obrigado por ler essa matéria, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba Reflexões Cristãs pelo WhatsApp (19)993702148.

Nenhum comentário