5 Fatos sobre o Imperador Constantino

Fatos sobre Constantino e seus feitos

Constantino I, também conhecido como Constantino Magno, o grande, foi um imperador romano, um dos mais renomados imperadores, é ele quem recebe o credito de ter "formulado" a bíblia e o cânon, também é creditado a ele a criação de determinadas crenças, como trindade, guarda do domingo, divindade de Jesus, e também a fama de ser o primeiro imperador Cristão, saberemos sobre os 5 fatos sobre a vida e morte de constantino, e sua importância na cristandade, seja negativa como positiva. Algumas verdades e mentiras serão expostas a todos.

Fatos sobre Constantino e seus feitos


#01 - Constantino criou a bíblia sagrada?

A resposta é simples, e objetiva, NÃO! 

Constantino nunca criou a bíblia, o que ele fez foi reconhecer alguns livros já amplamente usados, Constantino "legalizou" alguns livros para uso, ao mesmo tempo que outros livros que na época eram muito usados pelos cristãos e pelos judeus, foram extintos, Constantino queria uma força unificadora no meio cristão, e por conta disso, ele entendia que era importante filtrar os livros que seriam usados, ainda que ele conseguiu omitir alguns livros da bíblia, ele não foi capaz de adultera-la, ou mesmo criar uma bíblia própria, o que realmente ocorreu, é que o cânon formou-se baseado em "legalização" de Constantino, mas ele não teve papel na escolha dos livros.

O velho testamento era amplamente usado pelos judeus, seculos antes, existem muitos escritos mais antigos que Constantino, os evangelhos eram amplamente difundidos, como o livro de Lucas, que era conhecido em todo o mundo, onde o cristianismo já tinha estabelecido. Nenhum dos livros presentes dependeu de Constantino para entrar no cânon.

#02 - Constantino é quem criou a trindade?

Sim, Constantino foi quem estabeleceu a trindade na crença cristã, ele pegou uma filosofia de Tertuliano, um montanista conhecido até pouco tempo antes, era difícil conciliar a crença dos primeiros cristãos, e dos pagãos, como diz um velho ditado, não é possível agradar gregos e troianos, assim como cristãos e pagãos, em uma tentativa Constantino tentou fundir crenças pagãs ao cristianismo, uma dessas crenças, é o conceito de "tríades" que era comum em todo o mundo pagão antigo. 

Baseado nesse pensamento nasceu a teologia trinitária, e motivado ao uso dessa crença, decidiu-se usar um novo modelo batismal, o batismo em "nome do pai, e do filho, e do espirito santo" nasceu para fortalecer essa teologia.




#03 - Constantino implantou a divindade de Jesus?

Constantino implementou a trindade no seio do cristianismo, mas não criou a divindade de Jesus, o que ocorre é que existem as mais variáveis formas de entender a divindade de Jesus, o modelo trinitário até a época de Jesus, era que Deus pai, era maior que Jesus, que seria o Deus filho, que seria superior ao Espirito Santo, que completaria a família divina, muitos associaram a sua mãe, Maria como a rainha dos céus, dessa foma ela seria uma terceira pessoa da divindade, com o passar do tempo, essa linha perdeu força, e tornou-se a que existe hoje, 3 pessoas co-iguais e co-existentes.

Mas a divindade de Jesus é mais antiga que Constantino, antes mesmo no seculo II, a crença já era difundida pelo mundo, existem provas arqueológicas, como o Mosaico Milenar que diz: Deus Jesus Cristo.

O testemunho bíblico é irrefutável sobre a divindade de Jesus, não existe como negar essa verdade, existem evidencias históricas, que a igreja primitiva adotava essa crença, os próprios livros bíblicos dão a entender esse entendimento, embora em suas diversas variações.


#04 - Constantino trocou a guarda do sábado pelo domingo?

Sim, é verdade. A razão para isso é simples, duas crenças estavam em evidencia na época de Constantino, uma delas era o Mitraísmo, que era o culto ao deus sol, o segundo era o cristianismo de Jesus, entre os adoradores do deus sol, era comum reunir-se para adorar a Mitra, aos domingos pela manhã, qualquer similaridade com os cristãos atuais, não é mera coincidência. 

Os judeus tinham como costume a guarda do sábado, mas não é evidenciável entre os cristãos, entretanto em um modelo capitalista primitivo, onde igreja e estado coexistem, era necessário um dia de descanso fixo, para facilitar a vida do estado, com relação a população servil, nesse contexto, Constantino aproveitou a crença pagã do mitraísmo, e inseriu o domingo na crença cristã, ao invés do sábado, com objetivo de distanciar-se dos judeus.

Em busca do cristianismo unificador, o habilidoso politico Constantino, aos poucos fatiava diversas crenças pagãs, com o objetivo de instaurar seu modelo de cristianismo.

#05 - Constantino foi o primeiro imperador cristão?

Constantino viveu como um pagão, ao contrario do que dizem, ele não tornou-se cristão durante toda sua vida, ele apenas foi batizado em seu leito de morte, o imperador decidiu que os valores cristãos seriam uteis para que ele criasse um grande império teocrático, baseado nisso, ele mesmo adotando o cristianismo como religião oficial do império romano, ele jamais exilou as outras religiões de Roma, os pagãos ainda possuíam força no estado romano.

Ele viveu como um pagão e morreu pagão, como seu proposito para dominar a igreja primitiva, ele passou a adotar uma das diversas seitas cristãs, e tornou-a legitima igreja reconhecida pelo estado, o que tornou-se conhecida como Igreja Católica Apostólica Romana, após alguns anos, ele passou a comissionar padres e lideres que assumissem compromisso com sua instituição, por conta disso, muitos lideres cristãos corromperam-se, para conseguir poder financeiro e politico, os grupos cristãos contrários, como os modalistas (unicistas) e os arianos, eram erradicados dos territórios romanos, e aos poucos de todo o mundo, seus escritos eram queimados, sua historia esquecida no tempo.

Obrigado por ler esse estudo bíblico, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba Reflexões Cristãs pelo whatsapp (19)993702148.


Nenhum comentário

Links patrocinados