Se Jesus era Deus, porque Ele orava? - Reflexões Cristãs - Estudos e Mensagens Bíblicas Se Jesus era Deus, porque Ele orava?

Translate

Se Jesus era Deus, porque Ele orava?

Afinal se Jesus era de fato Deus, porque a bíblia relata que ele orava?

A divindade de Jesus é um dos temas mais claros e evidentes na bíblia, profetizado no velho testamento, e revelado no novo, como Deus feito homem, mas algumas perguntas são feitas e precisam ser respondidas, e uma das mais feitas a este blog, é se Jesus é Deus, porque Ele orava?

Porque essa pergunta sobre a divindade de Jesus é feita?

Um dos atributos da divindade é a onipotência, ou seja, o poder de fazer todas as coisas, a capacidade plena de ação, sem limitações nem fraquezas, mas orar é algo que contradiz isso, isso porque seres humanos oram, porque não são onipotentes, e sabendo de suas limitações, inclinam-se diante de Deus, pedindo suas necessidades e sonhos, ao mesmo tempo que o adoramos e louvamos.


Se Jesus era Deus, porque Ele orava?


Até por esse fato citado, essa pergunta precisa ser feita, para sabermos responder e entender quem é Jesus, ao mesmo tempo que poderemos entender melhor sobre o único Deus verdadeiro. Para chegarmos a uma resposta, precisamos entender três pontos relevantes sobre Jesus e a divindade.

O que é a oração ?

A oração conforme narrado na bíblia, podem ser visto como louvor e adoração a Deus (Atos 16:25). Assim como também é visto como uma conversa com Deus para os aflitos (Salmo 18: 6) e por ser um ato de adoração a Deus, se enquadra no primeiro mandamento, dado por Deus ao profeta Moisés, em Êxodo. Dessa forma precisamos entender todos os seres humanos estão sujeitos aos dez mandamentos, e a adoração precisa ser feita, para cumprimento da lei.

Em dias terrenos, Jesus era humano, e como humano sujeito a lei

Jesus nasceu em carne humana, com o objetivo de cumprir toda a lei, que até então jamais foi cumprida por ninguém, dessa forma Jesus estava como homem em vida, precisava cumprir também o primeiro mandamento, e por isso orava, representava a humanidade adorando a divindade, o homem sendo submisso a Deus, o filho se curvando ao pai, da forma que a lei pedia e assim Jesus fez.

"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz" 

👉 Filipenses 2:5-8.


Jesus completamente Deus, completamente homem

Este conceito muito difundido na teologia, é importante para entendermos a completa teofania de Deus, por meio de Jesus em sua fase humana, entendendo que Jesus era humano, ele teve fome (Mat 21:18), como Deus Jesus multiplicava os pães (Mat 6:30), como humano ele chorava, andava em um barco, como Deus trazia pessoas de volta a vida e andava sobre as aguas.

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. (João 1:1).


O que podemos concluir sobre os três pontos citados

Se Jesus era completamente humano, como homem estava sujeito a lei de Moises, e ao primeiro mandamento, e precisava orar, para nos mostrar o caminho, cumprindo toda lei e abrindo caminho para a salvação da humanidade por meio do evangelho da graça, pois como homem, viveu sem pecado, fazendo o que não conseguíamos, e morrendo sendo condenado, mesmo sendo justo, a morte de Cristo concluiu o plano de salvação, pois um homem foi justo, não merecia a morte, mas foi assassinado, condenado pela justiça humana.


Leia textos relacionados sobre a Unicidade de Deus:    

👉 O que é a Unicidade de Deus?

👉 O que a bíblia diz sobre a idolatria? 

👉 O significado da expressão filho de Deus.

👉 23 Versículos que provam a Unicidade de Deus.

👉 Jesus não é uma religião!

👉 Recomendo muito a leitura da revista " História Das Religiões Volume 2 - Religiões Monoteístas" que possui um forte valor histórico sobre o desenvolvimento do monoteísmo na historia, uma das mais completas enciclopédias do mundo.


 Este blog produz opiniões e textos independentes em uma perspectiva cristã com atualizações todos os domingos, Obrigado por ler esse artigo, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba as Reflexões Cristãs pelo WhatsApp ou Telegram (19) 993702148.

2 Comentários

  1. Muito bom o texto, me ajude com uma duvida, se Jesus é Deus porque ele morreu? se Deus é não morre

    ResponderExcluir
  2. Caros irmãos,
    na minha opinião, algo que precisa ser tocado nesse texto são os seguintes pontos: (1) O fato de o trono não ter ficado vazio quando a eterna palavra de Yahweh se fez carne; e (2) O fato do homem Jesus ter sido gerado pelo Espírito Santo, sem qualquer participação humana (Mateus 1:20).
    Salvo melhor juízo, tratam-se de verdades bíblicas que precisam ser esclarecidas para que o unicismo seja ainda mais claro como uma verdade bíblica irrefutável:
    1 - A seguinte passagem (entre outras) mostra que Yeshua e Yahweh são a mesmíssima e única pessoa, separados por +/- 33 anos, quando existiram, de fato, duas pessoas distintas: "Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que ESTÁ NO CÉU" (João 3:13). Jesus firmou que, naquele exato momento em que falava com Nicodemus, Ele estava NO CÉU, revelando-nos que Ele era o grande Yahweh.

    Obs: as duas pessoas distintas também estão reveladas na seguinte passagem: "E na vossa lei está também escrito que o testemunho de dois homens é verdadeiro. Eu sou o que testifico de mim mesmo, e de mim testifica também o Pai que me enviou" (João 8:17,18).

    2 - Jesus foi gerado pelo Espírito Santo, de sorte que Maria fez apenas a gestação do Filho de Deus, pois, se tivesse havido participação humana, Jesus teria nascido em pecado: "Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe" (Salmos 51:5).

    Obs: Jesus era, de fato, o segundo Adão, gerado sem pecado, como era o primeiro Adão: "Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, IMACULADO, SEPARADO DOS PECADORES, e feito mais sublime do que os céus" (Hebreus 7:26). Logo, Maria era a mãe adotiva de Jesus e não a "mãe de Deus" (como afirmam os hereges).

    Obs: com o fenômeno da "barriga de aluguel" fica claro perceber essa verdade, pois, se um embrião de um casal negro for colocado no ventre de uma mulher branca, a criança nascera negra, como os pais originais. e não branca, como a mãe adotiva

    Paz!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Reflexões Cristãs - Estudos e Mensagens Bíblicas