Eu sou o guardador do meu irmão?

Você tem alguma responsabilidade sobre seu irmão?


"Eu sou o guardião do meu irmão?" é uma pergunta famosa, que podemos fazer quando desejarmos renunciar à responsabilidade um pelo outro. Quando Caim pediu, ele quis negar que era responsável por seu irmão Abel, a quem ele havia assassinado de fato (Gênesis 4.9). No Novo Testamento, João contrasta essa atitude com uma de amor. "Porque esta é a mensagem que você ouviu desde o princípio: que devemos amar um ao outro, e não ser como Caim, que era do maligno e matou seu irmão. E por que ele o matou? Porque suas próprias ações eram más e o irmão dele é justo. " (1 João 3. 11,12)

Eu sou o guardador do meu irmão?


Com que base João fez a afirmação de que as ações anteriores de Caim eram más? Poderia ter sido baseado no versículo 7, quando Caim conversou com Deus e foi dito que em sua oferta ele não fez bem e o pecado está batendo à porta. Perguntas sobre isso podem se multiplicar porque recebemos apenas algumas frases sobre o que aconteceu, o que pode levar várias horas. Por que o fruto da terra era menos aceitável como oferenda do que um animal? Para alguns estudantes de Levítico (e todo o sistema sacrificial) a resposta será óbvia, concluindo com a proclamação de João Batista "Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo".Talvez seja possível que João, como um bom israelita, não tenha levantado essas questões, apenas aceitado os fatos como dados. Para ele, a escolha de Abel de "um primogênito de seu rebanho" era óbvia e natural.

João pode ter argumentado sobre o que Caim fez a seguir na história de Gênesis - ele deve ter sido mal e mal-intencionado porque matou seu irmão. Ninguém mata a menos que seja mau e governado pela emoção, em vez de ser controlado pelo pensamento lógico (embora a maioria das pessoas faça uma exceção para aqueles que servem em uma força armada nacional. Israel o fez.)

O cuidado fraterno depende do amor, e o amor deve ser baseado na justiça (retidão), como mais de um comentarista apontou. Jesus disse que zangar-se com um irmão é assassinato e se há alguma evidência de interrupção na comunhão com um irmão, não há possibilidade de comunhão com Deus (Mt.5.21-26). O ódio é a essência do assassinato e um assassino não tem vida eterna . Mas um assassino pode se arrepender e seguir para a vida eterna. Agora, tendemos a pensar em 'vida eterna' como a qualidade de vida que é dada por Deus. Falta de amor é falta de semelhança com Deus (piedade). " Deus é amor"

Caim não tinha o poder motivador do amor. Isso é fácil de dizer do ponto de vista de João, mas Caim teria concordado? Para nós, dois mil anos depois ainda, em que a vida e os preceitos de Cristo foram trabalhados na vida cotidiana de milhares (milhões) de cristãos, a necessidade de amor deve ser ainda mais óbvia, mas é? Esse primeiro mandamento desde o princípio foi obedecido melhor agora do que em qualquer outro momento da história da humanidade? Jesus havia dito: "Um novo mandamento que vos dou, que vocês se amam, assim como eu os amei, que vocês também se amam."(João 13,34). Jesus mostrou amor em ação na história do Bom Samaritano e o amor do Pai Celestial na parábola do Filho Pródigo. A isso, podem ser acrescentadas muitas histórias do Antigo e do Novo Testamento e, além delas, inúmeras histórias da vida dos cristãos, muitas delas de missionários cristãos. Eles fazem leituras maravilhosas e nos deixam sentindo que ainda precisamos de muito crescimento na graça de nossas próprias vidas para guardarmos o mandamento de Jesus.

Devemos aprender a pensar em termos de amor. Devemos querer o mais alto e melhor para os outros, todos os outros. Podemos continuar protegendo nossos próprios interesses ou bom nome, mas o amor é o sacrifício de si mesmo. Foi assim que Jesus ensinou e demonstrou. Contrição, não orgulho; vontade de dar e não contar o custo; outros ao invés de si; respondendo genuinamente à pergunta: o que Jesus faria?

Portanto, devemos voltar à pergunta 'Sou o guardião do meu irmão (ou irmã)? É muito bom falar sobre amar o irmão, mas se seguirmos o exemplo de alguns na Igreja de Corinto no primeiro século, conforme relatado em (1 Coríntios 1.11), que oportunidade temos para expressar nosso amor em Cristo por nós? irmãos. A divisão dentro da Igreja não exclui esse privilégio…. exceto que podemos orar um pelo outro? Quantas vezes a separação dos irmãos em Cristo é devido à falta de amor? Precisamos pensar sobre essa questão com muito cuidado e como pensamos e falamos de outras pessoas que afirmam estar seguindo a Cristo. O nosso 'julgamento' deles como cristãos é baseado no conhecimento intelectual ou no modo como eles vivem suas vidas na profissão de seguir a Cristo?

'Amor em Cristo' não é uma questão de palavras e perguntas, mas de desejo e ação genuínos. Por fim, temos que enfrentar todas as situações em companhia de Cristo e, ao fazê-lo, devemos respeitar o amor um no outro. A resposta à pergunta inicial é bastante definitivamente que são (e detentor da irmã) de nosso irmão. Devemos aproveitar todas as oportunidades possíveis para expressar esse amor fraternal e fraternal e somos espiritualmente mais pobres por não fazê-lo. Estaremos caminhando em uma das duas direções - para o caminho justo em Cristo ou o caminho injusto em Satanás.

A comunhão constante com Deus dissipará qualquer medo de fracassar no amor. Deus não quer que tenhamos medo. Ele conhece a influência de Satanás e é paciente. Ele é verdadeiramente e realmente amor, e apenas espera que nos voltemos para Ele. Ele é totalmente paciente com o filho pródigo (ou filha). Não temamos, nem nos preocupemos, nem nos perguntemos se podemos "fazer isso". Sejamos todos positivos; podemos alcançar o objetivo de nossas esperanças - porque Deus está do nosso lado; e o 'tenro pastor' a quem muitos de nós oraram quando crianças - ainda é mais terno do que podemos imaginar. Dizer que lamentamos não é fraqueza - é fruto de um forte amor. Mas o amor não é uma qualidade natural nos filhos de Adão. Isso tem que ser aprendido na escola de Cristo.

Leia outros textos de reflexões inspiradas para o seu dia a dia:

Este blog produz opiniões e textos independentes em uma perspectiva cristã sobre todos os temas, Obrigado por ler esse artigo, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba as Reflexões Cristãs pelo WhatsApp (19) 993702148.

Nenhum comentário