Por que um cristão não deve votar em Bolsonaro #04

Bolsonaro e os direitos trabalhistas

Ao falar sobre politica, usando um blog cristão, vou citar a verdade sobre Bolsonaro em uma perspectiva cristã, e porque na minha opinião o candidato é uma boa opção nas questões ideológicas, mas por outro lado, pecá muito, em diversos outros temas, um dos campos que vejo como "pecado" no bom sentido, é seu interesse ao fim dos direitos trabalhistas.

Bolsonaro e os direitos trabalhistas
Bolsonaro e os direitos trabalhistas


Por que ser contra o fim dos direitos trabalhistas

Como cristão, temos que ver que Jesus sempre apoiou os pobres, ele preocupava-se com os mais simples, Ele até mesmo não quis doações de moedas de pratas, e pediu que fossem entregues aos pobres, ele ganhou poder e fama na galileia e judeia, mas nunca fez alianças com altas autoridades e ao invés disso corria a desertos e regiões mais próximas aos pobres.

Ao analisar esse aspecto de Jesus e entender que cristão significa, "pequeno cristo", não compactuo com a ideia de diminuir direitos trabalhistas dos pobres, com o fim do auxilio a planos de saudê, apenas os pobres serão prejudicados, isso porque os pobres não teriam recursos e planos pagos de saudê, e recorreriam ao SUS, isso sucatearia ainda mais o SUS, e ao mesmo tempo, os únicos que beneficiariam são as instituições privadas, pois aumentariam os planos privados de saudês, onde grandes empresários ganhariam muito dinheiro, estimulando os planos privados, como também os empresários deixariam de pagar ao trabalhador, e esse dinheiro ficaria com os megaempresários, onde vai haver ainda mais diferenças entre ricos e pobres.

A opinião de Bolsonaro sobre os direitos trabalhistas

O politico de extrema-direita afirma que não tem opinião própria sobre o assunto, e que compactua e reproduz a opinião da classe empresariada, que diz que "O trabalhador tem que escolher, ou emprego sem direito, ou direito sem emprego nenhum", justamente essa é a opinião do empresariado, que apenas tem o intuito de atender suas próprias necessidades, note que Bolsonaro não consulta o povo, ele não procura a opinião popular, das pessoas simples e pobres que dependem do suor do seu trabalho, e se beneficia, de alguns poucos benefícios.

A incoerência de Bolsonaro

Justamente ele diz ser contra os benefícios dos trabalhadores, mas ele mesmo usufrui de benefícios trabalhistas, como politico, ele recebeu cerca de 622 mil em beneficio de auxilio moradia, possuindo casa própria, entendo que ele nunca abriu mão de seus direitos, possuindo um salario alto, sempre usou seus benefícios, ao invés de querer caçar os direitos dos pobres, porque não caçar aqueles que ganham muito? porque não confrontar os mais ricos, como a classe politica que ganha muitos benefícios e altos salários. Vale ressaltar que o valor recebido, é muito maior se levar em questão a todos os benefícios que os políticos recebem.

Primeiras partes do artigo:

Antes de mais nada, não tenho a intenção de criticar o caráter de Bolsonaro, suas opiniões ideológicas, e sim a perspectiva politica, e as questões que discordo dele, não estou compactuando com suas ideias, temos que entender que pecado, não é apenas ser gay, ou abortar, existem outros pecados, e mascará-los não é meu intuito.

Espero que essa mensagem possa te fazer refletir, se você concorda ou discorda comente, compartilhe com seus familiares e amigos, para ficar atualizado com nossos estudos bíblicos, arqueológicos e opiniões peça no whatsapp (19)99370-2148.

Lucas Ajudarte sexta-feira, 31 de agosto de 2018
Raquel e Lia (Bíblia comentada - Gênesis 30)

Introdução a Gênesis 30 comentado


O capitulo de Gênesis 30 comentado, demonstra como a disputa entre Raquel e Lia se desenvolveu, por fim Jacó, o primeiro filho da união de Jacó e Raquel, seria esse filho que teria o dom de Deus, Gênesis 30 também demonstra o nascimento de vários outros filhos do patriarca.

Raquel e Lia - Gênesis 30 comentado
Raquel e Lia - Gênesis 30 comentado

Gênesis 30 comentado


GEN 30:1 E vendo Raquel que não dava filhos a Jacó, teve inveja de sua irmã, e dizia a Jacó: Dá-me filhos, ou senão, morro. Deus queria ver Raquel entregar seu coração,  ela e sua irmã eram escolhidas para a missão de iniciar o projeto dos doze patriarcas da nação de Israel, justamente sua irmã era menos amada na relação e em contrapartida, ela tinha filhos com seu esposo diferentemente de sua irmã, o favoritismo familiar nunca é bom, a falta de um amor parcial resulta em desastrosas relações entre pessoas.
GEN 30:2 E Jacó se irritava contra Raquel, e dizia: Estou eu em lugar de Deus, que te impediu o fruto de teu ventre?
GEN 30:3 E ela disse: Eis aqui minha serva Bila; deita-te com ela, e dará à luz sobre meus joelhos, e eu também terei filhos por meio dela.
GEN 30:4 Assim lhe deu a Bila sua serva por mulher; e Jacó se deitou com ela.
GEN 30:5 E concebeu Bila, e deu à luz a Jacó um filho.
GEN 30:6 E disse Raquel: Julgou-me Deus, e também ouviu minha voz, e deu-me um filho. Portanto chamou seu nome Dã.
Assim como Sara havia feito em Gênesis 16, onde Abraão teve relações com a serva egípcia de sua mulher, e através disso nasceu Ismael, Raquel agora buscava a mesma "saída alternativa" humanizada, onde tentamos resolver problemas de forma natural, quando não encontramos saídas naturais, devemos buscar o sobrenatural de Deus, ainda sim, os filhos de Bila e Zilpa foram aceitos para o proposito dos doze, diferentemente de Ismael, isso pode estar associado a origem egípcia de Agar, no qual tinham costumes e praticas reprovadas por Deus, diferente de Bila e Zilpa que cresceram na casa de Labão e possuíam criação hebreia.
GEN 30:7 E concebeu outra vez Bila, a serva de Raquel, e deu à luz o segundo filho a Jacó.
GEN 30:8 E disse Raquel: Com lutas de Deus disputei com minha irmã, e venci. E chamou seu nome Naftali. Naftali (em hebraico: נַפְתָּלִי, hebraico moderno: Naftali, tiberiano: Nap̄tālî; "Minha luta"), de acordo com o livro de Gênesis, foi o segundo filho de Jacó com Bila, e o sexto filho de Jacó. Ele foi o fundador da tribo israelita de Naftali. Entretanto, alguns estudiosos da bíblia veêm isso como uma pós-dicção, uma metáfora homônima que fornece uma etiologia da conexidade da tribo às outras na confederação israelita.
GEN 30:9 E vendo Lia que havia deixado de dar à luz, tomou a Zilpa sua serva, e deu-a a Jacó por mulher.
GEN 30:10 E Zilpa, serva de Lia, deu à luz a Jacó um filho.
GEN 30:11 E disse Lia: Veio a boa sorte. E chamou seu nome Gade.
Gade (em hebraico: גד, transl. Gad, "sorte") foi, de acordo com o Livro de Gênesis, o sétimo filho de Jacó, primeiro dele com Zilpa, e o fundador da tribo israelita de Gade. O texto da Torá discute que o nome de Gade ("sorte", "fortuna" em hebraico) derivaria de uma raiz que significa "dividiu fora"; a literatura clássica rabínica discute que o nome seria uma referência profética ao maná; isso recorre originalmente a uma deidade adorada pela tribo.
GEN 30:12 E Zilpa, a sirva de Lia, deu à luz outro filho a Jacó.
GEN 30:13 E disse Lia: Para alegria minha; porque as mulheres me chamarão de feliz; e chamou seu nome Aser. Aser (em hebraico: אָשֵׁר, hebraico moderno Ašer, hebraico tiberiano ʾĀšēr), segundo a Bíblia, é o um dos 12 filhos de Jacó, resultado de sua união com Zilpa, criada de Lia. Aser também é o ancestral de uma das 12 Tribos de Israel, de mesmo nome.
O personagem de Aser não possui grande destaque no livro de Gênesis, exceto por ter tomado parte na conspiração junto a seus irmãos que levou José a ser vendido como escravo para uma caravana em direção ao Egito, e também ter estado junto com seus irmãos no momento da reconciliação. Em I Crônicas 7:30-40 é traçada a descendência de Aser e seus filhos Imna, Isvá, Isvi, Berias e Sera.
GEN 30:14 E foi Rúben em tempo da colheita dos trigos, e achou mandrágoras no campo, e trouxe-as a sua mãe Lia; e disse Raquel a Lia: Rogo-te que me dês das mandrágoras de teu filho.
GEN 30:15 E ela respondeu: É pouco que tenhas tomado meu marido, mas também levarás as mandrágoras de meu filho? E disse Raquel: Ele, pois, dormirá contigo esta noite pelas mandrágoras de teu filho. Irmãos deveriam se respeitar e amar uns os outros, ao invés disso disputam uns com os outros, como por exemplo de Caim e Abel, ou mesmo o próprio caso de Jacó e Esaú, ao invés disso, a disputas por posições e os interesses transpassavam o amor familiar.
GEN 30:16 E quando Jacó voltava do campo à tarde, Lia saiu ao encontro dele, e lhe disse: Deitarás comigo, porque em verdade te aluguei em troca das mandrágoras de meu filho. E dormiu com ela naquela noite.
GEN 30:17 E ouviu Deus a Lia; e concebeu, e deu à luz a Jacó o quinto filho. Lia possuía uma experiencia com Deus, ela era menos amada de seu marido, e por conta disso depositava suas espectavas de vida nas mãos de Deus, exatamente por isso, ela venceu sua irmã nas disputas pessoais, e sempre que tinha angustia Deus ouvia sua voz.
GEN 30:18 E disse Lia: Deus me deu minha recompensa, porque dei minha serva a meu marido; por isso chamou seu nome Issacar.
Issacar (em hebraico: יִשָּׂשכָר, hebraico moderno: Yisakhar, tiberiano: Yiśśâḵār; "Prêmio; recompensa") de acordo com o Livro de Gênesis, um filho de Jacó e Leia (o quinto filho de Leia, e o nono filho de Jacó), e o fundador da Tribo Israelita de Issacar.
Issacar teve quatro filhos, Tola, Puva/Pua, Jó/Jasube e Sinrom.[1][2]
O texto da Torá dá duas etimologias diferentes para o nome de Issacar que atribuem a fontes diferentes - um para o Yahwist e o outro ao Elohist. O primeiro ser que deriva de sakar de ish, que significa acordo, ou contrato, em referência para o acordo de Leia para coabitar com Jacó pelo preço de algumas mandágoras e o segundo ser que deriva de sakar de yesh, significando que há uma recompensa, em referência que a opinião de Lea quanto ao nascimento de Issacar, era uma recompensa divina por emprestar a sua criada Zilpa a Jacó. A explicação anterior é a mais provável para o nome de uma tribo, entretanto há uma terceira etimologia - que deriva de ish Sokar, significando o homem de Sokar, em referência à tribo que originalmente adorava Sokar, uma deidade egípcia.
GEN 30:19 E concebeu Lia outra vez, e deu à luz o sexto filho a Jacó.
GEN 30:20 E disse Lia: Deus me deu uma boa dádiva: agora meu marido morará comigo, porque lhe dei seis filhos; e chamou seu nome Zebulom.
Zebulom (também Zabulom, hebraico: זְבֻלוּן ou זְבוּלֻן ou זְבוּלוּן , hebraico: Zəḇūlūn, Zəvulun "dádiva") foi um dos doze filhos de Jacó, (o sexto de sua mulher Lea) e o fundador da Tribo de Zebulom. (Gênesis 46:14, Números 26:26).
O significado do nome Zebulom é incerto. Parecer ser um jogo com "זֵ֣בֶד zḗḇeḏ" nas palavras de Lia no Gênesis 30:20, "'Deus me concedeu (זְבָדַ֨נִי zəḇāḏáni) excelente dote (זֵ֣בֶד zḗḇeḏ); desta vez permanecerá comigo meu marido (יִזְבְּלֵ֣נִי yizbəlḗni), porque lhe dei seis filhos;' e lhe chamou Zebulom".
O nome aparece na forma זְבֻלוּן dezoito vezes, זְבוּלֻן vinte e seis vezes e זְבוּלוּן uma vez. (Septuaginta) Na literatura pós bíblica o nome aparece como Zabulom (Josephus, Antiquities II.7.4) e Zaboules. (Vulgata) Zabulom, a leitura do Novo Testamento, é aquela da Septuaginta, originada da forma grega Ζαβουλών.
Nada é conhecido, em particular, a respeito de Zebulom, exceto que Serede, Elom e Jaleel foram seus filhos, foram com Jacó para o Egito e se tornaram chefes de três famílias tribais .
GEN 30:21 E depois deu à luz uma filha, e chamou seu nome Diná.
Diná (em hebraico: דִּינָה, hebraico moderno: Dina, hebraico tiberiano: Dînā; "Julgado, vindicado") de acordo com a Bíblia hebraica, era a filha de Jacó, um dos patriarcas do povo de Israel, e Lia, sua primeira esposa[1]. O episódio de seu rapto e violação pelo príncipe cananeu Siquém, e da posterior vingança por parte de seus irmãos Simeão e Levi, normalmente conhecida como "O Estupro de Diná", é contada em Gênesis 34.
Seus irmãos eram Rúben, Simeão, Levi, Judá, Zebulom, Issacar, Dã, Gade, Aser, Naftali, José e Benjamim.
GEN 30:22 E lembrou-se Deus de Raquel, e Deus a ouviu, e abriu sua madre.
GEN 30:23 E concebeu, e deu à luz um filho: e disse: Deus tirou minha humilhação;
GEN 30:24 E chamou seu nome José, dizendo: Acrescente-me o SENHOR outro filho. José nasce de Raquel, é o primeiro filho da relação com Jacó, antes disso, ele teve inúmeros filhos, mas apenas dois com Raquel, ela até enfim entregava seus problemas para Deus, e o Senhor lembraria dela, para a realização de seus projetos, o primeiro filho é José, um dos personagens mais importantes do livro de Gênesis, foi por conta dele, que Deus realizou o plano de salvação para o povo hebreu no período de fome, que será descrito nos capítulos posteriores, José foi instituído como um homem de autoridade, pois era uma pessoa justa, e viveu sua vida piedosamente, como um servo do Deus altíssimo. José (em hebraico יוֹסֵף, significando "Yahweh acrescenta"; Yôsēp em hebraico tiberiano; mais tarde designado como צפנת פענח, Tzáfnat panéach, em hebraico padrão ou Ṣāp̄ənaṯ paʿănēªḥ em hebraico tiberiano, do egípcio que significaria "Descobridor das coisas ocultas") foi o décimo primeiro filho de Jacó, nascido de Raquel, citado no Antigo Testamento, em Gênesis 37:, considerado o fundador da tribo de José, constituída, por sua vez, da tribo de Efraim e da tribo de Manassés (seus filhos). Quando foi coroado como um homem de confiança ao Faraó, foi-lhe concedida a mão de Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om.
GEN 30:25 E aconteceu, quando Raquel havia dado à luz a José, que Jacó disse a Labão: Permite-me ir embora, e irei a meu lugar, e à minha terra.
GEN 30:26 Dá-me minhas mulheres e meus filhos, pelas quais servi contigo, e deixa-me ir; pois tu sabes os serviços que te fiz.
GEN 30:27 E Labão lhe respondeu: Ache eu agora favor em teus olhos, e fica-te; experimentei que o SENHOR me abençoou por tua causa. Labão sabia que seus bens cresciam por conta do trabalho de Jacó, o patriarca já tinha cumprido seu acordo com seu sogro, ele tinha pago por suas mulheres, e agora queria seguir seu caminho.
GEN 30:28 E disse: Define-me teu salário, que eu o darei.
GEN 30:29 E ele respondeu: Tu sabes como te servi, e como esteve teu gado comigo;
GEN 30:30 Porque pouco tinhas antes de minha vinda, e cresceu em grande número; e o SENHOR te abençoou com minha chegada: e agora quando tenho de fazer eu também por minha própria casa?
GEN 30:31 E ele disse: Que te darei? E respondeu Jacó: Não me dês nada; se fizeres por mim isto, voltarei a apascentar tuas ovelhas. 
GEN 30:32 Eu passarei hoje por todas tuas ovelhas, pondo à parte todas as reses manchadas e de cor variada, e todas as reses de cor escura entre as ovelhas, e as manchadas e de cor variada entre as cabras; e isto será meu salário. Labão sedia para Jacó, ele via como uma boa ideia, e sabia que mantendo seu gado sendo cuidado, por Jacó ele teria muitos bens, ainda mais do que tinha, ao mesmo tempo, Jacó planejava lucrar muito, e tentaria o que fosse possível para compensar o período onde trabalhou de graça a Labão, ele tinha estabelecido um plano para isso.
GEN 30:33 Assim responderá por mim minha justiça amanhã quando me vier meu salário diante de ti: toda a que não for pintada nem manchada nas cabras e de cor escura nas ovelhas minhas, se me há de ter para furto.
GEN 30:34 E disse Labão: Eis que seja como tu dizes.
GEN 30:35 Porém ele separou naquele mesmo dia os machos de bode rajados e manchados; e todas as cabras manchadas e de cor variada, e toda rês que tinha em si algo de branco, e todas as de cor escura entre as ovelhas, e as pôs em mãos de seus filhos;
GEN 30:36 E pôs três dias de caminho entre si e Jacó: e Jacó apascentava as outras ovelhas de Labão. Oficialmente a ação que Labão tomava era defensiva, ele recorria a alguma distancia de seu sogro, ele temia uma conspiração contra ele. Labão não se mostrava o mesmo.
GEN 30:37 E tomou para si Jacó varas de álamo verdes, e de aveleira, e de plátano, e descascou nelas mondaduras brancas, descobrindo assim o branco das varas.
GEN 30:38 E pôs as varas que havia riscado nos bebedouros, diante do gado, nos bebedouros da água aonde vinham a beber as ovelhas, as quais se aqueciam vindo a beber.
GEN 30:39 E concebiam as ovelhas diante das varas, e geravam crias listradas, pintadas e salpicadas de diversas cores.
GEN 30:40 E separava Jacó os cordeiros, e os punha com seu rebanho, os listradas, e tudo o que era escuro no rebanho de Labão. E punha seu rebanho à parte, e não o punha com as ovelhas de Labão.
GEN 30:41 E sucedia que quantas vezes se aqueciam as fortes, Jacó punha as varas diante das ovelhas nos bebedouros, para que concebessem à vista das varas.
GEN 30:42 E quando vinham as ovelhas fracas, não as punha: assim eram as fracas para Labão, e as fortes para Jacó.
GEN 30:43 E cresceu o homem muito, e teve muitas ovelhas, e servas, servos, camelos, e asnos. Uma nova pesquisa aponta que não poderia ter nenhum camelo no Gênesis. O motivo é simples – os historiadores acreditam que estas histórias estão ambientadas entre os anos 2000 e 1500 aC, e o camelo teria sido introduzido em Israel entre 930 e 900 aC. Embora essa pesquisa seja fraca de argumentos, ela aponta mais uma sugestão, temos que levar em conta que os camelos eram criaturas que viviam no Norte da Africa, e até por conta das constantes migrações de povos nômades, que eram comum na antiguidade, é absolutamente normal que esse animal poderiam estar sim presentes naqueles dias na terra dos caldeus, e também em Canaã. Geralmente a informação é usada para tentar descaracterizar os textos bíblicos.

Outros capítulos de Gênesis comentado:


1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11 - 12 - 13 - 14 - 15 - 16 - 17 - 18 - 19 - 20 - 21 - 22 - 23 - 24 - 25 - 26 - 27 - 28 - 29 - 30 - 31 - 32 - 33 - 34 - 35 - 36 - 37 - 38 - 39 - 40 - 41 - 42 43 - 44 - 45 46 47 - 48 - 49 - 50.

Notas e referencias de pesquisas


- Segue os créditos a Blive que é a responsável pelo comitê de tradução da bíblia livre. 
- Os trechos comentados estão negrito. 
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, Teólogo e Arqueólogo bíblico pela FTN (Faculdade de teologia nacional), a revisão é de Vanderleia Custodio.  
- Caso possua alguma referencia externa, será mencionadas nesse rodapé. 
- Referencia externa, Filhos de Jacó, Enciclopédia livre.
- Referencia externa, Os camelos em Genesis, hypescience

Compartilhe essa postagem com seus amigos e familiares, receba reflexões cristãs por whatsapp (19) 993702148. 

Lucas Ajudarte
Uma esposa para Jacó (Bíblia comentada - Gênesis 29)

Introdução a Gênesis 29 comentado


Jacó vai em busca de uma esposa conforme Rebeca tinha designado, ele encontrava algo mais do que esperava, Raquel seria seu amor, sua companheira, Gênesis 29 comentado fala desse contexto, o inicio dos doze patriarcas das tribos de Israel.

Um amor de Deus - Gênesis 29

Gênesis 29 comentado


GEN 29:1 E seguiu Jacó seu caminho, e foi à terra dos orientais. A terra onde Jacó seguia, é o que hoje se conhece como Turquia, o pais tem uma importância extremamente forte na arqueologia bíblica, foi lá onde a bíblia descreve que Noé e sua família desceram da arca, num monte conhecido como Ararate, e existem evidencias arqueológicas da arca, como narrado em Gênesis 7 e também em Gênesis 8, a Turquia também é onde foi encontrado aldeias com gravações de familiares de Abraão, onde arqueólogos bíblicos sugerem o fato como reforço a existência dos patriarcas.
GEN 29:2 E olhou, e viu um poço no campo: e eis três rebanhos de ovelhas que estavam deitados próximo dele; porque daquele poço davam de beber aos gados: e havia uma grande pedra sobre a boca do poço. Embora não esteja bem especificado, é possível que o mesmo lugar onde Jacó estava, é onde o servo de Abraão conheceu Rebeca, e conseguiu encontrar os familiares de seu mestre, onde ela deu o que beber ao servo e seus animais. Conforme narrado em Gênesis 24.
GEN 29:3 E juntavam-se ali todos os rebanhos; e revolviam a pedra de sobre a boca do poço, e davam de beber às ovelhas; e voltavam a pedra sobre a boca do poço a seu lugar.
GEN 29:4 E disse-lhes Jacó: Irmãos meus, de onde sois? E eles responderam: De Harã somos.
GEN 29:5 E ele lhes disse: Conheceis a Labão, filho de Naor? E eles disseram: Sim, nós o conhecemos. Em uma geração onde não tinha-se muitos meios de informação, e as tradições, noticias, rituais e formas de inteligencias adquiridas pelos primitivos, eram preservadas basicamente pela tradição oral, ou seja, pela conversação, o que podemos entender que possuir um bom dialogo e uma fácil adaptação para com outras pessoas, eram questões de sobrevivência, até certa forma, nos dias de hoje, ainda existe uma grande importancia em saber se expressar, o cristão precisa ter em mente, que ao estar em terras desconhecidas, ninguem é seu inimigo, e todos podem ser amigos e próximos, desde que apresentamos a verdade, isso é algo que precisa ser preservado.
GEN 29:6 E ele lhes disse: Ele está bem? E eles disseram: Está bem; e eis que Raquel sua filha vem com o gado.
GEN 29:7 E ele disse: Eis que ainda é cedo do dia; não é hora de recolher o gado; dai de beber às ovelhas, e ide apascentá-las.
GEN 29:8 E eles responderam: Não podemos, até que se juntem todos os gados, e removam a pedra de sobre a boca do poço, para que demos de beber às ovelhas.
GEN 29:9 Estando ainda ele falando com eles Raquel veio com o gado de seu pai, porque ela era a pastora. Alguns capítulos atrás, observamos que Rebeca assim como Raquel eram pastoras, elas cuidavam de rebanhos, acredito que isso é relevante para entender o porque os descendentes de Abraão casaram e tiveram suas promessas confirmadas, apenas com a união de um dos filhos com uma das descendentes de Labão e os seus demais familiares.
GEN 29:10 E sucedeu que, quando Jacó viu Raquel, filha de Labão irmão de sua mãe, e as ovelhas de Labão, o irmão de sua mãe, chegou-se Jacó, e removeu a pedra de sobre a boca do poço, e deu de beber ao gado de Labão irmão de sua mãe. 
GEN 29:11 E Jacó beijou a Raquel, e levantou sua voz, e chorou. Jacó apaixonou-se por Raquel, ele já sabia qual seria seu movimento e sua escolha, chorava agora, porque sua missão estava próxima de ser cumprida, ele saia da presença de seus familiares, e iria a terra distantes, em busca de uma esposa, o movimento de Jacó também tinha relação com a disputa com seu irmão Esaú, para confirmar o proposito de continuar o plano de nação para Deus, Jacó seguia as opiniões de Rebeca, para consolidar seus projetos pessoais.
GEN 29:12 E Jacó disse a Raquel como ele era irmão de seu pai, e como era filho de Rebeca: e ela correu, e deu as novas a seu pai.
GEN 29:13 E assim que ouviu Labão as novas de Jacó, filho de sua irmã, correu a recebê-lo, e abraçou-o, e beijou-o, e trouxe-lhe à sua casa: e ele contou a Labão todas estas coisas.
GEN 29:14 E Labão lhe disse: Certamente és osso meu e carne minha. E esteve com ele durante um mês. Labão reconhecia a Jacó, como um dos seus, os hebreus são uma raça que na antiguidade ao serem vista por um outro povo, era facilmente identificados, um exemplo é que os filisteus identificavam os hebreus facilmente durante as guerras relatadas nos livros de Samuel.
GEN 29:15 Então disse Labão a Jacó: Por ser tu meu irmão, me hás de servir de graça? Declara-me o que será teu salário.
GEN 29:16 E Labão tinha duas filhas: o nome da mais velha era Lia, e o nome da mais nova, Raquel.
GEN 29:17 E os olhos de Lia eram tenros, mas Raquel era de lindo semblante e de bela aparência. 
GEN 29:18 E Jacó amou a Raquel, e disse: Eu te servirei sete anos por Raquel tua filha mais nova. Jacó embora tenha alguma familiaridade com Raquel, logo a vê-lá sentiu algo "familiar", afinal ninguém chora na frente de alguém do nada, e Ela por sua vez, mostrou-se uma mulher com grande educação ao dar água a alguém até então desconhecido, de certa forma a própria reação de Jacó, mostra-se voluntario a casar-se com Raquel, o mesmo demonstra uma emoção completamente oposta a suas iniciativas passadas, onde a pouco tempo, tinha enganado seu pai, e traído seu irmão (vide capítulos anteriores), esse mesmo Jacó, agora emocionado e chorando em frente uma mulher, que pode ter representado a ele um abrigo seguro, ele encontrava novamente uma família, na qual ele acreditava ter perdida por conta de suas mentiras e armações.
GEN 29:19 E Labão respondeu: Melhor é que a dê a ti, que não que a dê a outro homem: fica-te comigo. O fato de entregar suas filhas a um homem cujo costumes, e crenças fossem mais similares que as suas, era uma boa opção que Labão tinha, ele também gostava do trabalho de Jacó, ele era um recém convertido ao Deus verdadeiro, e seu trabalho sempre daria frutos.
GEN 29:20 Assim serviu Jacó por Raquel sete anos: e pareceram-lhe como poucos dias, porque a amava.
GEN 29:21 E disse Jacó a Labão: Dá-me minha mulher, porque meu tempo é cumprido para que me deite com ela.
GEN 29:22 Então Labão juntou a todos os homens daquele lugar, e fez banquete.
GEN 29:23 E sucedeu que à noite tomou sua filha Lia, e a trouxe; e ele se deitou com ela.
GEN 29:24 E deu Labão sua serva Zilpa à sua filha Lia por criada. Jacó era enganado por seu tio, Labão sabia que seu sobrinho poderia ir embora depois que tivesse o que queria, e com isso, Labão perderia uma mão de obra importante, agora ele planejava continuar com seu sobrinho, e ao mesmo tempo entregar sua outra filha.
GEN 29:25 E vinda a manhã, eis que era Lia: e ele disse a Labão: Que é isto que me fizeste? Não te servi por Raquel? Por que, pois, me enganaste?
GEN 29:26 E Labão respondeu: Não se faz assim em nosso lugar, que se dê a mais nova antes da mais velha.
GEN 29:27 Cumpre a semana desta, e se te dará também a outra, pelo serviço que fizeres comigo por outros sete anos. Agora Jacó cumpriria mais sete anos por sua esposa, embora pela tradição Lia era associada como sua esposa e sua irmã como concubina, Jacó tinha Raquel como esposa verdadeira, seu compromisso e acordo era com ela desde o começo, devido as adversidades da vida, seus planos não seriam como queriam, mas para tudo tem um proposito.
GEN 29:28 E fez Jacó assim, e cumpriu a semana daquela; e ele lhe deu a sua filha Raquel por mulher.
GEN 29:29 E deu Labão a Raquel sua filha por criada a sua serva Bila.
GEN 29:30 E deitou-se também com Raquel: e amou-a também mais que a Lia: e serviu a ele ainda outros sete anos. Jacó amava Raquel, e demonstrava compromisso com ela, trabalharia por ela o tempo que fosse necessário. Labão usaria isso por seus próprios benefícios pelo tempo que conseguisse.
GEN 29:31 E viu o SENHOR que Lia era mal-amada, e abriu sua madre; mas Raquel era estéril. Deus também tinha seus interesses, a multiplicação dos descendentes de Abraão e Isaque, viriam por meio de Jacó, que agora tinha duas esposas no qual seus filhos seriam ungidos por Deus, todas as duas hebreias, e com os mesmos costumes, no qual Rebeca e Isaque aprovavam, era o momento propicio para o surgimento de Israel.
GEN 29:32 E concebeu Lia, e deu à luz um filho, e chamou seu nome Rúben, porque disse: Já que olhou o SENHOR minha aflição; agora, portanto, meu marido me amará. Surge um dos doze patriarcas originais, Algumas das boas qualidades de Rubem revelaram-se quando persuadiu seus nove irmãos a lançar José num poço seco, em vez de matá-lo, sendo o objetivo de Rubem retornar em secreto e tirá-lo do poço. (Gên 37:18-30) Mais de 20 anos depois, quando estes mesmos irmãos arrazoaram que as acusações de espionagem levantadas contra eles, no Egito, se deviam a terem maltratado José, Ruben lembrou aos demais que ele não tinha participado no complô contra a vida de José. (Gên 42:9-14, 21, 22) Também, quando Jacó se recusou a permitir que Benjamim acompanhasse seus irmãos na segunda viagem ao Egito, foi Ruben quem ofereceu os seus próprios dois filhos como garantia, dizendo: “Podes tirar a vida de meus dois filhos se eu não o trouxer de volta. Deixa-o aos meus cuidados e eu o trarei de volta para o senhor!” — Gên 42:37.
GEN 29:33 E concebeu outra vez, e deu à luz um filho, e disse: Porquanto ouviu o SENHOR que eu era mal-amada, me deu também este. E chamou seu nome Simeão.
Simeão (em hebraico שִׁמְעוֹן, transl. Shim'on, nascido em c. 1772 a.C. [1]), era o segundo filho de Jacob e Lia (Gen. 29;33), sua significação é citada em (Gen. 29;33). Simeão tomou parte, juntamente com Levi, do massacre dos homens de Siquém, depois da desonra sofrida por sua irmã, Diná (Gen. 34)
GEN 29:34 E concebeu outra vez, e deu à luz um filho, e disse: Agora esta vez meu marido se apegará a mim, porque lhe dei três filhos; portanto, chamou seu nome Levi. Levi era o terceiro filho de Jacó e Lia, e tornou-se uma peça importante no plano de nação que Deus estabeleceria para Israel, os descendentes de Levi serviriam diretamente a Deus, seriam sacerdotes na casa do altíssimo.
GEN 29:35 E concebeu outra vez, e deu à luz um filho, e disse: Esta vez louvarei ao SENHOR; por isto chamou seu nome Judá; e deixou de dar à luz. Judá (em hebraico: יְהוּדָה, hebraico moderno: Yəhuda, hebraico tiberiano Yəhûḏāh) era o quarto filho de Jacó e de Léa, e a raiz hebraica de seu nome, Yah hu Dah, é uma expressão de agradecimento a Deus. A história do homem chamado Judá restringe-se ao relato bíblico e às fontes tradicionais do judaísmo.

Outros capítulos de Gênesis comentado:

1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11 - 12 - 13 - 14 - 15 - 16 - 17 - 18 - 19 - 20 - 21 - 22 - 23 - 24 - 25 - 26 - 27 - 28 - 29 - 30 - 31 - 32 - 33 - 34 - 35 - 36 - 37 - 38 - 39 - 40 - 41 - 42 43 - 44 - 45 46 47 - 48 - 49 - 50.


Notas e referencias de pesquisas


- Segue os créditos a Blive que é a responsável pelo comitê de tradução da bíblia livre.
- Os trechos comentados estão negrito.
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, Teólogo e Arqueólogo bíblico pela FTN (Faculdade de teologia nacional), a revisão é de Vanderleia Custodio. 
- Caso possua alguma referencia externa, será mencionadas nesse rodapé.
- Referencia interna, Jacó e Raquel.
- Visite também o blog Reflexões da vida.

compartilhe essa postagem com seus amigos e familiares, receba reflexões cristãs por whatsapp (19)993702148.

Lucas Ajudarte domingo, 26 de agosto de 2018
Deixe a raiva secar - Reflexões Cristãs

"Raiva", a mente e o coração 


Mariana estava feliz por ter ganho como presente um conjunto de chá multicolorido. No dia seguinte, Júlia, sua amiguinha, chegou cedo para convidá-la para brincar.
      
Mariana não podia porque sairia com a mãe naquela manhã. Júlia então pediu a Mariana que lhe emprestasse o seu jogo de chá para que ela pudesse brincar sozinha no jardim do prédio onde moravam. Ela não queria emprestar seu novo presente, mas por insistência do amigo decidiu enfatizar o cuidado com aquele brinquedo especial.


Deixe a raiva secar
Liberte-se da raiva


Ao voltar da caminhada, Mariana ficou atordoada ao ver seu jogo de chá caído no chão. Algumas taças estavam faltando e a bandeja estava quebrada. Chorando e muito irritante Mariana desabafou-se com sua mãe, você vê mãe que Júlia fez comigo? 

Eu emprestei-lhe o meu brinquedo e ela negligenciou tudo e deixou-o deitado no chão.

Leia também: A Mensagem da Cruz.

Totalmente descontrolada Mariana queria para ir à casa de Júlia pedir para explicações, mas a mãe disse carinhosamente: 
Filhinha, você se lembra daquele dia quando você saiu com seu vestido novo todo branco e um carro que passava espirrou lama como suas roupas? Ao chegar em casa lave imediatamente que queria para se vestir, mas a sua avó seria não deixá-lo 
Você se lembra que sua avó disse?

-Ela disse que você tinha que deixar a lama secar, porque mais tarde seria mais fácil de remover.

Esta é minha filha, com a raiva é o mesmo, deixe a raiva secar primeiro, então é muito mais fácil resolver tudo.

Mariana não entendia tudo muito bem, mas decidiu seguir o conselho da mãe e foi assistir à televisão. Um momento depois, a campainha tocou. 

Era Júlia, com uma caixa nas mãos e sem mais delongas ela dizia: Mariana, lembra-se da criança mimada da outra rua, aquela que muitas vezes nos incomoda? 

Ele veio brincar comigo e eu não o deixei porque achei que ele não iria cuidar do seu jogo de chá, mas ele ficou bravo e destruiu o presente que você me deu.
Quando eu disse à minha mãe preocupado que ela me levou para comprar outro igualzinho para você. Espero que você não está com raiva de mim. Não foi minha culpa.! Não tem problema!, Mariana, minha raiva seca! .E dá um forte abraço na  sua amiga, pegou sua mão e levou-a para o seu quarto para contar a história do vestido novo disse ele havia sujado de lama.

Nunca reaja enquanto sentir raiva. A raiva nos cega e nos impede de ver as coisas como elas realmente são. Desta forma, você evitará cometer injustiças e ganhará o respeito dos outros por sua posição equilibrada e correta diante de uma situação difícil.

Não se esqueça: deixe a raiva secar!

Salmos 37: 8 "Deixa a ira, e abandona o furor; não te indignes de forma sábia a fazer o mal." 

Salmos 86:15 "Mas tu, ó Senhor, misericordioso e compassivo, lento para a cólera, e abundante em bondade e verdade, " 

Provérbios 15: 1" a resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira " 

Provérbios 29: 8" desprezo cidade homens, mas os homens sábios transformar o furor.

Obrigado por ler essa reflexão cristã, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba motivacionais pelo whatsapp (19)993702148.

Unknown sábado, 25 de agosto de 2018
Quando caminhar por longas estradas - Reflexões Cristãs

Uma mensagem para reflexão!


Um pai levou seu filho pequeno para uma longa caminhada na floresta. Como ele era pequeno, ele o carregou nos ombros por um longo tempo.

Então ele se levantou e disse a ele que ele teria que andar até a casa. Depois de um tempo, o pequeno chorou porque estava muito cansado, cansado demais para dar mais um passo.

Quando caminhar por longas estradas
Uma caminhada

Leia também: A mascara que esconde o coração.
O pai cortou um graveto e limpou-o muito bem de qualquer estilhaço enquanto a criança observava. Quando ele terminou, ele disse: "Olha, filho, aqui está seu próprio cavalo para levá-lo para casa". Encantado, o menino subiu em seu cavalo e alegremente voltou para casa.

E em casa ele vagou pelo jardim até que teve que ir tomar banho e deitar-se, já exausto.

Às vezes, nosso Pai nos leva e às vezes nos permite caminhar, e muitas vezes pensamos que não pode mais quando alguém movido por ele, oferece-nos um cavalo - uma ideia, uma promessa, uma nova canção, um amor, a oração de intercessão, seja o que for, e nesse corcel atingimos o objetivo. Você precisa de um cavalo? Outro irmão precisa de um cavalo? Ofereça-o com ternura, lembrando nosso próprio cansaço às vezes. Isso faz toda a diferença para um irmãozinho.

1 Pedro 1:22 "Tendo purificado as vossas almas na obediência à verdade através do Espírito em amor fraternal não fingido, amar uns aos outros com um coração puro" 

Provérbios 18:24 "Um homem que tem amigos deve mostrar -se amigo: E amigo há mais do que o irmão "

Obrigado por ler essa reflexão cristã, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba motivacionais pelo whatsapp (19)993702148.

Unknown sexta-feira, 24 de agosto de 2018
A visão de Jacó (Gênesis 28 comentado)

Introdução de Gênesis 28 comentado


Quando lutamos na perspectiva humana, só teremos vitorias humanizadas, não teremos a verdade, que o problema do mundo é espiritual, Gênesis 28 comentado, é Jacó conhecendo a verdade, ele lutava a vida toda por questões humanas, agora ele veria a porta para o céu, embora não compreendesse, o caminho para a eternidade se abriria para ele nesse contexto.

A visão de Jacó - Gênesis 28 comentado
A visão de Jacó - Gênesis 28 comentado


Gênesis 28 comentado


GEN 28:1 Então Isaque chamou a Jacó, e o abençoou, e mandou-lhe dizendo: Não tomes mulher das filhas de Canaã. Isaque agora abençoava Jacó, a pouco tempo atrás tinha sido enganado, mas agora já conformado e reconhecendo que já tinha ocorrido, e o melhor era buscar a paz com seu filho, não existe um pai de verdade, que parta feliz se não morre em paz com seus filhos, independente do erro de seu filho, de certa forma a movimentação de Rebeca para ajudar Jacó, também tinha efeito na decisão de Isaque, em Gênesis 27 isso fica mais evidente.
GEN 28:2 Levanta-te, vai a Padã-Arã, à casa de Betuel, pai de tua mãe, e toma ali mulher das filhas de Labão, irmão de tua mãe. Padã-Arã é uma região de pradarias em torno de Arã (Turquia) na alta Mesopotâmia na região noroeste, também é conhecido como planície de Arã. Localizada entre os rios Eufrates e Habur. Abraão também tinha vivido nessa região, e seus familiares ainda estavam habitando aquela terra,  Jacó agora iria atrás de uma esposa do meio dos seus iguais, isto é, pessoas que acreditassem em valores iguais aos hebreus, e que tinham os mesmos costumes, o povo daquela região, pelo que podemos analisar, não é um povo genuinamente monoteísta, eles eram deístas, isto é, acreditavam em um Deus, mas também acreditavam em outras divindades, diferente da crença monoteísta, que defende um único Deus verdadeiro.
GEN 28:3 E o Deus Todo-Poderoso te abençoe e te faça frutificar, e te multiplique, até vir a ser congregação de povos; O povo de Israel seria um povo santo, e era profetizado seculo antes de seu desenvolvimento, como também profetizado, Jesus nasceria a partir desse povo, isso é profetizado em Gênesis 17, o plano de salvação de Deus com a humanidade, viria a ser por uma teofania perfeita do meio do povo hebreu, por ser algo que foi planejado tão arduamente, é necessário que exista um cuidado com as ações que aqueles que iriam continuar o plano divino em não desviar-se dos planos de Deus, Esaú não demonstrava esse compromisso conforme narrado em Gênesis 26, agora nesse contexto a benção era entregue a Jacó, pois Deus não queria que os hebreus tivessem laços com o povo cananeu e muito menos que eles praticassem seus costumes.
GEN 28:4 E te dê a bênção de Abraão, e à tua descendência contigo, para que herdes a terra de tuas peregrinações, que Deus deu a Abraão.
GEN 28:5 Assim enviou Isaque a Jacó, o qual foi a Padã-Arã, a Labão, filho de Betuel arameu, irmão de Rebeca, mãe de Jacó e de Esaú. Jacó agora iniciaria seus passos para encontrar a verdade, que não estava preso a fundamentos familiares, e muito menos as crenças que seus pais os ensinavam de forma previa, ele mesmo teria a presença de Deus em sua vida, e encontraria a voz de Deus, sua alma seria liberta, Jacó entrava em diversas crises com seu irmão, ele nasceu disputando por seus objetivos e seus sonhos, mas suas lutas eram de forma humana, seus sonhos eram carnais, Jacó nesse contexto precisava ser liberto.
GEN 28:6 E viu Esaú como Isaque havia abençoado a Jacó, e lhe havia enviado a Padã-Arã, para tomar para si mulher dali; e que quando lhe abençoou, lhe havia mandado, dizendo: Não tomarás mulher das filhas de Canaã; Esaú estava em disputa contra seu irmão, agora ele analisa as ações de Jacó e planeja confronta-lo pela benção, mas antes de fazer qualquer mal a seu irmão, ele precisava saber o porque Jacó teria sobressaído sobre si, e o porque sua mãe conspirou contra ele, sua derrota teria sido sua vaidade, e não as ações de seu irmão, e ele sabia disso.
GEN 28:7 E que Jacó havia obedecido a seu pai e a sua mãe, e se havia ido a Padã-Arã.
GEN 28:8 Viu também Esaú que as filhas de Canaã pareciam mal a Isaque seu pai;
GEN 28:9 E foi-se Esaú a Ismael, e tomou para si por mulher a Maalate, filha de Ismael, filho de Abraão, irmã de Nebaiote, além de suas outras mulheres. Esaú entendeu sua historia, ele agora já compreendia o mal que tinha feito, antes de agirmos devemos procurar alguém para nos guiar, pedir conselhos a Deus e a sua família deveria ter sido rotineiro em sua vida, se Esaú tivesse consultado seu pai e sua mãe, antes de tomar como esposa as mulheres de Canaã, talvez o seu destino teria sido diferente.
GEN 28:10 E saiu Jacó de Berseba, e foi a Harã;
Harã (em turco: Harran; em hebraico: חרן, harran, antiga Carras, em latim: Carrhae) hoje é um sítio arqueológico no sul da Turquia. Na Bíblia é citado como a vila ou região onde Abraão habitou quando saiu de Ur, antes de ir para a Terra Prometida (Canaã). Harã também é um dos irmãos do patriarca bíblico mencionado no livro de Gênesis, mas que teria falecido jovem quando o seu pai, Terá, ainda se encontrava em Ur dos caldeus. Ao falecer, Harã teria deixado como descendente o seu filho Ló que, corajosamente, acompanhou Abraão em sua jornada à terra de Canaã.
Tal fato explica o motivo do nome do lugar, pois, segundo o texto bíblico, Terá deixou Ur com Abraão, Naor, Ló e Sara com destino à Canaã, mas acabou estabelecendo-se num local que passou a ser denominado de Harã em homenagem ao filho falecido. Harã também foi palco da grande Batalha de Carras (53 a.C.), travada entre a República Romana e o Império Parta.
GEN 28:11 E encontrou com um lugar, e dormiu ali porque já o sol se havia posto: e tomou das pedras daquele lugar e pôs à sua cabeceira, e deitou-se naquele lugar. 
GEN 28:12 E sonhou, e eis uma escada que estava apoiada em terra, e seu topo tocava no céu: e eis que anjos de Deus subiam e desciam por ela. Jacó sonha com uma escada, que pode representar o futuro de seus descendentes, e seu simbolismo pode ser visto também como um caminho que se seguiria, através de sua vida, anjos desceriam e subiriam, Jacó abriria o caminho para o levante de profetas poderosos, e que influenciariam a cultura, e o destino da humanidade, por meio dele, viria homens como Isaías, Moisés, Daniel e outros.
GEN 28:13 E eis que o SENHOR estava no alto dela, o qual disse: Eu sou o SENHOR, o Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque: a terra em que estás deitado a darei a ti e à tua descendência. Jacó sabia quem era Deus, mas até esse momento ainda não o tinha conhecido, ele ainda não tinha experiencias com Deus, e ele agora seria visitado pelo próprio Deus, Jacó teria sido o escolhido de Deus, isso é acima da vontade do homem, Isaque de forma carnal tentaria por conta de seu favoritismo dar a benção a Esaú, mas Deus tem outros planos, era em Jacó que estava o plano divino, e agora Jacó iniciaria sua jornada para a eternidade.
GEN 28:14 E será tua descendência como o pó da terra, e te estenderás ao ocidente, e ao oriente, e ao norte, e ao sul; e todas as famílias da terra serão abençoadas em ti e em tua descendência. Existiam centenas ou mesmo milhares de povos naquela época, elas por resultado de sua historia, distanciariam do Deus verdadeiro, seus ancestrais seguiram o caminho de Ninrode e buscaram fazer guerra contra Deus, agora a salvação e a reconciliação poderia alcançados,  a graça de Deus excede todo o entendimento, e estará disponível a todos os homens.
GEN 28:15 E eis que eu sou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei voltar a esta terra; porque não te deixarei até tanto que tenha feito o que te disse.
GEN 28:16 E despertou Jacó de seu sonho disse: Certamente o SENHOR está neste lugar, e eu não o sabia. 
GEN 28:17 E teve medo, e disse: Quão terrível é este lugar! Não é outra coisa que casa de Deus, e porta do céu. Jacó tinha tido uma experiencia com Deus, mas ainda não tinha discernimento para entender a mensagem do Eterno, havia a crença de uma verdade, no qual, aquele que visse Deus pessoalmente, certamente morreria, de certa forma, devido ao ocorrido no diluvio, onde a humanidade tinha sido dizimada por Deus, e também por conta do extermínio de Sodoma e Gomorra, as pessoas tinham medo de uma experiencia com Deus, elas fugiam de sua presença, e Jacó demonstrava ter esse medo, ele iniciaria sua caminhada, para compreender a verdade, que Deus mudaria sua vida, a verdade não é algo que podemos simplesmente explicar em um comentário bíblico, ou muito menos em um livro de 1000 paginas, a verdade é algo que vai além do entendimento humano, se pudesse resumir eu diria que a verdade é simplesmente a libertação completa do homem com a divindade.
GEN 28:18 E levantou-se Jacó de manhã, e tomou a pedra que havia posto de cabeceira, e levantou-a por coluna, e derramou azeite sobre ela. Jacó estava em sua viagem sozinho, a região de Harã era uma região onde existia muitas caravanas comerciais, portanto mesmo que fosse uma terra boa para viajar, naquele tempo partir sozinho em uma viagem tinha sempre seus perigos.
GEN 28:19 E chamou o nome daquele lugar Betel, ainda que o nome da cidade antes era Luz.
GEN 28:20 E fez Jacó voto, dizendo: Se for Deus comigo, e me guardar nesta viagem que vou, e me der pão para comer e roupa para vestir,
GEN 28:21 E se voltar em paz à casa de meu pai, o SENHOR será meu Deus, 
GEN 28:22 E esta pedra que pus por coluna, será casa de Deus; e de tudo o que me deres, darei o dízimo a ti.  Jacó queria um contato com Deus, ele precisava saber suas intenções, pois não tinha Jeová como seu único Deus, ele demonstra uma crença deísta, isso possivelmente se deve a criação que Rebeca tinha lhe dado, Rebeca e seus familiares não eram monoteístas, embora ela tenha seguido Isaque, não se sabe ao certo, qual sua procedência, ela colocava suas opiniões e seus favoritismo acima de seu marido.

Outros capítulos de Gênesis comentado:


1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11 - 12 - 13 - 14 - 15 - 16 - 17 - 18 - 19 - 20 - 21 - 22 - 23 - 24 - 25 - 26 - 27 - 28 - 29 - 30 - 31 - 32 - 33 - 34 - 35 - 36 - 37 - 38 - 39 - 40 - 41 - 42 43 - 44 - 45 46 47 - 48 - 49 - 50.


Notas e referencia de pesquisa


- Segue os créditos a Blive que é a responsável pelo comitê de tradução da bíblia livre.
- Os trechos comentados estão negrito.
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, Teólogo e Arqueólogo bíblico pela FTN (Faculdade de teologia nacional), a revisão é de Vanderleia Custodio.
- Caso possua alguma referencia externa, será mencionadas nesse rodapé.
- Referencia externa, Padã-Arã, Enciclopédia livre.
- Referencia externa, Harã, Enciclopédia livre.
- Leia Reflexões da vida, um blog parceiro.

Agradeço por ler esse capitulo comentado, deixe sua opinião nos comentários, para receber mensagens via WhatsApp nos mande pelo (19) 993702148. 

Compartilhe o blog Reflexões Cristãs com seus amigos e familiares, e ajude nosso projeto.

Lucas Ajudarte terça-feira, 21 de agosto de 2018
A divisão entre Rebeca e Isaque (Bíblia comentada - Gênesis 27)

Introdução a Gênesis 27 comentado


A preferencia dos pais por um dos filhos, trás danos horríveis para a família, Esaú escolhia que matar é a resposta, Gênesis 27 comentado evidencia que Esaú não tinha o temor aos planos de Deus, ele tomava a pouco tempo mulheres pagãs como esposas, e vendia sua primogenitura, seus caminhos não tinham o mesmo valor moral de Isaque e Abraão.

Isaque e Esaú, Rebeca e Jacó
Isaque e Esaú, Rebeca e Jacó - Gênesis 27 comentado

Gênesis 27 comentado


GEN 27:1 E aconteceu que quando havia Isaque envelhecido, e seus olhos se ofuscaram ficando sem vista, chamou a Esaú, seu filho o maior, e disse-lhe: Meu filho. E ele respondeu: Eis-me aqui.
GEN 27:2 E ele disse: Eis que já sou velho, não sei o dia de minha morte: Isaque estava próximo de sua morte, de certa forma, quando analisamos a historia de Isaque com a de seu pai Abraão, e seu filho Jacó, vemos que dos três principais patriarcas, ele tem sua narrativa muito encurtada na bíblia, Isaque morreria e daria espaço a nações, como Edom e Israel.
GEN 27:3 Toma, pois, agora tuas armas, tua aljava e teu arco, e sai ao campo, e pega-me caça;
GEN 27:4 E faze-me um guisado, como eu gosto, e traze-o a mim, e comerei: para que te abençoe minha alma antes que morra. O patriarca demonstra seu favoritismo ao filho mais velho, por ter tido mais contato com ele, Isaque se afeiçoou mais a Esaú, pois era um caçador habilidoso, em um mundo primitivo, onde a força e as habilidades de sobrevivência era relevantes, é natural o favoritismo do pai, entretanto o patriarca não consulta Deus, cada plano que determinamos, caem se não estiver com a vontade de Deus, e Isaque tinha seu favoritismo acima de uma analise imparcial sobre os filhos, isto por que Esaú não tinha temor pelas coisas do eterno, desde o começo, quando vendeu sua primogenitura, e em seguida quando casou-se com estrangeiras, Esaú demonstrou que diferente do que Abraão pensava, ele não se importava com o monoteísmo, ou mesmo assegurar suas crenças para as gerações futuras.
GEN 27:5 E Rebeca estava ouvindo, quando falava Isaque a Esaú seu filho: e foi-se Esaú ao campo para pegar a caça que havia de trazer.
GEN 27:6 Então Rebeca falou a Jacó seu filho, dizendo: Eis que eu ouvi a teu pai que falava com Esaú teu irmão, dizendo: Rebeca assim como Isaque, também demonstrava um favoritismo, por um de seus filhos, Jacó não tinha a mesma força de Esaú e não era um caçador, cresceu próximo de sua mãe, mas exatamente isso o assegurou como um homem separado para Deus, os filhos que nascem próximos de suas mães, tendem a ser mais obedientes, ao evitar os excessos dos pais, Rebeca foi uma boa educadora, a ponto que Jacó não tinha tomado uma esposa do meio dos pagãos, e seguia a voz de sua mãe, vejo a ação de Rebeca como legitima, para instaurar os planos de Deus, entre os descendentes de Abraão, para que no momento decisivo, Deus pudesse fazer sua escolha, e ela não viria do amor carnal de Isaque.
GEN 27:7 Traze-me caça, e faze-me um guisado, para que coma, e te abençoe diante do SENHOR antes que eu morra.
GEN 27:8 Agora, pois, filho meu, obedece à minha voz no que te mando;
GEN 27:9 Vai agora ao gado, e traze-me dali dois bons cabritos das cabras, e farei deles iguarias para teu pai, como ele gosta;
GEN 27:10 E tu as levarás a teu pai, e comerá, para que te abençoe antes de sua morte. Agora Rebeca trabalha para enganar seu marido, o casal estava dividido por conta de seus dois filhos, o favoritismo sobre determinado filho, podem prejudicar o crescimento saudável das crianças e causam intensas crises familiares, segundo a psicologa Marisa de Abreu, a primeiro momento, o filho favorito pode se beneficiar com o favoritismo, mas em um futuro pode ser motivo de descontrole emocional, e ao mesmo tempo o filho preterido, pode sofrer crises de carências, dessa forma o filho favorito não ganha nada a longo prazo, isso porque cresce como uma pessoa dependente, e a crise entre irmãos podem tornar-se irreconciliáveis. 
GEN 27:11 E Jacó disse a Rebeca sua mãe: Eis que Esaú meu irmão é homem peludo, e eu liso:
GEN 27:12 Talvez meu pai me apalpe, e me terá por enganador, e trarei sobre mim maldição e não bênção.
GEN 27:13 E sua mãe respondeu: Filho meu, sobre mim tua maldição: somente obedece à minha voz, e vai e traze-os a mim. Não acredito que o favoritismo foi a unica razão que fez Rebeca conspirar contra seu filho e seu marido, entendo que ela tenha sido contrariada, e sentiu profundo desgosto pelas atitudes de Esaú, casar-se com uma mulher estrangeira, e ainda por cima praticar a poligamia, vejo em Rebeca uma figura mais rígida do que Sara, pois a primeira queria impor seus pensamentos e opiniões, em igual forma a Isaque, a segunda era comparsa de seu marido.
GEN 27:14 Então ele foi, e tomou, e trouxe-os à sua mãe: e sua mãe fez guisados, como seu pai gostava.
GEN 27:15 E tomou Rebeca as roupas de Esaú seu filho maior, as melhores, que ela tinha em casa, e vestiu a Jacó seu filho menor:
GEN 27:16 E fez-lhe vestir sobre suas mãos e sobre o pescoço onde não tinha pelo, as peles dos cabritos das cabras;
GEN 27:17 E entregou os guisados e o pão que havia preparado, em mão de Jacó seu filho.
GEN 27:18 E ele foi a seu pai, e disse: Meu pai: e ele respondeu: Eis-me aqui, quem és, filho meu?
GEN 27:19 E Jacó disse a seu pai: Eu sou Esaú teu primogênito; fiz como me disseste: levanta-te agora, e senta, e come de minha caça, para que me abençoe tua alma. O fato de Esaú no passado ter vendido sua primogenitura, torna-o Jacó no direito de tomar sua posição, o erro de Esaú começava a ter consequência, a benção de seu pai, era visto como algo mais importante do que a relação entre pai e filho, ou mesmo com a de seu irmão, Isaque era reconhecido como um homem de Deus, filho de Abraão, dos hebreus, e era importante ganhar sua benção, aquele que ficasse com a benção de um profeta, Deus o acompanharia pelo restante dos seus dias, e Jacó sabia disso, Jacó presenciou a multiplicação que Isaque fizera na terras dos filisteus, Isaque era um vitorioso, assim como Abraão, e por isso ambos seus filhos desejavam seu posto.
GEN 27:20 Então Isaque disse a seu filho: Como é que a achaste tão depressa, filho meu? E ele respondeu: Porque o SENHOR teu Deus fez que se encontrasse diante de mim. Jacó não tem Deus como o seu Deus em particular, a expressão "...o SENHOR teu Deus..." mostra que Jacó reconhecia Deus, mas não lhe praticava adoração. É possível que Jacó não tinha uma posição de fé definida, embora sabemos que era filho de Isaque, temos que lembrar que ele vivia na terra de pagãos.
GEN 27:21 E Isaque disse a Jacó: Aproxima-te agora, e te apalparei, filho meu, para [que eu saiba] se és meu filho Esaú ou não.
GEN 27:22 E chegou-se Jacó a seu pai Isaque; e ele lhe apalpou, e disse: A voz é a voz de Jacó, mas as mãos, as mãos de Esaú.
GEN 27:23 E não lhe reconheceu, porque suas mãos eram peludas como as mãos de Esaú: e lhe abençoou. Isaque dava sua benção a Jacó, a disputa familiar apenas começaria neste ponto, agora grande intriga entre irmãos estava próximo a começar, o favoritismo gera grandes inimizades na família, e esse era um caso, quase irreversível, Jacó queria sua benção e tomava a força de Esaú, enganando seu próprio pai.
GEN 27:24 E disse: És tu meu filho Esaú? E ele respondeu: Eu sou.
GEN 27:25 E disse: Aproxima-a a mim, e comerei da caça de meu filho, para que te abençoe minha alma; e ele a aproximou, e comeu: trouxe-lhe também vinho, e bebeu.
GEN 27:26 E disse-lhe Isaque seu pai: Aproxima-te agora, e beija-me, filho meu.
GEN 27:27 E ele se chegou, e lhe beijou; e cheirou Isaque o cheiro de suas roupas, e lhe abençoou, e disse: Eis que o cheiro de meu filho é como o cheiro do campo que o SENHOR abençoou;
GEN 27:28 Deus, pois, te dê do orvalho do céu, e das gorduras da terra, e abundância de trigo e de mosto.
GEN 27:29 Sirvam-te povos, E nações se inclinem a ti: Sê senhor de teus irmãos, e inclinem-se a ti os filhos de tua mãe; malditos os que te amaldiçoarem, e benditos os que te abençoarem. Malditos os que te amaldiçoam, e benditos o que te abençoam, isso deve servir de exemplo para todos, por vezes na nossa vida somos contra uma determinada pessoa, e por raiva pensamos em jogar maldições sobre ela,  e maldições são simplesmente desejar o mal ao próximo, como leitores e crentes da bíblia, temos que lembrar que não é de nosso dever rogar maldição sobre ninguém, mesmo que façam o mal para nós, se servimos um Deus vivo, certamente as maldições e planos do mal contra nós, cairão por terra, maldito é aquele que vai contra o justo.
GEN 27:30 E aconteceu, logo que havia Isaque de abençoar a Jacó, e apenas havia saído Jacó de diante de Isaque seu pai, que Esaú seu irmão veio de sua caça.
GEN 27:31 E também ele fez guisado, e trouxe a seu pai, e disse-lhe: Levante-se meu pai, e coma da caça de seu filho, para que me abençoe tua alma.
GEN 27:32 Então Isaque seu pai lhe disse: Quem és tu? E ele disse: Eu sou teu filho, teu primogênito, Esaú. Isaque nesse momento entendia que tinha sido enganado, ele escolheu não consultar Deus, como Abraão quando o abençoou, que o preferiu ao invés de Ismael, embora tenha outras razões inseridas, segundo a tradição, Ismael era filho creditado a Sara, pois através da serva de Sara, ela o geraria, ao menos esse era o pensamento da época. Mas Abraão escolheu aquele no qual Deus decidiu, e não a vontade do homem.
GEN 27:33 E Estremeceu-se Isaque com grande estremecimento, e disse: Quem é o que veio aqui, que agarrou caça, e me trouxe, e comi de tudo antes que viesses? Eu o abençoei, e será bendito.
GEN 27:34 Quando Esaú ouviu as palavras de seu pai clamou com uma muito grande e muito amarga exclamação, e lhe disse: Abençoa também a mim, meu pai.
GEN 27:35 E ele disse: Veio teu irmão com engano, e tomou tua bênção.
GEN 27:36 E ele respondeu: Bem chamaram seu nome Jacó, que já me enganou duas vezes; tirou minha primogenitura, e eis que agora tomou minha bênção. E disse: Não guardaste bênção para mim?
GEN 27:37 Isaque respondeu e disse a Esaú: Eis que eu o pus por senhor teu, e lhe dei por servos a todos os seus irmãos: de trigo e de vinho lhe provi: que, pois, farei a ti agora, filho meu?
GEN 27:38 E Esaú respondeu a seu pai: Não tens mais que uma só bênção, meu pai? Abençoa também a mim, meu pai. E levantou Esaú sua voz, e chorou. Esaú agora teria grande dor, seu irmão o derrotaria duas vezes, e tomaria duas coisas importantes que deveria ser dele por direito, mas temos que entender que Esaú não era o escolhido de Deus, sua insistência e questionamento sobre Isaque não ter uma benção para ele, fazia visível que ele não tinha a intenção de respeitar as crenças de seus pais.
GEN 27:39 Então Isaque seu pai falou e disse-lhe: Eis que será tua habitação sem gorduras da terra, E sem orvalho dos céus de acima;
GEN 27:40 E por tua espada viverás, e a teu irmão servirás: E sucederá quando te dominares, Que descarregarás seu jugo de teu pescoço. Isaque lança a verdade sobre Esaú, e este não o aceitaria, tomaria o caminho mais difícil, a guerra não é a saída, e agora preferia uma briga entre irmãos, a escolha de Esaú era que matar é resposta, vemos portanto sua verdadeira natureza, e a maldade em seu coração, Jacó poderia pensar em matar seu irmão, mas essa não foi uma escolha para ele, Jacó assim como Isaque e Abraão, era um pacifista, ele escolhia alternativas para a paz.
GEN 27:41 E odiou Esaú a Jacó pela bênção com que lhe havia abençoado, e disse em seu coração: Chegarão os dias do luto de meu pai, e eu matarei a Jacó meu irmão. Gênesis 27 agora exibia a triste rivalidade entre irmãos, que desenvolvia para tornar-se uma batalha homicida, pelo poder, a historia nos mostra triste resultados da briga entre irmãos, um exemplo é na própria nação de Israel onde Salomão e Adonias, disputaram o trono de Israel, trazendo mortes ao povo.
GEN 27:42 E foram ditas a Rebeca as palavras de Esaú seu filho mais velho: e ela enviou e chamou a Jacó seu filho mais novo, e disse-lhe: Eis que, Esaú teu irmão se consola acerca de ti com a ideia de matar-te.
GEN 27:43 Agora, pois, filho meu, obedece à minha voz; levanta-te, e foge-te a Labão meu irmão, a Harã.
GEN 27:44 E mora com ele alguns dias, até que a ira de teu irmão se diminua;
GEN 27:45 Até que se aplaque a ira de teu irmão contra ti, e se esqueça do que lhe fizeste: eu enviarei então, e te trarei dali: por que serei privada de vós ambos em um dia?
GEN 27:46 E disse Rebeca a Isaque: Desgosto tenho de minha vida, por causa das filhas de Hete. Se Jacó toma mulher das filhas de Hete, como estas, das filhas desta terra, para que quero a vida? Rebeca revela seu nojo contra as mulheres estrangeiras que habitavam naquelas terras, e trabalhava contra o plano de Esaú, que tinham em mente matar Jacó, ela tinha plano de envia-lo para longe de seu irmão e ao mesmo tempo, fazer com que Jacó casa-se com uma mulher cujo a cultura Rebeca se identificasse.

Outros capítulos de Gênesis comentado:

1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11 - 12 - 13 - 14 - 15 - 16 - 17 - 18 - 19 - 20 - 21 - 22 - 23 - 24 - 25 - 26 - 27 - 28 - 29 - 30 - 31 - 32 - 33 - 34 - 35 - 36 - 37 - 38 - 39 - 40 - 41 - 42 43 - 44 - 45 46 47 - 48 - 49 - 50.

Notas e referencias de pesquisas


- Segue os créditos a Blive, responsável pelo comitê de tradução da Bíblia livre. 
- Os comentários são sempre escritos em negrito.   
- Todas as referencias externas, serão demonstradas aqui, se houver.   
- Os comentários são de Lucas Ajudarte, teólogo e arqueólogo bíblico pela Faculdade de teologia nacional de São Lourenço MG. 
- Referencia externa, Preferencias de filhos, Psicólogos em São Paulo.
- Conheça o blog parceiro, Reflexões da vida.

 Ajude a divulgar o Reflexões Cristãs, compartilhe nossas postagens nas redes sociais, duvidas e sugestões, deixe nos comentários, receba mensagens pelo whatsapp (19) 993702148.

Lucas Ajudarte segunda-feira, 20 de agosto de 2018