Evidencias milenares da existência de Jesus

Historiador Tácito e os escritos históricos sobre Jesus


Planejo trazer um pouco de conhecimento histórico a comunidade, hoje em dia existem muitos opositores a fé cristã, que afirmam que Jesus nunca existiu, essas informações são comuns em cientistas e historiadores modernos, a grande maioria ligados a crenças ateias e ao comunismo cientifico.

Evidencias milenares da existência de Jesus


Apresentarei o historiador Tácito, que viveu no período de Jesus e dos apóstolos, e não era aderente a fé cristã, e pelo que tudo indica, nem mesmo era judeu e sim um romano pagão, textos assim são fortes evidencias provando a existência terrena de Jesus, ao mesmo tempo que comprova boa parte dos escritos do novo testamento.

Públio Cornélio Tácito ou Caio Cornélio Tácito (em latim: Publius/Gaius Cornelius Tacitus; c. 56 – depois de c. 117) foi um senador e historiador romano nomeado cônsul sufecto para o nundínio de novembro a dezembro de 97 com Marco Ostório Escápula. As porções sobreviventes de suas duas maiores obras — "Anais" e "Histórias" — tratam dos reinados dos imperadores Tibério, Cláudio, Nero e os imperadores do ano dos quatro imperadores (69), um período de tempo que se estende da morte de Augusto, em 14, até a Primeira guerra romano-judaica em 70. Há muitas lacunas nos textos, incluindo uma em "Anais" que corresponde a quatro livros inteiros.

Embora haja evidências contundentes de que o Novo Testamento é um documento histórico preciso e confiável, muitas pessoas ainda relutam em acreditar no que diz, a menos que haja também algum testemunho independente, não-bíblico, que corrobore suas declarações. Na introdução de um de seus livros, FF Bruce fala de um correspondente cristão que foi dito por um amigo agnóstico que “além de referências obscuras em Josefo e similares”, não havia evidência histórica da vida de Jesus fora da Bíblia.  Isso, escreveu ele a Bruce, causou-lhe “grande preocupação e alguns pequenos transtornos na [sua] vida espiritual”.  Ele conclui sua carta perguntando: “Essa prova colateral está disponível, e se não, Há razões para a falta dela? ”  A resposta a essa pergunta é: “Sim, essa prova colateral está disponível”, e nós veremos algumas delas neste artigo.

Vamos começar nossa investigação com uma passagem que o historiador Edwin Yamauchi chama de “provavelmente a referência mais importante a Jesus fora do Novo Testamento”.  Relatando a decisão do Imperador Nero de culpar os cristãos pelo incêndio que destruiu Roma em 64 dC, O historiador romano Tacitus escreveu:

Nero firmou a culpa. . . em uma classe odiada por suas abominações, chamados cristãos pela população. Christus, de quem o nome teve sua origem, sofreu a penalidade extrema durante o reinado de Tibério nas mãos de. . . Pôncio Pilatos, e uma superstição muito travessa, assim verificada no momento, novamente estourou não só na Judéia, a primeira fonte do mal, mas até mesmo em Roma.

Evidencias milenares da existência de Jesus

O que podemos aprender com essa referência antiga (e bastante antipática) a Jesus e aos primeiros cristãos? Observe, primeiro, que Tácito relata que os cristãos derivaram seu nome de uma pessoa histórica chamada Christus (do latim), ou Cristo. Dizem que ele “sofreu a penalidade extrema”, obviamente aludindo ao método romano de execução conhecido como crucificação. Isto é dito ter ocorrido durante o reinado de Tibério e pela sentença de Pôncio Pilatos. Isto confirma muito do que os Evangelhos nos dizem sobre a morte de Jesus.

Mas o que devemos fazer da afirmação enigmática de Tácito de que a morte de Cristo checou brevemente “uma superstição muito perniciosa”, que subsequentemente surgiu não apenas na Judéia, mas também em Roma? Um historiador sugere que Tácito está aqui “suportando indiretamente. . . testemunho da convicção da igreja primitiva de que o Cristo que havia sido crucificado havia ressuscitado da sepultura. ”  Embora essa interpretação seja reconhecidamente especulativa, ela ajuda a explicar a ocorrência estranha de uma religião em rápido crescimento baseada no culto de Deus. um homem que foi crucificado como criminoso.  De que outra forma poderia explicar isso ?

Fontes, referencias de pesquisa e recomendações de leitura

Enciclopédia livre, Tácito, Referencia externa.
Probe Ministries, Evidence from Tacitus, Referencia externa.
Revista de Arqueologia Bíblica, Lista de conteúdo.

Obrigado por ler esse estudo bíblico, comente e de sua opinião, compartilhe com seus familiares e amigos, receba Reflexões Cristãs pelo WhatsApp (19)993702148.

Nenhum comentário