Ku Klux Klan e as igrejas evangélicas

O envolvimento de Igrejas com o Ku Klux Klan


Caso eu dissesse que uma igreja evangélica, é racista, ou fascista, parece estranho nos dias de hoje, principalmente no Brasil, onde existe uma pluralidade cultural muito desenvolvida, demonstrarei agora, um fato triste da igreja evangélica, e seu passado, de certa forma estudos como esse, nos ajudam a enxergar o contexto da religião, e das crenças denominacionais, e entendermos como elas desenvolveram-se.

Ku Klux Klan e as igrejas evangélicas


O que é o Ku Klux Klan?


É uma organização considerada politica, que defende o conservadorismo, e o nativismo, que apega-se em primário, com a raça ariana, e branca em geral, o movimento é basicamente evangélico, onde o membro é proibido de pertencer a raça negra, ou mesmo envolver-se com negros, católicos, e judeus.

O Ku Klux Klan também assumiu bandeiras anticomunistas, eles consideram o comunismo uma aberração, e são apoiadores do terrorismo cristão, da raça branca e da religião evangélica como superiores as outras.

O evangélico Ku Klux Klan


Era quase meia-noite de 16 de outubro de 1915, quando o pregador metodista William Joseph Simmons e pelo menos outros 15 homens escalaram a Montanha de Pedra na Geórgia. Eles construíram um altar, incendiaram uma cruz, fizeram um juramento de fidelidade ao “Império Invisível” e anunciaram o renascimento da Ku Klux Klan. 

O movimento ganhava força, abraçado pelas igrejas evangélicas americanas que tinham com o intuito, permanecer o domínio sobre a raças negras, indígenas, e outras raças que eram vistas pela raça branca dominante, como as igrejas evangélicas desde sua fundação tiveram o intuito de ajudar a classe dominante da sociedade, a alienar a opinião popular controlando as massas. Vemos exemplos bem contundentes nos dias de hoje, como por exemplo a situação politica atual do Brasil, quando o terreno politico estava favorável a esquerda no começo dos anos 2000, pastores como Silas Malafaia, RR Soares, entre outros de renome, aproximaram-se da esquerda, mas depois que sua força caiu, eles colaram novamente na direita, com Aécio Neves, e depois Bolsonaro. Essa é uma tendencia, as lideranças religiosas tendem a sempre estar próximos dos dominantes, querendo alienar as massas, estando certo ou estando errados.

Culto do Ku Klux Klan na Igreja Metodista
Culto do Ku Klux Klan na Igreja Metodista


O pastor da Irmandade Unida, o venerável George J. Cornford, provavelmente era um membro da Klan.

Culto na Igreja Unida, pelo Ku Klux Klan


A ascensão do Klan no Condado de Lucas começou com a chegada durante o verão de 1922 do Rev. Jesse David Pontius (1879-1955), chamado como pastor pela congregação da Primeira Igreja Cristã de Chariton (Discípulos de Cristo). 

O campanário dessa igreja é pouco visível no fundo do instantâneo. Ficou no que agora é o estacionamento da Casa Funerária Pierschbacher. O Rev. Sr. Pontius anteriormente serviu a Humeston Christian Church por cinco anos e também serviu como diretor das escolas de Humeston durante os últimos dois anos de sua permanência lá.


Assembleia de Deus e a Ku Klux Klan


Os movimentos pentecostais, em sua origem, a grande maioria, jamais confrontou a presença do domínio do estado, contanto que eles possam existir, não importa o que o estado faça, se ele mata, ou rouba, os pastores de renome, sempre prevalecem em silencio, como o protestantismo foi o movimento em destaque nos Estados Unidos, a religião mantem a ordem do estado.

Para eles, dessedentes de Cam
Para eles, dessedentes de Cam

Os negros foram proibidos de comparecer a cultos das igrejas evangélicas, como a Assembleia de Deus, as primeiras décadas do movimento, foram marcados, por essa preferencia de raças, o poder financeiro e politico, que os membros do Ku Klux Klan possuíam, atraia os olhos dos lideres assembleianos, assim como ocorre nos dias de hoje, aonde existe poder, lá está eles.

A teologia por trás do Ku Klux Klan


Para manter ativa, os pensamentos dessa seita, e seu envolvimento com os cristãos, é necessário "usar" a bíblia para dar legitimidade a matança e sua caçada racista, basicamente o KKK, afirmava que os descendentes de Cam, um dos filhos de Noé, que foi amaldiçoado por Deus, por ter zombado de seu pai, são a raça negra, basicamente eles associam, o mapa das nações, presente na biblia, como referencia a sua doutrina de pura maldade.

Resposta bíblica: "Cristo nos redimiu da maldição da Lei quando se tornou maldição em nosso lugar, pois está escrito: "Maldito todo aquele que for pendurado num madeiro". Isso para que em Cristo Jesus a bênção de Abraão chegasse também aos gentios, para que recebêssemos a promessa do Espírito mediante a fé. "
Gálatas 3:13-14

Marcos Feliciano reproduzindo o Ku Klux Klan no Brasil


Há alguns anos, o polemico pentecostal, Marcos Feliciano, trouxe em territórios tupiniquins, uma teologia que sua absurda, ele afirmou publicamente que a raça negra é amaldiçoada por Deus, por serem os descendentes de Cam. A mesma referencia fascista apresentada pelo Ku Klux Klan.



Eles ainda estão fortes nos Estados Unidos.


Ku Klux Klan moderno
Ku Klux Klan moderno


Há pouco tempo, um ato pró Ku Klux Klan, foi feito nos Estados Unidos, milhares de pessoas, desfilaram contra os negros, e criticaram contra a figura de Martin Luther King Jr. O grupo ainda é muito forte, nos estados confederados, e possuem membros até mesmo na administração do governo Trump.

Veja também: Lista de pastores maçons

Obrigado por ler esse estudo bíblico, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba motivacionais pelo whatsapp (19)993702148. 

Links patrocinados